Moda & Beleza

Formada pelo SENAI CETIQT e à frente da grife Wasabi, Daniela Sabbag lembra das experiências da época de faculdade e dá dica para a próxima geração de fashionistas: “O essencial é estudar e abrir os horizontes”

A empresária e estilista decidiu estudar moda e, durante a faculdade do SENAI CETIQT, descobriu o interesse pela criação. "Era uma profissão que eu não imaginava seguir porque não sabia que tinha esse talento, mas as aulas me mostraram isso"

Publicado em 29/03/2018 | Por Julia Pimentel

A busca por um sonho profissional e uma realização pessoal muitas vezes não segue uma lógica. Por aí, diversos exemplos provam que nem tudo é facilmente explicado. Um desses casos é o de Daniela Sabbag, que trocou a carreira de advogada pela paixão pelo mundo fashion e hoje é empresária e nome por trás da Wasabi. A marca de moda feminina, radicada no Rio de Janeiro, é fruto de uma vontade que começou ainda nas salas de aula, no SENAI CETIQT da cidade. Foi lá que Daniela conheceu a sócia, Ana Wambier, e formou todo seu aparato teórico e prático para se jogar no mercado fashion. “A Wasabi só nasceu porque eu encontrei uma sócia no SENAI que me convenceu que tínhamos que criar uma marca juntas. Quando tiramos do papel, eu via como algo despretensioso e pequeno. Hoje, nós temos outras tendências para o negócio”, contou.

Leia também: Em busca de um mercado mais inteligente e competitivo, SENAI CETIQT promove MBI em Confecção 4.0 para propagar conceito do futuro no setor: “Essa é uma tecnologia viável”, afirma gerente de educação

Com quase sete anos de história e uma loja no Fashion Mall, em São Conrado, a marca é a tradução prática de todo o conhecimento que a dupla adquiriu durante o curso de Moda do SENAI CETIQT. No entanto, como lembrou Daniela Sabbag, o interesse pela faculdade era visto como uma outra opção de carreira em sua vida. “Já tinha me formado em Direito, mas quis mudar completamente o meu rumo. Como a moda era uma área que me atraia, resolvi estudar. E, quando entrei na faculdade, me apaixonei pela criação. Era uma profissão que eu não imaginava seguir porque não sabia que tinha esse talento, mas as aulas me mostraram isso”, lembrou a empresária que, entre as opções no Rio de Janeiro, escolheu o SENAI CETQT pela “relevância” do sistema de ensino. “Eu fiquei encantada pelo Campus e pelo fato de, lá dentro, nós termos todo um ciclo de criação, desde a indústria têxtil até modelagem”, destacou.

Leia também: União de forças: SENAI Cetiqt faz parceria com a Abit e apresenta no Inspiramais Planta da Confecção 4.0 que promete revolucionar o consumo e a produção de moda

Daniela Sabbag e Ana Wambier, sócias e ex-alunas do SENAI CETIQT (Foto: Reprodução)

Durante os anos de estudo, Daniela Sabbag contou que se dividia entre a parte teórica e prática das aulas da faculdade e, como afirmou, sem preferência entre uma ou outra. “Eu sou uma pessoa muito prática. Para mim é fácil colocar a mão na massa, mas eu gosto de ler sobre tudo. Então, a parte teórica da faculdade, que me apresentou esse mundo do design, foi muito importante. Culturalmente, eu comecei a ver a moda como um processo social”, explicou ela que, quando associou as duas áreas em sua marca, criou um conceito artsy para a Wasabi. “Essa ligação da marca com as artes plásticas nasceu bem no começo porque percebemos que era algo natural para a gente. A Wasabi tem um conceito muito autoral. É claro que a gente se guia pelo que o mercado de moda considera tendência, mas dissolvemos tudo isso. Nós temos uma forma no produto e nas estampas que segue um gosto próprio da marca”, pontuou.

Leia também: Inspiramais – em janeiro, evento da Assintecal apresenta o futuro: a Planta de Confecção 4.0, tecnologia da Abit e SENAI Cetiqt que mapeia as medidas do corpo humano

No entanto, mesmo com esta pegada, Daniela ressaltou que segue atenta às demais demandas do mercado de moda. “Temos duas coleções por ano, uma loja com ritmo comercial e uma rotina bem acelerada”, detalhou ela que, com sua marca, quer destacar o protagonismo e a personalidade feminina. “Como a gente quer empoderar as mulheres e colocar luz sobre elas, acreditamos que nossas roupas precisam de um tom relevante, como volumes em locais não tão normais, por exemplo”, citou.

Leia também: Educação e empreendedorismo fecham debates no SENAI Cetiqt e coordenador do curso de moda apresenta Confecção 4.0: Em pouco tempo, todos os corpos serão mapeados”, garante Marco Aurélio Lobo

Coleção da Wasabi, marca de Daniela Sabbag que nasceu durante a faculdade de Moda no SENAI CETIQT (Foto: Reprodução)

Entretanto, todo este conhecimento de Daniela Sabbag como empresária e estilista é consequência de sua experiência no mercado de moda. Segundo ela, se jogar para além das aulas é fundamental para a construção de uma trajetória de sucesso. E foi isso o que ela fez após garantir seu diploma no SENAI CETIQT. “A moda é um mercado muito concorrido, com trabalho duro e muita dedicação. É necessário talento, mas também perseverança e consistência. Então, para qualquer pessoa que sai da faculdade é importante tentar se expor ao máximo em bons lugares de trabalhos e estágios para se exercitar como um todo”, defendeu.

Mas atenção! A empresária acredita que este momento de explorar o mercado fashion precisa ser feito após o período de estudo. Para ela, é fundamental que os anos de faculdade sejam usados para adquirir todo conhecimento teórico e, assim, garantir bagagem para o futuro. “O tempo que mais temos para estudar é durante a faculdade. É muito importante a gente saber o valor desse período de estudo. Talvez seja o único momento na carreira de uma pessoa em que ela poderá ler todos os livros que quiser e fazer todas as pesquisas”, disse.

Como empresária e estilista, Daniela destacou a importância de aproveitar o período de estudo para se dedicar a livros e pesquisas (Foto: Reprodução)

E, se Daniela Sabbag tivesse que dividir sua experiência com os alunos do SENAI CETIQT, assim como ela foi um dia, a principal dica está relacionada às economias. “Não precisa gastar dinheiro com roupa. Isso não é importante durante a faculdade. O essencial é estudar e abrir os horizontes. E, para quem quiser abrir sua própria marca, explore antes o mercado, trabalhe um pouquinho e se exercite como empregado”, disse a empresária e estilista Daniela Sabbag da grife Wasabi que há sete anos põe em prática o que aprendeu nas aulas do SENAI CETIQT. Adoramos!

Pesquisas relacionadas