Teatro & Pensata

Agenda Cultural: Baseado em fatos reais, espetáculo ‘Alices’ fala sobre violência contra mulher e a omissão dos fatos por parte das vítimas. E tem ainda lançamento no cinema, shows imperdíveis e mais!

Não sabe o que fazer no fim de semana? A gente ajuda: tem o novo Piratas do Caribe nas telonas, pic nic na Lagoa, shows para todos os gostos e outras tantas opções. Vem!

Publicado em 26/05/2017 | Por Ana Clara Xavier

Maria Islaine de Morais, de 31 anos, estava trabalhando em um salão de beleza na cidade de Belo Horizonte, quando foi surpreendida pelo ex-marido que a matou com sete tiros. A vítima já havia registrado oito boletins de ocorrência contra o rapaz e, mesmo assim, nada foi feito. Isto aconteceu em 2010, mas poderia ter ocorrido ontem mesmo, porque a violência contra as mulheres ainda é um assunto recorrente. Abalado com a notícia, o roteirista Jarbas Capusso Filho escreveu a peça Alices que está em cartaz no Teatro Leblon com direção de Leo Gama. A história gira em torno de uma personagem inspirada em Maria Islaine vivida pela atriz Carolina Stofella e uma prostituta que ficou cega depois de ter sido espancada por um cliente, com atuação de Mitzi Evelyn. Ambas, ao longo do espetáculo, falam sobre tudo que sofreram como um grande desabafo. “O texto é bem lúdico, gosto da forma como a história é contada, porque ele não levanta uma bandeira, simplesmente conta o que aconteceu através de duas personagens inventadas, em cima de um espaço concreto, porque vivemos o assédio todos os dias. As mulheres se identificam muito com a força das duas personagens, pois a gente fala sobre a dificuldade dessas pessoas de se expor e falar sobre o tema. Não queremos botar o dedo na ferida, mas acaba acontecendo porque é um assunto forte”, conta Mitzi.

Carolina Stofella e Mitzi Evelyn em cena durante o espetáculo (Foto: Lolla Rosa

Durante a produção da peça, o texto foi alterado algumas vezes devido a quantidade de pesquisa feita pela atriz e sua colega de trabalho, Carolina. As duas mudaram a narrativa de forma que ficasse cada vez mais verídica. “Foi intenso trabalho de pesquisa. Nesse processo todo colocamos formas que achamos mais plausível e, com isso, deixamos a peça mais real. Além disso, quando a gente faz um espetáculo sempre colocamos um pouco da gente. Talvez, outra atriz mudasse o foco que eu usei, porque cada um tem a sua visão”, afirma. Já que vive uma pessoa cega, ela foi até o Instituto Benjamin Constant, que é um centro no Rio de Janeiro especializado no tema, para aperfeiçoar seu papel. “Queria saber como um deficiente visual se sente e como entende o mundo”, completou.

Além das mudanças no texto, o formato da peça também sofreu alterações. A preparação do elenco foi feita com Ana Abbott que inventou alguns elementos corporais para a peça. O diretor Leo Gama adorou e incrementou ao roteiro. “Fizemos um trabalho direcionado para que nós pudéssemos achar as Alices, que temos dentro de nós. O que fizemos foi além de abrir um script e decorar”, explica.

(Foto: Lolla Rosa)

A peça se chama Alices em homenagem as duas personagens que têm o mesmo nome. “Inclusive, no momento que elas descobrem isso, começam a se reconhecer uma na outra, além da história”, relembra. Mas as semelhanças não param por aí. O espectador, ao longo da peça, se dá conta que a as duas estão mortas por terem chegado ao extremo. “Mesmo falecendo, elas se reconhecem uma na outra, unem forças e, juntas, conseguem falar sobre tudo o que passaram com liberdade. A minha personagem, por exemplo, é prostituta, mas poderia ter qualquer outra profissão, pois não julgamos os valores. Tem uma dureza da vida dela junto ao romantismo e, apesar de tudo, tem um cuidado com a outra mulher como se fossem amigas. Nenhuma delas julga a outra por suas atitudes, há uma generosidade bem grande”, compartilha a atriz.

Apesar de todas as dificuldades que ambas passaram, em nenhum momento apontam o dedo para alguém criticando as atitudes. A ideia do autor vai além dessa discussão. “Elas não se vitimizam, a ideia é debater sobre o humano. Há um momento em que se perguntam quando uma pessoa se transforma em um assassino. O importante é perceber que elas precisam contar a história porque senão vão se sufocar com tudo que estava entalado a tanto tempo devido à falta de coragem em dizer a verdade”, conta.

(Foto: Lolla Rosa)

Esta omissão é um retrato da realidade, o objetivo é mostrar às mulheres que expor a violência é necessário para que a situação não ultrapasse os limites, como aconteceu com ambas. “As duas personagens chegaram ao extremo, aconteceu o pior. Queremos alertar para o que pode rolar se as pessoas não falarem. Em um momento, a gente fala que foram sete tiros e ninguém fez nada e essas pessoas são cumplices. Além de que, a própria mulher, às vezes, não identifica alguns sinais como uma violência”, critica Mitzi.

 

Baseado em fatos reais, espetáculo 'Alices' fala sobre violência contra mulher e a omissão dos fatos por parte das vítimas: "Um dos momentos mais lindos foi quando um grupo se levantou e começou a gritar ‘Nem uma menos’, no final de um show", contou Mitzi Evelyn

Carolina Stofella e Mitzi Evelyn vivem mulheres que faleceram por violência contra a mulher (Foto: Lolla Rosa)

Pensando em levantar ainda mais o debate, a atriz sonha em levar a peça para lugares mais afastados que não tenham um acesso tão fácil ao teatro. “A gente quer fechar parcerias com ongs, porque é um assunto que precisa ser falado. Estamos no começo, ainda”, afirma. Apesar da peça ter estreado na semana passada, no Rio de Janeiro, as pessoas já estão muito animadas com o projeto. Antes de vir ao espaço carioca, o espetáculo subiu nos palcos de Florianópolis com grande audiência. “A repercussão está maravilhosa, as mulheres estão abraçando muito o espetáculo. Estamos fazendo parceria com grupos que falem sobre o feminino. Um dos momentos mais lindos foi quando um grupo se levantou e começou a gritar ‘Nem uma menos’, no final de um show. Como artista eu quero que as pessoas se identifiquem e que a peça tenha um papel na sociedade”, relembrou a atriz, emocionada.

SERVIÇO | ALICES
Até 28 de junho
Terças e quartas, às 21h.
Teatro do Leblon – sala Marília Pêra (Rua Conde de Bernadote, 26 – Leblon)
Preço: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia)

Filmes

DÉGRADÉ – Toda a mulher sabe que o salão de beleza é o espaço perfeito para a fofoca. Esse reúne uma divorciada amarga, uma mulher religiosa, uma lunática viciada em drogas de prescrição e uma jovem noiva, entre outras. Mas o papo para por causa de tiros porque uma família roubou um leão do zoológico de Gaza. O filme é uma produção da França, Qatar e Palestina.

PIRATAS DO CARIBE – A VINGANÇA DE SALAZAR –  As aventuras do capitão Jack Sparrow (Johnny Depp) voltaram e, dessa vez, o vilão é o capitão Salazar (Javier Bardem), porque ele lidera um exército de piratas fantasmas assassinos e está disposto a matar todos os outros. Para sair dessa cilada, o capitão precisa encontrar o Tridente de Poseidon, na busca de controlar o oceano.

REAL – O PLANO POR TRÁS DA HISTÓRIA – Uma história que foi vivida por muitos agora vai para as telonas. Gustavo Franco (Emílio Orciollo Neto) é um crítico da economia que resultou em um quadro de hiperinflação. Ele não é a favor de políticas sociais, pois prefere que a moeda seja forte. O presidente Itamar Franco nomeia Fernando Henrique Cardoso (Norival Rizzo) como Ministro da Fazenda e Gustavo é convidado para participar do projeto que é criar o plano real.

 

Teatro

Oficina Sortida – Criada pela atriz Bianca Byington, a Casa Quintal de Artes Cênicas realiza a oficina nos dias 27 e 28 de maio (sábado e domingo) liderada pelos artistas Duda Maia, Janaina Azevedo e Michel Bercovitch.

Flyer Oficina Sortida (Foto: Divulgação)

Festival Cena Brasil Internacional  – É a sexta edição da festa que vai começar no dia 31, no CCBB e na Praça dos Correios, no Rio de Janeiro. Com espetáculos de teatro e dança, a mostra apresenta dez atrações no total, sendo de quatro companhias brasileiras e quatro estrangeiras, de três países: Alemanha, Itália e Japão.

Eventos 

TOM CAVALCANTE em STOMDUP – Ministério Da Cultura apresenta um dos comediantes mais engraçados do país com uma apresentação que promete deixar todos sem fôlego de tanto rir. A arte já passou por várias cidades do Brasil e reúne temas atuais do país e do mundo.  O evento vai acontecer nesta sexta-feira, às 21 horas, no Teatro Bradesco.

Tom Cavalcante se apresenta no Rio (foto: divulação)

TREE GEES – Glamour e estilo são ostentados na apresentação desse grupo, trazendo de volta para os anos 70. A banda que une os artistas Alex Sammarini, Paolo Amati, Franz Bancalari e Ezio Zaccagnini é super reconhecida na Europa e, atualmente, busca expandir ainda mais suas origens.  Já foi visto por mais de oitocentas mil pessoas em todo o mundo. A apresentação acontece dia 27, no Teatro Bradesco.

RENAISSANCE – É a primeira vez depois de cinquenta anos de carreira que a banda britânica pisa em solo tupiniquim. Ela vai passar pelo Rio, Niterói, São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte. É considerada uma das mais importantes bandas do rock progressivo com a voz de Annie Haslam. A turnê Songs for All Times reúne os maiores clássicos da banda. No Rio, o show acontece nesta sexta.

Disco da banda RENAISSANCE (foto: divulgação)

Pic Nic e Day Care na Lagoa – Neste sábado, às 10 horas, acontecerá um evento fitness organizado pela empresa Pronta Pro Sim na Lagoa, altura do Corte do Cantagalo. A ideia busca trazer novas opções para as noivas que buscam cuidar da saúde para o grande dia, mas que não estão conseguindo lidar com toda a correria. Pronta Pro Sim promove dia para cuidar da saúde com comidinhas fitness, aula de alongamento, teatro e massagem grátis fazem parte da estrutura que a empresa preparou para as noivinhas.

Feijoada da Alegria com Fundo de Quintal – Neste domingo, em Niterói, mais um evento da feijoada vai reunir os cantores Marquinhos Sensação e Marcelinho Moreira junto com o Fundo de Quintal, que, inclusive, vai apresentar novos integrantes.

Aniversário da Jeffrey e slap em festa de rua no Leblon – São três anos com uma loja no bairro mais chique do Rio de Janeiro, na rua Tubira. Neste sábado, a comemoração ao lado do selo Slap da Som Livre promete várias atrações como show da Maria Gadú, Outro Eu, Ana Canãs e alguns DJs. Food trucks, feira de vinil e cerveja não vão ficar de fora do evento.

Marcos Lessa se apresenta na Sala Baden Powell – O cantor que participou do The Voice fará um show em homenagem a Emilio Santiago, neste domingo, às 20 horas. O show recebeu o nome de ‘Tantas palavras’ e vai apresentar clássicos de Emílio ao lado de Saigon, Verdade Chinesa, Cadê Juízo, Flamboyant e Logo Agora. A melodia será acompanhada pela antiga banda do ídolo: Rafael Barata (bateria), Alex Rocha (baixo) Fernando Merlino (piano) e José Arimatéa (trompete).

(Foto: Chiquinho Gadelha)

Fashion Mix  – Celebrando o aniversário do Méier de 128 anos, o evento chega a segunda edição, que acontece neste final de semana.  A edição recebeu o nome de “Eu amo o Méier” e contará com 80 marcas de moda, além de stands com doces gourmets.

Festa no Marcio Mello Espaço Rio – Em Copacabana o salão completa um ano de funcionamento. Na semana que vem, todos que passarem por ali receberão um presente com várias promoções dentro. Além disso, serão sorteados kits com produtos Dom Bianco e chinelos. No sábado que vem, a partir das 18 horas, será servido um coquetel ao som da DJ Tatah Toscano, musa das baquetas.

Pesquisas relacionadas