Moda & Beleza

Moda e história: Solange Knowles e Snoopy Dogg integram time estelar que conta a importância da calça 501 da Levi’s no cenário musical. Veja!

O episódio, que narra a estreita relação do modelo com a música, faz parte de uma série documental produzida para comemorar os 144 anos da calça e do denim no cenário da moda mundial. Em "O jeans 501: histórias de um original", a Levi's aborda outros quatro assuntos que fizeram parte da jornada do modelo, como a importância do Japão para o sucesso, a rebeldia dos anos 1950, a calça como uniforme de trabalho e, depois, como símbolo fashion e funcional

Publicado em 30/05/2017 | Por Julia Pimentel

Muito mais que uma grife antenada às tendências da moda, a Levi’s possui estreitas relações com outras expressões. Uma dessas, muito forte, por sinal, é a música, que faz parte da identidade da moda desde o seu lançamento, em 1973. De lá para cá, a Levi’s já esteve presente em importantes iniciativas e promoveu outros diversos projetos, como, inclusive, a Casa Levi’s, que no último mês agitou a cena cultural do Rio de Janeiro. Agora, esta relação entre a grife símbolo do denim e a música fica ainda mais clara com o último episódio do documentário “O jeans 501: histórias de um original”, que narra a importância do modelo de calça da Levi’s que foi a primeira roupa em denim da história da moda e que, depois de 144 anos, continua vivo e moderno no styling mundial.

Para contar a relação da Levi’s com a música tendo a 501 como protagonista, um time estelar foi escalado para esta narrativa. Para vocês terem uma ideia, Solange Knowles e Snoopy Dogg destacam a importância e a presença do modelo dentro da cena musical no documentário em comemoração aos 144 anos da calça. Este episódio, o quinto e último do documentário, traz ainda outros artistas ilustres, como Dwight Yoakam, Vince Staples, Kilo Kish, Amber Coffman e muitos outros.

Neste projeto audiovisual da grife, a Levi’s já passeou por outros quatro assuntos que também fizeram parte da trajetória da 501 na moda e na vida das pessoas. Como princípio, a marca destacou o uso da calça no ambiente de trabalho como uniforme escolhido por diversos profissionais, de mineiros de carvão aos designers. Depois, foi a vez de a Levi’s ressaltar a importância da estética da calça. Em um determinado momento, a 501 passou a ser adorada não só pela sua funcionalidade e qualidade, mas também pelo visual moderno e autêntico.

Com o sucesso e a unanimidade do modelo, veio o quesito rebeldia na trajetória da calça. Nos anos 1950, a 501 era o símbolo para as contraculturas e o uniforme mais amado daqueles que não concordavam com o panorama da época. Para completar a jornada, o quarto episódio do documentário “O jeans 501: histórias de um original” conta o boom que foi a chegada do modelo no Japão. Mais do que narrar o lançamento da calça nos anos 1950 em solo japonês, este capítulo da história também relembra o ápice do sucesso na década de 90 e da atual influência global da versão japonesa do estilo norte-americano.

Todo esse throwback narrado pela Levi’s reforça a importância da grife símbolo do denim na moda e no comportamento mundial. Como dissemos, mais do que uma marca de roupas, a Levi’s é uma representante de relacionamentos através da música, da arte e da história. E ter essa importância plural não é uma tarefa fácil. Unanimidade entre diferentes gerações e importante personagem da história da moda, a calça da marca já foi usada e celebrada por diferentes personalidades, de ex-presidente ao super estilista Yves Saint Laurent, que, inclusive, comentou a criação do modelo e do denim pela Levi’s. “Eu gostaria de ter inventado o jeans. Eles têm expressão, modéstia, sex appeal, simplicidade – tudo o que espero em minhas roupas”, disse o estilista certa vez.

Solange Knowles é uma das personagens do quinto episódio do documentário da Levi’s (Foto: Divulgação)

Em todos esses anos, a 501 coleciona memoráveis e lendárias histórias em sua jornada. Desde 1973, quando foi criada, a calça já foi considerada o “uniforme da liberdade” da geração hippie, produto do mercado negro para os jovens do bloco leste na época do Muro de Berlim e até melhor item de moda do século XX, ficando à frente da popular minissaia e do tradicional tubinho preto. Além de tudo isso, a 501 também já esteve presente em importantes momentos da música e do cinema mundial. Em 1957, por exemplo, Elvis Presley adotou o modelo da Levi’s como item indispensável de seu guarda-roupa em shows e filmes. Anos mais tarde, Mick Jagger escolheu vestir Levi’s na capa do álbum “Sticky Fingers” do Rolling Stones, que foi assinada por Andy Warhol, e Bruce Springsteen no disco “Born in The USA”.

Assim, há 144 anos, a Levi’s continua viva escrevendo e ressaltando a sua importância no mundo da moda. Além de viver do passado glorioso, a marca ainda se preocupa em renovar sua identidade a todo momento. Atenta aos novos desejos e às tendências do mundo da moda, a grife recria o modelo a cada estação e o mantem sempre atual, sem abandonar a história centenária.

Pesquisas relacionadas