Teatro & Pensata

“Abordamos a maternidade de maneira real e sincera”, diz Miá Mello sobre a peça “Mãe Fora da Caixa”

Prestes a voltar para o teatro com uma trama totalmente dedicada aos desafios de ser mãe, a atriz ainda falou sobre política, dificuldades financeiras na cultura e seus projetos futuros

Publicado em 05/07/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Iron Ferreira

A maternidade é um dos momentos mais preciosos na vida de uma mulher. É total devoção, onde as expectativas para o sucesso da gestação acabam interferindo na rotina de um casal. Depois do parto vem a criação, que talvez seja a parte mais desafiadora desse eterno processo. Inevitavelmente, ser mãe é uma missão complexa e prazerosa, cujos dilemas serão apresentados, através do prisma do humor, pela atriz Miá Mello na peça “Mãe Fora da Caixa”. Com estreia marcada para o dia 12 de julho, no Teatro Fashion Mall, a produção foi inspirada no livro homônimo da autora Thaís Vilarinho e adaptada por Cláudia Gomes.

Cláudia Gomes, Miá Mello e Thaís Vilarinho (Foto: Divulgação)

“O Pablo Sanábio, ator e produtor de teatro, adotou a Manoela há um ano. Isso inspirou muitas questões voltadas à paternidade. Ao buscar respostas sobre essas angústias e dúvidas, que são comuns, ele encontrou um perfil no Instagram chamado ‘Mãe Fora da Caixa’. Ele adorou a ideia e achou os posts muito interessantes, onde mães e pais trocam experiências e promovem o acolhimento. Posteriormente, ele descobriu que a criadora tinha acabado de escrever um livro com o mesmo nome. Com isso, ele decidiu adaptar a obra para o teatro. De cara, ele pensou em mim, por eu ser uma mãe bem atuante. Encontrarmos uma forma de falar sobre a maternidade de maneira real e sincera”, comenta Miá.

Embora o assunto tenha uma relevância recorrente, ainda existem muitos questionamentos que o envolvem. O sexo durante e após o período de gestação, por exemplo, ainda é um tabu. Tratar desse assunto com pitadas de humor pode ajudar a sanar dúvidas e desmitificar preconceitos. “Eu enxergo os acontecimentos da minha vida como uma grande comédia. Na hora, a gente sofre, sente, mas, depois, rir acaba sendo o melhor remédio. E foi isso que busquei levar para a peça. A minha intenção é a de abordar assuntos sérios a respeito da maternidade de maneira engraçada. Talvez assim o público absorva melhor o que está sendo apresentado. Pouco se fala sobre sexo na gravidez. Cada mulher é de um jeito e o tempo delas deve ser respeitado. Conheço mulheres que tiveram a libido aumentada e, outras, como eu, que não. É um momento delicado e geralmente o tesão diminui”, pontua Miá.

A atriz se mostrou tão animada com o lançamento do espetáculo que já está pensando longe. Segundo ela, é tão necessário bater nessa tecla que a possibilidade de levar esse conteúdo para outras plataformas e formatos a instiga: “Eu tenho muita vontade de fazer com que esse projeto extrapole os palcos. Eu ainda não sei exatamente como, mas de alguma maneira ele vai sair. É um assunto que vale uma ótima discussão. Seja através de um podcast, uma série ou um filme, é um tema que merece total atenção”.

Porém, nem tudo são flores. Assim como os desafios enfrentados com os filhos, colocar uma peça de teatro em cartaz também pode ser um parto. A falta de recursos econômicos quase prejudicou o andamento do projeto. A situação foi agravada pela decisão do atual governo federal de reduzir o teto da lei de incentivo à cultura. “Me sinto vitoriosa em estar em cartaz diante da desvalorização cultural no Brasil. Tivemos que mudar totalmente a forma de capitação de verbas, que foi toda pensada e produzida através das redes sociais”, comenta.

A atriz falou com o HT sobre a estreia da nova peça e ressaltou as dificuldades em conseguir patrocínio (Foto: André Wanderley)

Como se já não bastasse o desgaste com a maternidade, a mulher se defronta, diariamente, com preconceitos e descrenças acerca da sua capacidade profissional. Conversando com o site HT, a artista lembrou de quando foi diminuída, durante um curso teatral, por ser mulher e pela falta de habilidade em “saber mandar”. Situações como essa fazem com que ela defenda o feminismo de maneira legítima. “Tivemos algumas conquistas. É perceptível, mas ainda há um longo caminho pela frente. Acho essa luta muito válida e devemos mesmo gritar aos quatro ventos. Para atingirmos a transformação, precisamos ser radicais. Ou é uma porrada ou nada vai mudar. Só quem é mulher sabe o quanto o machismo incomoda e como ele interfere em todos os aspectos das nossas vidas”.

Conhecida pelo grande público através da sua personagem na franquia “Meu Passado Me Condena”, iniciada em 2013, onde atuou ao lado do amigo Fábio Porchat, ela exprimiu desejo em participar de uma sequência: “Temos um carinho muito especial pelo filme. Tanto eu quanto o Fábio conversamos várias vezes sobre isso e temos planos para um terceiro filme. Porém, a falta de tempo e os compromissos pessoais de cada um atrapalham no desenvolvimento do projeto. Estamos rumando para isso. Vontade não falta, acredito que ainda temos fôlego para mais um capítulo”.

Além dos palcos, Miá vem desenvolvendo, paralelamente, outros projetos na televisão e no cinema. Ainda sem data de lançamento, ela está confirmada no elenco do longa “O Troco”, uma comédia, em que irá dividir as telonas com Marcos Veras. A atriz também estará na segunda temporada das séries “A Vida Secreta dos Casais”, da HBO, e “Homens?”, do Comedy Central e da Amazon.

SERVIÇO:

Temporada: 12 de julho a 8 de setembro

Sexta e Sábado – às 21h00

Domingo – às 20h00

Local: Teatro Fashion Mall

Estrada da Gávea, 899 – loja 213 – Rio de Janeiro/ RJ

Ingressos: R$ 80 (inteira) R$ 40 (meia)

Classificação etária: Livre

Venda de ingressos na bilheteria de terça a domingo, das 15h às 21h

 

Pesquisas relacionadas