Moda & Beleza

Super no clima de verão, HT seleciona os 10 mandamentos de todo bom praiano e o que deve ser evitado à beira-mar

Espaços coletivos são sempre complicados. Quando eles envolvem pessoas seminuas e um calor absurdo então... Vem conferir!

Publicado em 05/01/2015 | Por Heloisa Tolipan

*Por João Ker

É verão, sei lá… dá uma vontade louca de ir para a praia, entrar no mar e combater o calor absurdo que tem feito no Rio de Janeiro, com essas temperaturas elevadas chegando à sensação térmica de 55ºC. Agora, não importa se no Posto 9 de Ipanema, nos beach clubs de Trancoso (que têm bombado, como viu aqui), na Enseada de Guarapari (como você também viu aqui) ou até  em Fernando de Noronha, algumas regras de “etiqueta” (elas também podem ser consideradas como bom senso) precisam ser seguidas.

Não, HT não está julgando você que leva seu sanduíche light de peito de peru para a areia ou você que prefere usar biquíni asa delta em pleno 2014. Há coisas muito piores que podem ser feitas em um ambiente coletivo como a praia e tudo o que queremos é dar aquele toque amigo para que você curta melhor o verão e deixe os outros na mesma vibe positiva. Então, se você é daqueles que não desgrudam de uma canga, um chinelinho de dedo e vive bronzeados, vem ver os 10 mandamentos do bom praiano:

(Foto: João Ker)

O calor escaldante do verão em Ipanema (Foto: João Ker)

1. Desapegue da sua caixa de som portátil: Todo mundo adora curtir um bronzeado com trilha sonora, isso é completamente compreensível. Mas do mesmo jeito que você não é obrigado a ouvir os adeptos do sertanejo com o alto-falante estourando Lucas Lucco ou Luan Santana, eles não estão nem um pouco interessados em ouvir seu tuntz-tuntz da fritação em plenas férias. A melhor saída, sempre, será o fone de ouvido.

2. Diga não à amônia:  Uma palavra para esse hábito: nojento. Ninguém na praia gosta de ver uma pessoa passando aquele creme branco no corpo com um pincelzinho, enquanto se bronzeia com a superfície da pele toda besuntada. O pior? As pessoas que acham bacana “tirar o excesso” no mar e acabam com a brincadeira do resto. Não, não, não.

3. Cuidado ao transitar:  Essa dica é ótima para crianças e vendedores, mas ainda assim é sempre bom reforçar. Você, pessoa eufórica que vive em uma propaganda eterna de Matte repleta de raios de sol e felicidade, por favor tome cuidado ao correr na praia. Não é nada bacana jogar areia na canga, no copo ou até no rosto do amiguinho que está deitado na dele, afim apenas de ler uma revistinha ou curtir um sol.

4. Não ostente: Como já deu para perceber e ficou claro na matéria sobre o Arpoador que você leu aqui, faz muito tempo que a praia não é mais lugar para ostentar jóias e maquiagem exagerada. Ainda assim, sempre existe aquele ser humano que adora exibir a garrafa de vodca Grey Goose para fora do cooler. Leve seu óculos de sol e seu bonezinho que já está ótimo. Aqui também cabem as pessoas que ostentam o relacionamento: tudo bem que ninguém resiste a um beijinho, mas praia não é lugar de pegação pesada. Até porque, os rapazes sempre têm aquele probleminha com a sunga que não é nada legal (ou é, vai saber).

Faça como Gisele: look total clean à beira-mar (Foto: Instagram Oficial)

Faça como Gisele: look total clean à beira-mar (Foto: Instagram Oficial)

5. Maneire nas brincadeiras aquáticas: Essa é aquela sugestão para manter a amizade. Nem todo mundo curte o amiguinho que joga água enquanto você está entrando no mar e tentando se acostumar com a temperatura. Ou quando você não quer se molhar e o coleguinha volta te dando aquele abraço salgado. Para os donos de jet skis: nada de ficar perto dos banhistas, faz favor! Pratique por sua própria conta e risco.

6. Não vá até o fundo do mar se você não sabe nadar: A chance de aproveitar a água para se refrescar é ótima, todo mundo entende. Mas é preciso prestar atenção e acreditar que aquela plaquinha de “Não entre, correnteza perigosa” é mais do que um enfeite. Se você não quer passar aperto ou o mico de a praia inteira ficar observando enquanto você é carregado pelo helicóptero de bombeiros, saiba seus limites.

7. Controle sua fantasia de Neymar: É lindo quando o pôr-do-sol está acontecendo e a beira-mar se enche de pessoas brincando de altinha em uma linha quase infinita no horizonte. Mas não é nada lindo quando você está conversando e, do nada, cai uma bola de futebol na sua cabeça. Ou quando quer caminhar na areia e aquela dupla de frescobol está interditando a passagem. Mais uma vez: saiba seus limites.

A turma do altinho embelezando a orla de Ipanema (Foto: Yago Barbosa)

A turma da altinha embelezando a orla de Ipanema (Foto: Yago Barbosa)

8. Não julgue o corpo alheio: A autoestima do brasileiro é algo que deveria ser analisada e estudada mais a fundo. É incrível como as pessoas se sentem no direito de apontar e criticar a fulana, porque ela está gordinha, muito peluda, magérrima, com celulite, estria ou o que for. Nenhum corpo é “perfeito”. Ou melhor: como HT já disse aqui,  todos os corpos são perfeitos e não há nada pior do que uma paranoia corporal em pleno verão.

9. Não se contente com o preço cobrado: Essa é dica de amigo, especialmente para quem vive no Rio $urreal. Vendedores de praia (incluindo a galera dos quiosques) tentarão cobrar os valores mais absurdos por cadeiras, barracas, Mattes ou sanduíches. Se decidirem que você tem cara de gringo ou turista, aí já é era. O que sempre funciona? Perguntar de volta: “E o preço para carioca que mora aqui e vem o ano todo?”. Eles nunca resistem e você ainda consegue um desconto esperto (apesar de sugerirmos sempre levar seu próprio alimento, por motivos de: salubridade).

10. ESTÁ EXPRESSAMENTE PROIBIDO DEIXAR LIXO NA AREIA: Regra clara, simples e para todo mundo sair ganhando. Se você está aproveitando ao máximo o seu verão no litoral, não há motivo estragar a praia, certo? Certinho. Leve sua sacolinha, coloque nela suas bingas de cigarro, seus copos vazios, seus pacotes de Cheetos e plásticos de sanduíche. Não é difícil, sua mão não vai cair e, assim, todo mundo consegue nadar e sentar na areia sem ser rodeado por tralha ou pombos famintos.

A calmaria da praia de Grumari (Foto: Yago Barbosa)

A calmaria da praia de Grumari (Foto: Yago Barbosa)

 

Pesquisas relacionadas