Moda & Beleza

Gucci transforma a Abadia de Westminster em palco de desfile de moda pela primeira vez na história. Vem saber tudo!

Sob comando de Alessandro Michele, a marca desfilou sua linha Cruise 2017 em uma locação histórica que já abrigou casamentos e coroações da monarquia inglesa. “Westminster é um pedaço da energia dessa cidade. Algo que o mundo contemporâneo tem esquecido”, disse o designer

Publicado em 02/06/2016 | Por Karina Kuperman

Misture punks, era vitoriana, um quê de Geri Halliwell – das Spice Girls – e os schoolboys ingleses e o resultado é… uma coleção que a rainha Elizabeth amaria. A Gucci desfilou sua Cruise 2017 na Abadia de Westminster, em Londres, e provou que não só de palácios se faz um desfile cool. Enquanto as modelos cruzavam os 30 metros da rua se equilibrando de saltos em cima de paralelepípedos, Alessandro Michele provou que não pára. Há pouco mais de um ano no comando da grife, ele conseguiu a proeza de levar o primeiro desfile de moda ao local que já abrigou casamentos importantes – como o da rainha Elizabeth, da princesa Diana e de Kate Middleton, e coroações da monarquia britânica. “A história desse lugar é realmente cool. Westminster é um pedaço da energia dessa cidade. Algo que o mundo contemporâneo tem esquecido. É uma nova e excitante colaboração para nós”, declarou o designer ao “Evening Standard”.

abadia

A Abadia Westminster foi palco do desfile Cruise 2017 Gucci (Foto: Reprodução/Instagram)

Tratando-se da primeira vez que o cartão-postal da cidade foi palco de um desfile de moda, lógico que o show foi um acontecimento à parte. Havia muita oposição de algumas figuras religiosas, mas Michele não se intimidou e alinhou bancos com almofadas de veludo verde esmeralda estampadas com prints da coleção – entre cobras, insetos e gatinhos – e nomes dos convidados impressos. O coro Schola Cantorum Oxford deu o tom musical com a melodia Scarborough Fair, que ecoava através do local e fazia fundo para uma passada lenta das modelos – quase que em ritmo de procissão religiosa.

Vale lembrar que, há apenas três temporadas à frente da criação da Gucci, Alessandro Michele já conseguiu outros feitos admiráveis: criou a bolsa Dyonisus – uma das it-bags mais cobiçadas da atualidade –, lançou a tendência genderless que, há algum tempo, permeia todas as coleções – e, claro, não ficou de fora nesse desfile – e despertou as atenções para a geração Snapchat, que, aliás, foi comandado pela atriz e cantora Soko na manhã dessa quinta-feira, 2. Ela encheu todas as redes sociais da marca de selfies e fotos de estrelas como Alexa Chung e Belle Powley.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Voltando ao desfile: a arquitetura gótica local contrastou perfeitamente com as roupas coloridas que representavam diversas tribos inglesas. Golas, mangas e babados da época vitoriana ganharam ar de modernidade com xadrez, coturnos, botinhas rocker e spikes que traziam referências punk – movimento que, esse ano, completa 40 anos e ganhará uma enorme homenagem na cidade. O símbolo da bandeira britânica apareceu estampado em tricôs estilo vintage brittania. “Todo mundo tem essa ideia de Londres cool, mas, para mim, é seu aspecto histórico que é realmente cool”, declarou Michele.

A estética geek fashionista provou, mais uma vez, que o designer não tem medo da mistura ousada de estampas e texturas e as peças mais “básicas” eram t-shirts e suéteres com estampas de animais. A it-bag inspirada nos jardins de Londres prometem ser o objeto-desejo das fashionistas nas próximas temporadas. Saias mídi, jumpers de malha, lenços na cabeça e mocassins completaram o mood londrino da coleção. Belíssima homenagem, não? Veja mais detalhes da coleção na galeria abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas