Teatro & Pensata

Thaís Müller compra direitos da peça ‘Zoológico de Vidro’: “É um período difícil para as arte, mas preciso agir”

A atriz, que estreou na televisão aos sete anos, em "O cravo e a rosa", está no ar em "Topíssima" e divide seu tempo entre atuação, produção e moda. Vem saber!

Publicado em 11/06/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Karina Kuperman

Você deve lembrar dela como a pequena Fátima, irmã bastarda de Catarina, vivida por Adriana Esteves, em “O cravo e a rosa”, de 2000. De lá pra cá, Thaís Müller passou por elencos de tramas como “O quinto dos infernos”, “Kubanacan”, o humorístico “Zorra Total”, e, atualmente, vive a universitária Minha Flor em “Topíssima”, da Record. Além disso, formou-se em moda e montou sua própria grife, a Ladotê Ateliê. Pensa que acabou? Pois ela ainda tem mergulhado na produção e, recentemente, comprou os direitos da peça “Zoológico de Vidro”, que fez muito sucesso em 2009, com Cássia Kis como protagonista.

“É um período muito difícil para as artes no país. Mas, eu preciso agir. Se ficarmos parados, enquanto artistas, esperando o trabalho bater à porta, nada vai acontecer. Eu gosto de estar no palco, contar histórias, encantar as pessoas, e assim que eu li ‘Zoológico’, sabia que essa seria minha próxima produção”, conta a atriz, que já viveu a experiência da produção no espetáculo infantil “Missão Super Secreta”, no ano passado.

Thaís Müller está à frente da produção da peça “Zoológico de Vidro” (Foto: Vinicius Mochizuki)

Filha de artistas – o ator Anderson Müller e a atriz Marcela Muniz –, Thaís sempre soube que ser produtora também era uma forma de estar no palco. “Cresci vendo em casa, pelos meus pais, a dificuldade que nossa profissão pode oferecer. Eles são meus exemplos até nisso, porque os dois sempre se mexeram muito. Meu pai começou a produzir peças há bastante tempo e venho acompanhando a trajetória dele de perto. Foi assim que tomei coragem para começar esse novo projeto. Acho muito importante, enquanto artista, presente no palco, você sentir na pele tudo que passou para que aquilo ali possa estar acontecendo. Não é fácil, mas a conquista é tão linda, quando você está produzindo e atuando, que vale muito”, garante.

“Zoológico de Vidro” aborda o drama da queda de uma estrutura familiar. “É uma peça capaz de nos fazer perceber em tempos tão polarizados e violentos o que realmente nos constitui como indivíduo, que são o amor e as pessoas que amamos, seja uma família de sangue ou uma família de amigos. É uma história fácil de se identificar, me comoveu do início ao fim, e quero contar ela para o máximo de pessoas possíveis, e com isso espalhar um pouquinho de amor!”, adianta.

O espetáculo está em fase de captação de recursos e a ideia é encená-lo em 2020, começando por São Paulo, mas alguns nomes já estão confirmados, como, por exemplo, o de Clara Carvalho. “Eu admiro demais a Cássia Kis, que fez essa peça em 2009. Seria uma honra trabalhar com ela, mas nosso projeto já está em andamento para estrearmos o mais breve possível e, no papel, está uma das principais atrizes do teatro paulistano e que eu admiro tanto quanto”, explica, referindo-se à Clara.

A atriz está no ar em “Topíssima”, da Rede Record (Foto: Vinicius Mochizuki)

No ar na reprise de “O cravo e a rosa“, no canal Viva, Thais conta que ainda é muito abordada nas ruas por conta da pequena Fátima. “É impressionante como as pessoas amam essa novela. Sou suspeita, mas é realmente umas das melhores obras de todos os tempos! Gravamos em 2000, já reprisou inúmeras vezes e as pessoas não cansam de assistir. E que continue assim, com todos mandando mensagens nas redes sociais sobre a Fátima, que é uma personagem pela qual eu tenho muito amor”, diz ela, que, ao todo, está há 20 anos na TV e quase 25 na carreira. “Só tenho a agradecer a essa profissão que fez parte de toda minha vida, onde cresci, virei mulher e que me ensinou princípios que levo para vida. Sou atriz desde que me entendo por gente, e tenho certeza que sou muito privilegiada por poder fazer o que eu amo”.

Thaís Muller viveu a pequena Fatima em “O cravo e a rosa”, em 2000 (Foto: Reprodução/Instagram)

Apesar disso, Thais ainda sonha com conquistas. Interpretar uma vilã, por exemplo, está na sua lista de desejos. “Acho que é o sonho e desafio de toda atriz”, reflete ela, que pensa em trabalhar com vários nomes que têm um lugarzinho especial em seu coração: “É tanta gente! Ao mesmo tempo, tenho sorte de já ter trabalhado com outros que admiro. Mas tem um ator que vem imediatamente na minha cabeça, que sou fã de cada trabalho dele, é o Jesuíta Barbosa“, aponta.

Em paralelo, Thais formou-se em design de moda, e, atualmente, comanda uma marca e, além disso, acabou se tornando figurinistas de diversas produções. “Sempre pensei em fazer uma faculdade diferente do que eu já exercia, como uma boa virginiana que pensa sempre no primeiro, segundo e terceiro plano. Quando fui prestar vestibular, comecei a ler sobre todas as oportunidades que eu tinha, e me apareceu o design de moda. Não pensei duas vezes, pois sempre foi algo que me identifiquei também, além da carreira de atriz. Durante a faculdade eu me apaixonei pela moda, e decidi abrir minha própria marca. Foi assim que nasceu a Ladotê Ateliê que, hoje, é uma label de camisaria unissex para todxs”, conta ela, que tem uma loja no Rio e outra em São Paulo e vende peças pelas redes sociais.

Thaís também é formada em design de moda e abriu sua própria marca (Foto: Vinicius Mochizuki)

“Hoje, levo as minhas duas profissões juntas, com a mesma importância. Claro que tem momentos que preciso dar atenção mais para uma, como agora que estou fazendo a novela ‘Topíssima‘, mas nunca deixo a outra de lado. São duas paixões na minha vida. E por causa disso, acabei me tornando figurinista também, já assinei oito produções teatrais e acabei de rodar meu primeiro longa ‘O meu é meu, o seu é nosso’, com estreia prevista para o início do ano que vem, no qual eu atuo também”, explica ela, que vive uma mocinha nada convencional na história que estreia em 2020.

Pesquisas relacionadas