Moda & Beleza

Em menos de 24 horas no Rio, Rihanna já se torna o centro das atenções

Depois de ser tietada por Anitta, a popstar foi a à festa VIP "Atelier World Tour", no Círculo Militar da Praia Vermelha, e HT conta tudo o que aconteceu por lá

Publicado em 12/07/2014 | Por Alexandre Schnabl

*Por João Ker

O Rio de Janeiro tomou um susto e virou o rebu no meio da tarde desta sexta-feira (11/07). Sem anúncio, sem tweet e sem nenhuma informação vazada para a imprensa ou para sua fan base, eis que Rihanna desembarca na cidade em toda a sua glória e vestida de Adidas dos pés à cabeça. Como se a capital fluminense precisasse de mais um motivo para atrair a atenção da mídia internacional, né?

De repente, os tweets e comentários hilários e incessantes da extinta @badgalriri sobre os jogos da Copa do Mundo fizeram sentido. A cantora de Barbados aterrizou na capital para poder assistir à final do campeonato e, continuando uma parceria bem sucedida que começou no ano passado, foi direto para o Hotel Budweiser. No melhor estilo Riri e sem Instagram, a embaixadora de Barbados não esperou nem meia-hora para postar foto com balde de cerveja e virar tranding topic na capital.

No início da noite, chega à internet a primeira leva de manchetes estreladas por ela. Rihanna estava saindo para jantar quando foi assediada pela já habitual multidão de fãs que ficam a postos nas entradas de hotéis. Mas, dessa vez, uma estrela nacional estava ali perdida entre a horda de adolescentes desesperados: Anitta, com celular em riste, saiu do seu posto de poderosa e encarnou a sua melhor roupa de “gente como a gente” para tietar a popstar. Depois de ser solenemente ignorada e virar meme instantâneo, a menina mereceu os parabéns pelo esforço: conseguiu seguir Rihanna até a  Fogo de Chão, em Botafogo, onde finalmente tirou a tão almejada foto com sua ídola. No Instagram, ela confessou que desceu do salto e foi mesmo “a sua vez de ser fã”, enquanto chamava Riri de “inspiração” e “sua maior referência”. Tudo bem, Anitta, a gente já desconfiava e super te entende, não há motivos para vergonha.

Ao sair da churrascaria, estava na hora da cantora de Diamonds fazer sua segunda parada na noite carioca, quando chegou sem aviso na Atelier World Tour, no Círculo Militar da Praia Vermelha. Coincidentemente, HT estava por lá e pôde conferir tudo o que rolou do momento em que a estrela chegou à Praia Vermelha até a hora em que ela saiu da festa. E olha, Rihanna é destruidora mesmo. O clima blasé que predominava entre o público meio desengajado mudou de uma hora para outra e, de repente, um burburinho aqui e ali começou a crescer. Era a estrela de Barbados que havia chegado com uma trupe de seguranças e amigos íntimos – dentre os quais estavam sua fiel escuderia/fotógrafa/stylist/amiga pessoal Melissa Forde – e se instalou diretamente em um camarote exclusivo.

Riri ficou ali curtindo o som e dançando com suas amigas, bem protegida dos flashes que eram proibidíssimos perto da cantora e vestindo um macacão preto com batom vermelho. Fãs e admiradores que tentavam se aproximar para pedir uma selfie não tiveram a sorte de Anitta e ouviram a mesma resposta dos seguranças: “Ela não quer foto, não deixou nem o fotógrafo da casa fotografá-la”. Ok, Riri, a gente entende também: megacelebridades mundiais merecem seu tempo off dos holofotes. Enquanto dançava sentada, em pé ou na frente de ventiladores, Rihanna se empolgou com hit como “Happy”, de Pharrell Williams “F.U.T.W.” do padrinho Jay-Z. Mas poucas coisas podem ser tão encaradas como uma metalinguagem viva do que ver a cantora “viajando” enquanto o DJ tocava “Hold On We’re Going Home”, sucesso do rapper e ex/atual/eterno namorado Drake que, supostamente, foi escrito para Riri.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Ultimate Rihanna

Como uma Cinderela com hora marcada, Rihanna começou a se movimentar às 3h da manhã e finalmente foi embora em uma fila indiana que continha pelo menos uma dez pessoas além da magnânima. Discretamente calada, a cantora entrou em uma Range Rover que foi atacada por paparazzi e rumou ao infinito de possibilidades da noite carioca. Uma hipótese que seria muito boa se verdadeira? Rihanna e Shakira finalmente fazerem juntas uma apresentação da música “Can’t Remember To Forget You” na final da Copa. É pedir muito?

 

Pesquisas relacionadas