Cinema & TV

Assim como na abertura, 19ª edição do Festival do Rio tem encerramento marcado por protestos e consagra o filme “As Boas Maneiras” como o destaque da edição

Com uma categoria conquistada a menos, a premiação ainda exaltou o trabalho de Caroline Jabour no filme "Aos Teus Olhos". Vencedora de quatro troféus ontem à noite, a obra se destacou como Melhor roteiro, Melhor longa de ficção pelo voto popular e Melhor ator

Publicado em 16/10/2017 | Por Julia Pimentel

Foram 11 dias, 250 filmes e mais de 60 países no Rio de Janeiro celebrando o cinema. Ontem, ocorreu a cerimônia de encerramento da 19ª edição do Festival do Rio e o filme “As Boas Maneiras”, de Juliana Rojas e Marco Dutra, foi o grande campeão. Vencedor de cinco categorias, o filme de terror saltou à frente como Melhor longa metragem de ficção pelo júri oficial, Melhor atriz coadjuvante, Prêmio da Federação Internacional de Críticos de Cinema, Melhor fotografia, e Melhor longa de ficção do Prêmio Félix. Assim como na abertura, o encerramento da premiação também foi marcado por protesto contra a censura na cultura.

Protesto do cineasta Luiz Carlos Lacerda na cerimônia de encerramento do Festival do Rio (Foto: AgNews)

A cerimônia de encerramento do Festival do Rio, que ocorreu no Cine Odeon, na Cinelândia, voltou a ter a frase “Censura nunca +” como manifesto contra o prefeito da cidade, Marcelo Crivella, que proibiu a exposição “Queermuseu” de vir para o Museu de Arte do Rio, o MAR. A mostra, que está em cartaz em São Paulo, traz a polêmica discussão da nudez, pedofilia e arte desde que um vídeo de uma menina encostando em um homem nu, que no museu tinha status de obra de arte, viralizou na internet. “Nunca imaginei que voltaríamos a tempos tão obscuros. Muita gente que está aqui, dentro deste cinema, lutou demais para que situações como esta não se repetissem. Mas nós da cultura resistiremos e continuaremos lutando”, disse a atriz Christiane Torloni ao G1.

Christiane Torloni na 19ª edição do Festival do Rio (Foto: AgNews)

Polêmicas à parte, o Festival do Rio ainda consagrou outro grande longa nesta 19ª edição. Se “As Boas Maneiras” foi o super premiado da noite com cinco conquistas, “Aos Teus Olhos”, de Carolina Jabour” ficou pouco atrás com quatro prêmios. O filme ganhou pelas categorias Melhor ator coadjuvante, Melhor roteiro, Melhor longa de ficção pelo voto popular e Melhor ator. Quem também mereceu destaque na premiação final do prêmio foi o longa “Praça Paris”, que arrebatou duas categorias: Melhor diretor de ficção e Melhor atriz.

Festival do Rio 2017 – Vencedores:

Prêmio da crítica: “As boas maneiras”, de Marco Dutra e Juliana Rojas
Prêmio Mostra Geração: “Sobre rodas”, de Mauro D’Addio
Prêmio Félix (documentário com temática LGBTQ): “Queercore: How to punk a revolution”, de Yony Leyser
Prêmio Félix (longa de ficção): “As boas maneiras”
Mostra Novos Rumos (longa): “A parte do mundo que me pertence”, de Marcos Pimentel
Mostra Novos Rumos (curta): “Atrito”, de Diego Lima
Mostra Novos Rumos (prêmio especial do júri): “Vende-se esta moto”, de Marcus Faustini
Melhor curta metragem (voto do público): “Vaca profana”, de René Guerra
Melhor curta metragem (escolha do júri): “Borá”, de Angelo Defanti
Melhor montagem: Caroline Leone, por “Alguma coisa assim”, de Esmir Filho e Mariana Bastos
Melhor roteiro: Lucas Paraizo, por “Aos teus olhos”, de Carolina Jabor
Melhor fotografia: Rui Poças, por “As boas maneiras”
Melhor ator coadjuvante: Marco Ricca, por “Aos teus olhos”
Melhor atriz coadjuvante: Marjorie Estiano, por “As boas maneiras”
Melhor ator: Daniel de Oliveira, por “Aos teus olhos”, e Murilo Benício, por “O animal cordial”
Melhor atriz: Grace Passô, por “Praça Paris”, de Lucia Murat
Prêmio especial do júri: “SLAM: Voz de levante”, de Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva
Melhor direção de documentário: Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva, por “SLAM: Voz de levante”
Melhor direção de ficção: Lucia Murat, por “Praça Paris”
Melhor longa metragem documentário (voto do público): “Dedo na ferida”, de Silvio Tendler
Melhor longa metragem documentário (escolha do júri): “Piripkura”, de Mariana Oliva, Renata Terra e Bruno Jorge
Melhor longa metragem de ficção (voto do público): “Aos teus olhos”
Melhor longa metragem de ficção (escolha do júri): “As boas maneiras”

Pesquisas relacionadas