Teatro & Pensata

Musical “Andança” chega ao teatro para coroar os 50 anos de carreira de Beth Carvalho. O site HT esteve lá!

A dama do samba esteve na plateia da pré-estreia e se declarou emocionada: “O espetáculo está nas mãos de gente muito talentosa”

Publicado em 10/09/2015 | Por Karina Kuperman

Beth Carvalho completou 50 anos de carreira em grande estilo. Nessa quarta-feira, 9, a cantora esteve na plateia do Teatro Maison de France para assistir ao espetáculo “Andança – Beth Carvalho, o musical”, que conta com texto de Rômulo Rodrigues, direção de Ernesto Piccolo e direção musical de Rildo Hora. Além disso, 23 atores e nove músicos sobem ao palco ao som de grandes sucessos como “Ainda é tempo de ser feliz”, “O show tem que continuar”, “Coisinha do pai”, “Vou festejar” e outros. “Dirigir um musical, e particularmente ‘Andança’, me emociona muito. Me arrepiei durante todos os ensaios. Não sei se a música me colocou nesse canal, mas foi um processo especial”, revelou Ernesto.

A dama do samba acompanhou de perto toda a produção do musical. O diretor contou que levou a montagem ao play de Beth. “Montei a peça em 14 dias. Fiz um rascunhão e com um mês de ensaio nós levamos a montagem para ela ver. Beth amou e se emocionou. Semana passada ela veio ver antes também e tivemos o aval da rainha”. Beth Carvalho não é chamada assim à toa. Ela, que revelou estrelas como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Fundo de Quintal e muitos outros, se declarou feliz com a montagem. “Foi muito emocionante assistir esse espetáculo tão bem feito. Eles conseguiram passar uma verdade incrível. O elenco é sensacional, as atrizes até se parecem comigo. O musical está nas mãos de gente talentosa”, disse, entre uma foto e outra de tantos fãs.

5930468

Beth Carvalho festeja 50 anos de carreira na plateia do musical que conta sua história (Foto: AgNews)

Entre os admiradores, um talento especial. Joyce Cândido, a voz atual do samba, fez questão de declarar que a cantora é uma de suas grandes inspirações. “Achei o musical emocionante demais. Sou apaixonada pelo repertório que a Beth gravou. Aprendi a cantar samba ouvindo essa mulher. Uma vez ela foi me ver em um show aqui no Rio de Janeiro e eu contei para ela que, na época que eu fazia faculdade de música, um amigo meu me levou uma fita cassete e me convidou para cantar em um show especial só com Beth Carvalho. Me apaixonei por aquele repertório com Nelson Cavaquinho, Cartola e tantos outros. Fiz esse tributo a ela com 18 anos e desde então nunca mais parei de cantar samba. Ela sabe disso. Toda reverência do mundo. Ela é a rainha do samba mesmo, descobriu todos os nossos compositores”, disse.

12009689_1054080074603156_218353844224352498_n

Joyce Cândido fez questão de posar com Beth Carvalho durante o musical (Foto: Reprodução/Instagram)

Joyce estava acompanhada de Roberto Pontes, produtor cultural de quem já falamos aqui, que, apesar de não ter uma ligação especial com o ritmo, se emocionou com o espetáculo. “Nunca fui entusiasta do samba como sou da bossa-nova, conheço os grandes clássicos, que sempre me cativaram pela questão ritmica e a cultura popular forte. Mas minha relação com o samba ficou mais aprofundada quando conheci a Joyce, ela me contaminou com essa paixão tão forte. Foi especial assistir do lado dela, porque eu sei que a Beth tem uma importância fundamental na trajetória da Joyce”.

A plateia contava com outros nomes estrelados como Totia Meireles,  Serjão Loroza, Mariana Xavier, JP Rufino e outros, que saíram emocionados do teatro. A sobrinha de Beth, Luciana Carvalho, que também é cantora e, há cinco anos largou a publicidade pela música e está lançando seu segundo CD, “Clara da Gema”, contou que a tia foi fundamental para a escolha. “Participei dessa história toda e me emociono demais. Minha tia me inspirou a ser cantora mais até do que a minha mãe, porque eu morei com ela e ia para o Cacique de Ramos, tocávamos violão, tudo inesquecível”. Serjão Loroza também tem Beth Carvalho como madrinha e disse que lembrou de sua infância durante a peça. “Desde criança escuto ela cantando e encantando. Eu sou do gueto e a Beth fez uma escolha pelo povo. Só a agradecer a ela por dedicar a vida à cultura, à arte, que ela faz tão bem”, declarou, emendando que a dama do samba se intitulou madrinha do Monobloco na época em que era o vocalista. “A partir daí ela virou minha madrinha também”. Totia Meireles, que assistiu ao espetáculo de uma das primeiras filas, confessou que chorou e se impressionou bastante. “Chorei ao ver a vida incrível dessa mulher tão forte. Conheci a Beth através do meu cunhado, lembro muito dela cantando ‘Folhas secas’, marcante. O elenco é de carinhas novas que cantam e atuam tão bem”, elogiou a atriz.

6627989

Mariana Xavier e JP Rufino estiveram no teatro para assistir ao musical “Andança”, que conta a história de Beth Carvalho (Foto: AgNews)

Rildo Hora passou uma longa fase se dedicando aos discos, mas, após o espetáculo, declarou que quer voltar a trabalhar com teatro. “Vou abrir uma vaga especial na minha agenda para esse povo tão talentoso. Que bom que começou com a Beth porque vai dar sorte”, disse ele, que é amigo pessoal da cantora há 40 anos. “Foi uma maravilha fazer essa peça com ela na plateia. É sempre ótimo estar com a Beth e hoje foi um dia completamente diferente, eu lá em cima sendo julgado pela minha rainha. Nós somos irmãos de lutas politicas e musicais”.

Stephanie Sérrat, que interpreta Beth Carvalho na juventude, declarou que ter um ídolo na audiência não é fácil. “Tentei não olhar para ela, porque não queria perder o foco. A nossa vontade é assistir a Beth nos assistindo”, definiu. Já Eduarda Fadini, que dá vida à Beth Carvalho madura, acredita que a energia da cantora alimenta os atores no palco. “Eu procurei buscar o olhar dela como um conforto, um apoio. Ela correspondeu. Beth é uma pessoa maravilhosa, tenho uma admiração enorme por ela, que é um marco não só do samba, mas da música brasileira. Uma figura marcante na memória emotiva de todos nós”, disse.

7444846

Serjão Loroza foi prestigiar Beth Carvalho e declarou que ela é sua madrinha também (Foto: AgNews)

Rebeca Jamir tem a difícil missão de interpretar Maria Bethânia em uma das músicas da peça. Ela declarou que, por estar afetivamente tão próxima de Beth Carvalho, vê-la na plateia não é pressão. “Fazer esse espetáculo contando a vida dela com essa equipe linda já é uma honra inenarrável. Com a presença dela é muito mais especial”, lembrou. Com seu intenso número de “Carcará”, a atriz emocionou todo o público. “Fazer a Maria Bethânia é uma emoção e uma responsabilidade muito grande. Sou nordestina e uma fã incondicional do trabalho dela. Cantar essa música que fala de nordestinos como eu é muito feliz para mim. Ter a oportunidade de homenagear esses dois nomes tão importantes é um presente, portanto. Ainda não conheci a Bethânia, espero conhecê-la. Vai ser um dia pra lembrar pro resto da minha vida, tamanha admiração humana e artística que eu tenho por ela”, declarou.

6134289

Beth Carvalho: emoção ao se ver retratada nos palcos (Foto: AgNews)

O diretor Ernesto Piccolo atribuiu o sucesso do espetáculo, que logo em sua pré-estreia foi aplaudido de pé antes mesmo da cena final, ao grande elenco. “Tenho cantores e atores com versatilidade incrível. Conseguimos brincar com esse jogo e emocionar as pessoas que é o que eu mais gosto do ofício. Para mim, o teatro consiste em uma boa equipe, um bom elenco e uma boa história”, declarou. Após o musical, podemos afirmar com certeza que ele tem tudo isso nas mãos.

Serviço:

ANDANÇA – Beth Carvalho, o musical

Teatro Maison de France – Avenida Presidente Antonio Carlos, 58 – Centro – RJ Tel: (21) 2544-2533

Horários: 5ª a sábado às 20h e domingo às 18h

Ingressos: 5ª e 6ª R$90,00 e R$45,00 (meia entrada); sáb. e dom R$100,00 e R$50,00 (meia entrada)

Temporada: 10 de setembro a 31 de janeiro de 2016

Pesquisas relacionadas