Cinema & TV

Com uma família de artistas, Lucas Capri estreia como ator e comenta: “A pressão é muito grande!”

O jovem, que até então se dedicava aos esportes, nega o rótulo de galã: "Esse não é o foco agora"

Publicado em 08/01/2019 | Por Leticia Sabbatini

Se você assistiu ao recente filme “Minha Vida em Marte”, estrelado por Mônica Martelli e Paulo Gustavo, notou a presença de um rostinho novo entre o elenco. Filho do ator Herson Capri e da diretora e irmã de Mônica, Susana Garcia, o jovem Lucas Capri estreou no longa e desde então, vem despertando a curiosidade do público. Nós, do site HT, conseguimos conversar com Lucas e contamos agora quem é o recém descoberto talento.

Na pré estreia do filme, ao lado de Paulo Gustavo, Marcos Palmeira, Mônica Martelli e Susana Garcia (Foto: Reprodução)

Surgindo como um novo galã, Lucas sempre foi um amante dos esportes e se dedicou a isso durante boa parte de sua vida. Apesar de nascer em um berço de artistas, o jovem afirmou que a vontade de entrar para o ramo da atuação foi recente, pois a vida atlética e esportiva sempre teve a maior parte de seu interesse e dedicação. “Eu fui atleta da natação. Não era só um hobby, eu participava de competições e treinava bastante. Hoje em dia eu nado por conta própria no mar mesmo, sem maiores obrigações de clubes e treinamentos. Então, o meu foco sempre foi o estudo e os esportes, e os meus pais sempre me apoiaram muito”, explicou ele, que nadou pelo Flamengo até os 17 anos de idade.

Conforme foi ficando mais velho, a atuação deixou de ser apenas algo admirável para o jovem, que começou a sentir o desejo de experimentar novas sensações. “Eu também sempre tive a arte muito presente na minha vida, já que a minha família trabalha com isso. Então ela sempre esteve ali, mas nunca tinha sido tão forte em mim a ponto de eu querer trabalhar. Só que eu fui crescendo nesse meio e resolvi tentar, pois queria ver como era. Comecei um curso profissionalizante de teatro e televisão e me apaixonei de primeira. No primeiro dia de aula eu pensei ‘é isso’”, afirmou. Apesar do sucesso de sua família na profissão, Lucas disse nunca ter sido pressionado por eles, mas revelou que a responsabilidade é grande e a pressão muitas vezes vem de outro lugar: “Eles nunca me pressionaram, são muito tranquilos quanto a isso. Mas eu sou uma pessoa que me cobro muito e sempre fiz isso em todas as partes da minha vida. Na arte não seria diferente, né? Pelo fato dos meus pais e a minha tia fazerem muito sucesso nessa área, obviamente a pressão é muito grande. Só que é algo interno, sabe?”.

Considerado o novo galã da atuação, Lucas Capri diz estar focado só no seu trabalho  (Foto: Reprodução)

Depois de alegrar os pais e a tia artistas revelando o novo interesse, o jovem começou a se dedicar ao estudo da profissão, que fazia através do curso profissionalizante e também de forma independente em casa. “Eu estava fazendo o curso já tinha um ano e surgiu esse personagem que encaixava bem com o meu perfil. Minha mãe sugeriu que eu fizesse um teste para ver se eu teria condições de fazer, já que é um filme enorme. Eu ensaiei bastante com o meu pai e depois fiz vários testes com ela, que me aprovou”, contou. Mesmo com a ajuda do pai, consagrado no cinema, teatro e televisão, Lucas reforçou a seriedade de Susana com ele durante as gravações. “Eu estudei muito com o meu pai antes e quando eu chegava lá, achando que estava perfeitinho, ela me dava uns puxões de orelha e me mandava repetir”, afirmou bem-humorado. Ainda assim, mesmo com essa pressão natural, ele assumiu o conforto de ter sua família ao lado nesse momento importante de sua carreira e vida: “Por ser um ambiente familiar, aliviou bastante a tensão. O apoio deles para mim é muito importante”.

No filme, Lucas dá vida ao personagem Theo, que trabalha na produção da cantora Anitta e se envolve com Aníbal, interpretado por Paulo Gustavo. Sobre a parceria com o humorista, o ator não negou diversão e sintonia durante as filmagens e preparações: “Sendo o meu primeiro trabalho, ele foi muito generoso em cena e me ajudou bastante. Eu fiquei muito nervoso, mas ele me deu muitas dicas e aumentava o astral do set sempre. Foi maravilhosa essa parceria”. E negou que, por representarem um casal homossexual, tenha sofrido qualquer tipo de preconceito do público. Pelo contrário, Lucas tem até se surpreendido com o carinho das pessoas, mas afirmou que não se considera um galã, como está sendo chamado: “Eu não me acho um galã, não. Eu fico feliz e é sempre bom ouvir elogios, mas esse não é o foco agora. Realmente tem várias pessoas mandando mensagens e procurando pelas redes sociais, mas não chega a ser assédio, é apenas um interesse do público em conhecer esse novo ator”.

Leia também: Paulo Gustavo e Mônica Martelli lançam novo filme: “Rir de uma situação difícil é terapêutico”

Ao lado do pai, o renomado ator Herson Capri (Foto: Reprodução)

Assim, com a vida transformada em tão pouco tempo, Lucas admitiu que encontrou o seu lugar: “Eu pretendo seguir na atuação, porque eu realmente me apaixonei”. Muito consciente do constante aprendizado necessário aos renomados e novos atores, ele explicou os próximos passos de sua carreira: “Estou agora tentando ler, estudar e trabalhar cada vez mais para seguir nesse caminho. Este ano vou entrar na CAL [Casa de Artes das Laranjeiras] e farei também alguns cursos livres para aprender mais e mais”. E aí, será que em 2019 reencontraremos Lucas em mais um trabalho? Torcemos para que sim!

Pesquisas relacionadas