Teatro & Pensata

Thammy Miranda estreia no teatro como surfista machista e conta sobre seus projetos, sonhos e experiências no mundo real e virtual: “Se me perturbar, eu bloqueio”

O ator estreia a peça T.R.A.N.S nesta quarta-feira, 31, no Rio de Janeiro ao lado da namorada Andressa Ferreira e do diretor e autor da peça, Carlos Verahnnay. Apesar de o gênero não ser o assunto principal do enredo, Thammy reconheceu que personagem da vida real desta temática, Thammy acredita que sua experiência pessoal promova um fôlego diferente à peça. “Eu acho que por eu conhecer esse assunto de forma tão íntima ajude no resultado do espetáculo"

Publicado em 30/05/2017 | Por Julia Pimentel

A sigla T.R.A.N.S. da peça do diretor Carlos Verahnnay que estreia nesta quarta-feira, 31, no Teatro Glauce Rocha, no Rio de Janeiro, não é resultado de um enredo só sobre gênero. Mais que isso, a abreviação de “Terapia de Relacionamentos Amorosos Neuróticos Sexuais”, que nomeia o espetáculo, deixa claro que assuntos como amor, relações, temáticas atuais e muito humor também fazem parte do texto da peça. A questão de gênero fica por conta do elenco do espetáculo, que tem Thammy Miranda como destaque. Transgênero, o ator estreia no teatro ao lado de sua namorada, a atriz Andressa Ferreira. Em “T.R.A.N.S”, Thammy Miranda é um surfista mimado e machista que só pensa em curtir a vida e ter uma vida sexual extremamente ativa.

Em entrevista exclusiva ao HT, Thammy Miranda contou que o projeto teatral surgiu por um convite de Carlos Verahnnay que, além de dirigir o espetáculo, também atua e assina o texto da peça. No enredo, os atores têm o humor como aliado para tratar das questões que, apesar de tradicionais, ganham toques de modernidade com situações contemporâneas. “Eu acho que a comédia foi a forma que encontramos para falar de forma mais leve e informar as pessoas sem que fique uma peça chata e pesada. A gente não quer que pareça uma aula ou que estamos querendo enfiar goela abaixo determinado assunto. Na peça, a gente aborda questões do nosso dia-a-dia e que, por mais nova que possa parecer a temática da sexualidade, não é tão recente assim. Eu acho que hoje em dia nós estamos podendo falar mais sobre isso, e é aí que está a novidade”, disse Thammy que, como consequência, acredita que o assunto seja abordado com naturalidade na sociedade.

Thammy Miranda, Andressa Ferreira e Carlos Verahnnay (Foto: Helmut Hossmann)

Aliás, não é só no palco com a peça “T.R.A.N.S” que Thammy Miranda tem o humor como aliado. Segundo o ator, esta é uma estratégia que ele adotou em sua vida pessoal para driblar determinadas situações e alcançar outras questões. Porém, em tempos de intolerância e falta de informação sobre a questão gênero, Thammy destacou que nem sempre é possível manter o sorriso no rosto. “Eu trato tudo com o máximo de humor, mas eu sei que não dá para ser sempre assim. Tem momento que precisamos de mais seriedade e outros que não estamos tão inspirados para a comédia”, explicou o ator que acredita que não seja um tabu falar de gênero hoje em dia, principalmente no meio artístico. “Para mim, as pessoas apenas não entendem muito bem a diferença de gênero e sexualidade. Esse não é um assunto que já está esclarecido e natural na nossa sociedade. Por isso que a informação é importante, mas eu não acredito que seja mais um tabu”, analisou.

E, por falar na informação, a peça é um importante passo neste quesito. No espetáculo, Thammy Miranda deixou uma dúvida no ar ao comentar suas proximidades com o personagem. De acordo com o ator, o público só irá descobrir se o surfista mimado que interpreta é transgênero se for ao teatro. Mas o fato é que, personagem da vida real desta temática, Thammy acredita que sua experiência pessoal promova um fôlego diferente à peça. “Eu acho que por eu conhecer esse assunto de forma tão íntima ajude no resultado do espetáculo. O meu personagem acaba contribuindo com mais propriedade em determinadas questões”, comentou sem se alongar o ator que, no palco, mergulha no personagem e já até tirou a camisa em uma apresentação.

A peça T.R.A.N.S. estreia nesta quarta-feira, 31, no Rio de Janeiro (Foto: Helmut Hossmann)

Apesar de esta ser a estreia de Thammy Miranda no teatro, ele coleciona outras experiências como ator na telinha e no cinema. No entanto, a maioria dos trabalhos artísticos de Thammy Miranda foi antes da cirurgia, quando ainda convivia com um corpo de mulher. Nesta nova identidade pessoal e profissional, o ator contou que a carreira está “fluindo e acontecendo”. “Eu não estou em busca de nenhum trabalho específico, os projetos estão aparecendo naturalmente. Eu acho que quando a gente está bem com nós mesmo, tudo acontece de forma mais simples e fluida”, contou Thammy que, neste momento, está com a peça no teatro, um quadro no programa do Raul Gil e engajado na carreira política. “Estou fazendo de tudo um pouco. O que está dando, eu estou aceitando”, completou.

Se na carreira profissional Thammy Miranda está explorando novas experiências e combinando diferentes trabalhos, na vida pessoal o ator contou que segue do mesmo jeito que era antes. Segundo ele, nada mudou desde a cirurgia. “Eu continuo com a minha vida normal. As pessoas já respeitam o meu gênero e quem ainda não se acostumou é porque me conheceu no corpo de mulher e não se habituou. Eu acho que, pelo fato de estar na televisão há muito tempo, algumas pessoas ainda têm a minha outra imagem muito viva. Mas, de um modo geral, a maioria tem se policiado para me tratar só no masculino”, contou o ator que garantiu manter uma boa relação com a nova identidade também na vida virtual. “As redes sociais têm me ajudado muito a dividir minhas experiências. Também tem muita gente que me procura pedindo ajuda e eu tento responder todos eles. E para os haters, é muito simples: quem me perturba, eu bloqueio”, sintetizou.

Thammy Miranda e a namorada, Andressa Ferreira (Foto: Helmut Hossmann)

No entanto, a mudança de gênero não se restringe apenas ao visual e ao comportamento frente à sociedade. Recentemente, Thammy Miranda afirmou que se sente quase um homem completo. Mas, aliado às transformações hormonais, o ator também precisou passar pela mudança na identidade como cidadão. Em relação à adequação de seus documentos ao gênero masculino, Thammy contou que já está tudo atualizado. Apesar da burocracia brasileira em diversas esferas, neste caso, ele afirmou que não encontrou dificuldades. “Demorou um tempo, mas não foi tão complicado. Eu acho que não é como em outros casos que a burocracia nos faz quase desistir. Para mim, esse processo foi aberto e até compreensível. Hoje, eu já estou com tudo atualizado”, relatou.

Assim como para Thammy Miranda a justiça brasileira já está encarando a questão de gênero com mais naturalidade, as artes também estão se mostrando abertas à temática. Com o assunto cada vez mais frequente nos enredos, hoje, nós temos um importante canal de discussão do tema: o horário nobre da Globo. Na novela “A Força do Querer”, de Glória Perez, a personagem da atriz Carol Duarte está vivendo o drama de não se reconhecer no corpo feminino e, com o passar dos capítulos, irá fazer a cirurgia de adequação de gênero, a mesma feita por Thammy Miranda.

Apesar de não está acompanhando o folhetim da Globo, Thammy contou que está ouvindo bons comentários da abordagem de gênero na novela (Foto: Helmut Hossmann)

Sobre a abordagem do assunto na teledramaturgia, o ator contou que participou bastante da construção da temática nos bastidores da novela. Inclusive, Thammy foi convidado para participar da trama, mas não aceitou por causa da dedicação à carreira na política. “A Glória está muito bem respaldada para essa abordagem. Ela escutou muitas histórias e relatos verdadeiros para a construção da narrativa. Desde que a novela começou, eu não consegui acompanhar os capítulos por causa dos ensaios para a peça. Mas eu tenho escutado comentários muito bons e acredito que a interpretação esteja sendo fiel ao que realmente acontece”, disse Thammy que, assim como a personagem Ivana de “A Força do Querer”, também não se reconhecia no corpo feminino.

Outra janela contemporânea que abriu o debate da questão de gênero na televisão foi o programa “Amor & Sexo”, comandado por Fernanda Lima. Nesta última temporada, principalmente, a atração veio carregada de ainda mais discursos que, para Thammy Miranda, apenas reforçam a importância desta abordagem. “Só pelo fato de a imprensa estar querendo falar sobre isso, eu vejo que esses trabalhos artísticos estão dando resultado. Cada vez mais, esse é um assunto que está fazendo parte da vida das pessoas. E tem que ser assim mesmo: quanto mais a gente falar sobre isso, mais vamos tratar com naturalidade. Daqui a um tempo, esse não será mais um assunto que irá causar estranheza nas pessoas”, idealizou Thammy.

Enquanto isso, o ator segue seu caminho na luta por espaço e pelo reconhecimento da questão de gênero na sociedade moderna. Seja através da arte ou da política, Thammy Miranda contou que quer levar este discurso em diferentes microfones brasileiros. Na vida pública, por exemplo, ele que foi o segundo vereador de São Paulo mais votado pelo seu partido, mas não conseguiu se eleger, destacou a importância de um engajamento coletivo para alcançar os resultados. “Eu quero garantir saúde digna a todos os brasileiros. Mas eu sei que sozinho nunca vou conseguir nada. Por isso que eu digo que vou estar lá infernizando para que tudo nesse país funcione e a gente consiga ter uma vida melhor”, disse.

De maneira geral, Thammy Miranda contou que tem sonhos plurais para o futuro. Para ele, as realizações passeiam pelo campo pessoal, artístico e político, mas todos pautados pela felicidade. “Eu me enxergo um homem cada vez mais completo e realizado. Depois da cirurgia, eu comprovei que quando a gente está bem com a nossa intimidade, tudo parece ficar mais alegre. Para o futuro, eu só espero o melhor. Não gosto de definir nenhum projeto e nem dizer algo concreto. Eu mudo de opinião várias vezes e escolho caminhos diferentes para alcançar o meu objetivo”, contou o ator e político Thammy Miranda que, como sonho final, idealiza viver de sua arte e fazendo o bem a quem precisa.

Serviço: T.R.A.N.S. – Terapia de Relacionamentos Amorosos Neuróticos Sexuais

Temporada: de 31 de maio a 2 de julho, quarta a domingo, 19h
Duração: 75minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Ingressos: R$ 40 (inteira)

Local: Teatro Glauce Rocha
Av. Rio Branco, 179 – Centro – Rio de Janeiro
Capacidade: 202 lugares

Pesquisas relacionadas