Teatro & Pensata

Em São Paulo, estreia VIP de “Raia 30 – O Musical” reúne familiares, amigos e admiradores de Cláudia Raia

Além do namorado Jarbas Homem de Mello, e os filhos Sophia e Enzo, a atriz também contou com a presença de Reynaldo Gianecchini, Nathália Dill, Eliana, Tiago Abravanel, Luiza Possi e mais

Publicado em 28/07/2015 | Por João Ker

* Por Junior de Paula

Como HT já contou aqui, Cláudia Raia está celebrando seus 30 anos de carreira da melhor maneira possível: com um musical, escrito por Miguel Falabella e dirigido por José Possi Neto. A estreia oficial do espetáculo está marcada apara a noite desta sexta-feira (31), no Theatro NET São Paulo, mas, antes disso, “Raia 30 – O Musical”, lotou o espaço nesta segunda-feira, com uma estreia VIP apenas para convidados. Com direito a tapete vermelho e traje de gala, a turma se produziu com looks dignos de noite de Oscar.

Por ali, a família toda de Cláudia, incluindo o namorado, Jarbas Homem de Melo, e os filhos Sophia Raia e Enzo Ceulari, a irmã Olenka, os sobrinhos, Kananda e Kaian, e a peça mais importante dessa engrenagem: Dona Odette, a matriarca da família Raia.  Do alto de seus 92 anos, ela fez questão de pegar a ponte-aérea para prestigiar a filha, se produzir como uma estrela que é, e ir aplaudir de pé o espetáculo. Claudia, aliás, ao fim da apresentação, bastante emocionada, pediu a palavra para dizer que tudo o que ela fez, faz e fará vai ser dedicado a Dona Odette. Coisa linda de se ver. Para quem não sabe, a mãe e a irmã de Claudia foram bailarinas e as duas são grandes incentivadoras e as pessoas que a introduziram ao universo do balé clássico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Raia 30 – O Musical” é um grande mergulho na trajetória de Claudia e, claro, serve de pano de fundo para as homenagens merecidas que devem ser feitas às pessoas que passaram pela sua vida profissional.  O coreógrafo americano Lennie Dale, que a encantou com o seu Dzi Croquettes, e o grande diretor de TV, Walter Clark, figuras primordiais no início de sua carreira, são reverenciados. Suas personagens mais emblemáticas da TV e do teatro também não são esquecidas. As passagens mais transformadoras de sua vida estão presentes: a ida para Nova York e o contato com os musicais e a arte de Bob Fosse, uma das grandes referências da atriz; a viagem para a Argentina e a experiência com o corpo de baile do Teatro Cólon; a estreia em “Chorus Line” e a entrada no mundo televisivo.

Outro grande momento da carreira de Claudia é retratado no espetáculo: sua passagem pelo teatro de revista, formato da trilogia que a consagrou no musical brasileiro nos anos 90: “Não fuja da Raia”, “Caia na Raia” e “Nas Raias da Loucura”. Para ajudar a narrar a própria história, a artista conta com a ajuda do grande companheiro e um dos mais importantes atores de musical do país, Marcos Tumura, com quem divide o palco em “Raia 30 – O Musical”. “As nossas carreiras acabam se misturando com a vida real, mas eu não gostaria de transformar esse show num confessionário, muito menos numa pornochanchada, já que, graças a Deus, eu nunca fui santa”, brinca Claudia, vestida de si mesma, ainda nos primeiros minutos de espetáculo.

Na plateia também, para delírio da imprensa que estava em peso por lá, alguns amigos mais próximos da superestrela, como Reynaldo Gianecchini e Nathália Dill, que foi acompanhada de Sérgio Guizé, e outros nomes como Eliana, que causou alvoroço durante sua chegada, Tiago Abravanel, Giovanna LancellottiLuiza Possi, Fause Haten, Julio Rocha e David Brazi, entre outros. 

Gianecchini – que ficou amigo de Claudia em “Belíssima” e consolidou ainda mais a relação entre eles durante o processo de recuperação de seu câncer, no qual, como ele conta em biografia, a amiga foi essencial para a sua recuperação – foi um dos primeiros a chegar e se acomodar na plateia do Theatro Net paulistano. Simpático, conversou com os jornalistas sem cerimônia sobre seu personagem em “Verdades Secretas” e as faladas cenas de sexo. “As minhas são mais bagaceiras, mais quentes, com uma pegada mais forte, diferente da estética cool das do Alex, personagem do Rodrigo Lombardi, que é um cara rico e tem aquela luz incrível do apartamento. As cenas parecem cinema”, contou Gianecchini.

Para ver quem mais passou por lá, é só seguir a seta da nossa galeria:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas