Teatro & Pensata

Nathalia Timberg vive o ícone fashionista Iris Apfel na peça “Através da Iris”: “Admiração muito grande pela inteligência dessa mulher”

Na estreia para convidados, amigos e admiradores de Nathalia Timberg, como Betty Faria, Marcos Caruso, Vera Fischer, Ana Paula Araújo, Carlinhos de Jesus, deram boas risadas com o texto sagaz de Cacau Hygino

Publicado em 15/10/2018 | Por Vanessa Cutrim

A figura fashionista, pop e colorida de Iris Apfel, está sendo representada com autenticidade por uma das divas da dramaturgia brasileira, Nathalia Timberg, no Teatro Maison de France, centro do Rio, desde a última quinta-feira (11). “Através da Iris” é uma espécie de documentário cênico, em que Iris é entrevistada na sala de sua casa, e desabafa sobre a carreira, criatividade, moda, idade, tecnologia, liberdade de expressão, e a cidade que nasceu e tanto ama, Nova York.  

“Atréves da Iris” é uma homenagem a Iris Apfel e aos 90 anos de Nathalia Timberg (Foto: Rodrigo Lopes)

“Eu não tenho medo dos excessos”, diz a personagem no primeiro ato do espetáculo. “Através da Iris” evidencia essa exuberância do ícone pop de 97 anos em vários aspectos: no figurino com cores vibrantes e pomposo, nos objetos barrocos extravagantes, nas obras de arte que compõem o cenário, e em sua marca, claro, os óculos gigantes. “Mais é mais, menos é chato”, frase característica de Apfel, é realmente levada ao pé da letra na direção de Maria Maya, e no texto de Cacau Hygino.   

O monólogo é apresentado dentro de uma caixa vazada por janelas, com projeções cênicas assinadas por Rico Vilarouca e Renato Vilarouca, que atravessam o tempo todo a cena. Apesar do humor ácido ser a essência do solo, também teve aquele momento de tirar o lencinho da bolsa. O clímax acontece quando Apfel interage com um vídeo do marido e parceiro de anos de trabalho, Carl Apfel, que morreu em 2015. Quem teve a honra de interpretá-lo nessa participação especial? O diretor do Teatro Maison de France, Cedric Gottesmann. 

O cenário da peça é assinado por Ronald Teixeira (Foto: Rodrigo Lopes)

A atriz, depois do espetáculo, usava um colar com uma coruja de pedrarias, enviado direto de Nova York, e feito especialmente para ela. Um presente da própria Iris, com seu estilo arrojado e cheio de personalidade. Nathalia Timberg conversou com o site HT sobre viver a fashionista nos palcos. “O encantamento todo de fazer a Iris, é porque temos temperamentos opostos e isso me instiga. Tenho uma admiração muito grande pela figura e inteligência dessa mulher, por tudo que construiu. Existe essa parte que todos conhecem, que é a Iris do universo da moda, e ela ama essa posição, mas ao mesmo tempo, ironiza tudo isso. Cada personagem que a gente faz, nós entramos a fundo para tentar entender esse ser humano, isso costuma nos enriquecer. Tenho certeza que sairei renovada dessa experiência”, revelou. A peça também abre as comemorações pelos 90 anos da atriz, que se completam em agosto de 2019. Apesar de já ter feito inúmeras peças, o friozinho na barriga ainda continua. “Na estreia hoje, eu senti que ainda tenho muito por fazer. Olhando para trás, poder ter tido a sorte de continuar nessa minha escolha…A vida me deu um retorno maravilhoso: estar mergulhada na arte”, refletiu.  

Este slideshow necessita de JavaScript.

Betty FariaMarcos Caruso, Armando Babaioff, Vera Fischer, Tuca AndradaAna Paula AraújoDébora Olivieri, Érico Brás, foram alguns dos nomes que marcaram presença na plateia. Caruso, não poupou elogios à artista. “Eu acho um privilégio ser espectador do trabalho da Nathalia, aprendemos muito com ela. É uma grande mestra, com muitas ferramentas. Nós atores, temos esse olhar crítico, então percebemos onde ela busca as emoções. A peça é como se fosse uma aula magna”, disse. Betty Faria, também recomendou o espetáculo. “Estou muito contente de ver a Nathalia com quase 90 anos no palco. Sou colega de trabalho, amiga e admiradora. O texto do Cacau é muito engraçado e a direção de Maria Maya é deslumbrante”, elogiou. Quem também adorou o monólogo, foi a atriz Vera Fischer, fã da fashionista, e da atriz. “Ela sempre foi uma referência teatral e dramática para mim, que sempre quis seguir, por também me considerar uma artista de drama. Hoje, eu vi uma Nathalia menina, fazendo humor, e falando de moda, de uma forma sublime. Ainda retratando uma pessoa que admiro muito, e sei tudo, que é a Iris Apfel. A direção é muito moderna e inspirada, fiquei apaixonada”, expôs.  

Maria Maya. Nathalia Timberg, Cacau Hygino e Michel Blois agradecem ao público no fim do espetáculo (Foto: Vera Donato)

O trabalho de pesquisa para o texto de “Através da Iris” foi intenso e durou cerca de dois anos. Cacau Hygino queria trazer toda a vivacidade, bom humor e liberdade de Iris Apfel aos palcos, pois foram as principais características que chamaram sua atenção nela. “Quando eu vi essa personagem moderna de 90 e poucos anos, com uma vitalidade única…Não encontramos mulheres assim sempre. Ela sai todo dia, olha as amigas, viaja para o Japão. Além de ter essa bagagem de vida super interessante”, contou. Quando Cacau teve a oportunidade de conhecê-la pessoalmente, teve a certeza que queria construir esse universo. A artista, inclusive, vai assistir ao espetáculo em janeiro do próximo ano, quando estiver em temporada na cidade de São Paulo. Essa semana, o autor embarca para Nova York para um encontro com a própria, e, vai levar toda a repercussão da peça.  

A peça fica em cartaz no Teatro Maison de France até dia 16 de dezembro (Foto: Rodrigo Lopes)

A escolha da Nathalia Timberg para dar vida à sua Iris foi inesperada. Cacau já conhecia a atriz, publicou em 2014, o livro “Nathalia Timberg – Momentos”, mas de início, não pensou em seu nome. “Um dia, ela sentou do meu lado, e estava com uns óculos gigantesNa hora, pensei: minha Iris Apfel”. E podemos dizer que caiu como uma luva. “Através da Iris” nos proporciona um banho de juventude e de pensamentos positivos. Imperdível!   

ATRAVÉS DA IRIS 

HORÁRIOS: quinta às 17h, sexta e sábado às 19h30, e domingo às 18h

INGRESSOS: R$ 80,00 e R$ 40,00 (meia)

VENDAS: www.tudus.com.br

DURAÇÃO: 70 min

CLASSIFICAÇÃO: 12 anos

TEMPORADA: até 16 de dezembro / Acessibilidade: aos domingos, intérprete de Libras, e uma vez ao mês, audiodescrição

LOCAL: Teatro Maison de France – Av. Pres. Antônio Carlos, 58, Centro 

Pesquisas relacionadas