Moda & Beleza

Dragão Fashion Brasil 2015: com o tema “Mãos à obra, mãos à moda”, Cláudio Silveira dá o start ao rito de passagem do artesanato de luxo

Realizado entre os dias 4 e 10 de maio, o evento que é uma vitrine do handmade e da moda autoral do Nordeste terá desfiles em um novo ponto turístico do Estado do Ceará: o Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Fortaleza

Publicado em 02/05/2015 | Por Heloisa Tolipan

10953239_10206040218274815_3844825003857909410_n

Depois das maratonas do Minas Trend e da São Paulo Fashion Week, os fashionistas vão mergulhar, a partir de segunda-feira, no Dragão Fashion Brasil, megaevento em Fortaleza pilotado com maestria por Cláudio Silveira e tendo como produtora executiva a competente Helena Vieira. Quando li a respeito do macrotema do DFB 2015, “Mãos à obra, mãos à moda”, e o objetivo de incentivar a criação a partir da apropriação das artesanias pelas mentes inovadoras da moda autoral, me lembrei de como este tema é propício tanto pelo aspecto da qualidade do que vem sendo produzido Brasil afora como pelos tempos de economia oscilante.

Desde 2010, eu tenho levantado a bandeira da brasilidade em meus textos sobre moda, acreditando que esse é um fenômeno de convergência. E é bacana saber que Cláudio Silveira e o seu Dragão são defensores do handmade. Lembro de uma conversa com a consultora de moda e jornalista Cristina Franco, uma das primeiras a apostar em um artesanato de luxo made in Brasil. “O artesanato brasileiro é a nossa Ferrari”, disse ela anos atrás. E as palavras repletas de ênfase podem ser conferidas in loco nas passarelas mais incríveis ao redor do mundo. Como já publiquei aqui, a cada dia a indústria da moda do nosso país tenta deixar de ser refém do alter ego colonizador do europeu e a maximização de potencial do artesanato brasileiro afasta nossa arte de uma armadilha letal, neste movimento progressivo do ambiente local para o internacional. “Diferentemente de outros países que vendem seus produtos pela questão custo, nós vendemos os nosso pelas nossas cores, nossa criatividade, nossos traços livres, nossa leveza. Conclusão: representam cada vez mais nosso jeito de ser em um mundo que nos parecia inatingível”, afirmava Cristina.

Nossa diversidade de tipologias de artesanato de linha é enorme. Muitas delas só são encontradas no Nordeste, e se não estimuladas, correm o risco de desaparecer. Não porque careçam de mão-de-obra para produzi-las, mas pelo gargalo que hoje temos para comercialização destes produtos e pela falta da inclusão de melhores insumos tecnológicos para que esses produtos tenham maior competitividade em mercados que os valorizem. O backbone, a espinha dorsal do item de luxo, está no feito à mão, no artesanato de alto valor agregado, na marca de origem. Marca de origem: uma expressão mágica, uma chancela que um país como o Brasil, hoje enxergado de forma tão positiva no inconsciente coletivo mundial, tem toda propriedade para ter. O Brasil deve ser a grande marca guarda-chuva para a moda brasileira.

claudio-silveira-criador-do-dragao-fashion-brasil

Cláudio Silveira, criador do Dragão Fashion Brasil (Foto: Henrique Fonseca)

Então, para explorar o tema com a participação de tantos envolvidos na engrenagem da moda, o DFB toma como recorte as relações, vivências e tradições da cultura da moda no Brasil. “O DFB compreende a cultura da moda sob o ponto de vista antropológico: como uma legítima manifestação dos desejos, da personalidade e da construção histórica de um povo”, ressalta Cláudio Silveira, curador e idealizador do Dragão Fashion Brasil, que tem como mote a moda autoral e o handmade.  Com isso, o DFB 2015 vai proporcionar, em todas as suas ações, um resgate dos saberes locais e valorização das tipologias artesanais produzidas por comunidades de artesãos do Nordeste do Brasil.

Em 16 anos de semana de moda, que alia também arte, música e conhecimento (são realizadas palestras, debates e cursos), além de incentivar os novos talentos, Cláudio Silveira conseguiu transformar o DFB em um megafone para todo o país de que se é possível aliar artesanato de luxo com moda autoral. E gosta de frisar: “Sou um operário da moda brasileira. Sou, acima de tudo, um entusiasta, um sonhador e alguém que consegue manter-se com fé na nossa legitimidade. E foi para manter a moda na pauta que lançamos o primeiro Dragão Fashion Brasil, hoje principal evento de moda autoral do país”.

Enquanto uma capital como o Rio de Janeiro ainda alinhava os novos rumos do Fashion Rio, fora do Calendário Oficial da Moda Brasileira desde abril do ano passado, quando foi realizada a edição Verão 2015, como você leu aqui, a moda apresentada no DFB tem uma sinergia com a música, as artes… “É um evento composto por ciclos de palestras com nomes vindos de todo o mundo; concursos de criação envolvendo Faculdades e Cursos de Estilismo e Moda Brasil afora; atividades de capacitação direcionadas para o segmento têxtil e confeccionista; exposições que ajudam a contar a história de nosso povo a partir das leituras diversas da moda. É, enfim, a celebração do nosso jeito de ser, de perceber e de transformar a nossa realidade, utilizando a força criativa como moto contínuo de nossa batalha. O Dragão Fashion Brasil mantém-se fiel a seu DNA e, mesmo à sombra de uma crise econômica internacional, continua reforçando seu caráter legitimamente brasileiro”, costuma afirmar Cláudio.

Realizado entre os dias 4 e 10 de maio, o DFB 2015, que nasceu do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, nesta edição realizará os desfiles no novíssimo Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Fortaleza, um projeto importantíssimo para a economia do governo do Estado do Ceará. O local com vista para a Praia Mansa e toda a cidade de Fortaleza será totalmente decorado e transformado para receber o maior evento de moda autoral. Ao todo, serão 32 desfiles e uma programação multicultural. Além da moda e da produção acadêmica, manifestações diversas como gastronomia, exposições e música compõem a pauta de ações culturais contempladas pelo DFB 2015.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na contramão da crise em que o país se encontra, o evento representa um setor que está em alta no mercado, revelando o diferencial da economia criativa do Estado. Dados do Anuário da Moda do Ceará, lançado em 2014, mostram que a moda movimenta no Estado 64,9 mil empregos formais; 1,7 mil empresas do setor de têxteis e confeccionados somente no Ceará; e a estimativa de crescimento para o segmento é de 8,3% para o nicho de artigos confeccionados, e 4,6% para o de têxteis. “Há 16 anos, o evento contribui para o mercado da moda, fomentando a formação dos profissionais e criando ambientes de network e negócios, mas sempre mantendo o olhar próprio de valorização da cultura”, ressalta o idealizador e organizador do DFB, Cláudio Silveira.

O DFB mobiliza também toda comunidade acadêmica e amadores que almejam inserção no mercado da moda, além de promover uma integração desses perfis com designers conceituados. Esses momentos são proporcionados em duas consagradas ações articuladas antes do evento, que culminam em grandes desfiles: o Concurso dos Novos e o Projeto Comunidade Moda.

– Concurso dos Novos: A ação mobiliza alunos dos cursos de Estilismo, Moda e Design de todo o País, que elaboram peças sob a supervisão de seus docentes. Nessa edição, oito instituições de quatro estados (Ceará, Pará, Paraná e São Paulo) levam estudantes para a etapa final do concurso que acontece durante o DFB 2015. Na seletiva desse ano, os alunos tiveram que criar peças a partir do tema “O uso inovador e coletivo dos saberes artesanais”, mostrando domínio sobre desejo conceitual e apelo comercial dos looks. Os trabalhos foram julgados por uma banca composta de profissionais renomados do meio: a arquiteta e artista plástica, Joana Salle; o artista plástico Erico Gondim; o estilista Lindebergue Fernandes; e o jornalista Charles W. Nessa fase, concorreram alunos de todas as regiões do País. Na próxima etapa, as equipes apresentam uma “coleção-cápsula” (composta de oito looks) que será apresentada num desfile coletivo na programação do DFB 2015. Os vencedores levam um prêmio de R$ 8 mil e a instituição vencedora ganha o troféu DFB 2015. Em 2014, o troféu do Concurso dos Novos foi conquistado por alunos da Universidade Federal do Ceará (UFC).

– Projeto Comunidade Moda: Criado em 2014, é um reality show exibido pela TV Cidade (afiliada da Rede Record no Ceará) que revela talentos do Design de Moda em comunidades da periferia de Fortaleza. Com programas de 30 minutos de duração, o Comunidade Moda traz, no último episódio, a apresentação dos oito jovens participantes em desfile realizado durante o próprio DFB.  Os detalhes do reality podem ser conferidos na página: www.cnews.com.br/comunidademoda.

– Dragão Pensando Moda: O Dragão Pensando Moda (DPM), correalizado pelo Senac Ceará, é uma programação educacional com atividades de formação profissional que ocorre durante o DFB, com foco nos segmentos que compõem o trade da moda. O DPM abre as atividades do DFB, iniciando no dia 5 de maio, no Sesc Senac Iracema, com cursos, de acordo com a programação a seguir. De 7 a 10 de maio, o DPM passa a ocorrer em auditório montado Terminal Marítimo do Porto de Fortaleza.

De 5 a 8 de maio, das 8 horas ao meio-dia, o DPM ocorre no Senac Iracema com uma programação especial de cursos pagos, ministrados pelos próprios instrutores da Instituição. Os temas abordados serão ‘Introdução a Moulage’, com Beth Malveira e Kyko Araújo; ‘Design de Interiores e a Moda: Estilos Vintage, Contemporâneo e Retrô de seu Ambiente’, com Stékel Bittencourt; ‘Planejamento de Coleção – Técnicas de Processos Criativos’, com Marcelo Belisário; ‘Pedrarias e seus Bordados’, com Sara Girão; ‘Inglês Aplicado aos Termos da Moda e do Design’, com Márcio Correa; ‘Corseteria’, com Ana Leopoldina; ‘Técnica Crazi em Patchwork – Blocos feitos com Pedaços Irregulares e de forma Harmoniosa’, com Lindimárcia Ramires; ‘Fotografia Gastronômica’, com Mizael Alves.

Já entre os dias 8 e 10, o Senac realiza no Terminal de Passageiros do Porto do Mucuripe três mesas redondas que visam fomentar discussões acerca do mercado da moda e do design autoral, envolvendo toda a cadeia produtiva da moda, estudantes e profissionais do Ceará. As mesas de discussão ocorrem em um espaço vip, montado especialmente para o evento, com capacidade para 150 pessoas.

Debates – No primeiro dia de debates do DPM será realizada a palestra ‘Tendências 2016 por Canatiba’, com Bia Aydar, às 15h30min e às 16h30min o Debate ‘A Moda Autoral na Cena Contemporânea’, com Suzana Sauquin (Argentina), Kika Tarelli (Argentina) e Eduardo Motta, artista plástico e consultor de moda do Senac Núcleo Corporativo Nordeste. A mediação será feita por Phaedra Brasil, estilista da Marca Vívere  – BA e instrutora do Senac/BA.

No segundo dia de debates do Dragão Pensando Moda será a vez de discutir ‘O Design e a Autoria em Projetos de Moda’, às 16h30min. O tema abre espaço para apresentação de experiências do Centro Municipal de Design de Buenos Aires (CMD). Os convidados para este momento serão Maximiliano Iriart (Argentina), Eduardo Motta e o estilista cearense Mark Greiner.

As discussões continuam no último dia de evento abordando o tema ‘Os Negócios da Moda Autoral’, com Jô Sousa (Coordenadora da Pós Graduação em Negócios da Moda do Senac/SP), Mario Queiroz (Docente da Pós graduação em Negócios da Moda – Senac/SP) e Eduardo Motta. O debate ocorre às 16h30min.

Além do Dragão Pensando Moda, o Senac estará também presente mais uma vez no backstage, com a concepção do makeup hair dos 32 desfiles, onde 28 profissionais, entre cabeleireiros e maquiadores, já formados pela instituição, trabalham na preparação das modelos, sob a coordenação da instrutora Aline Cavalcante. A instituição leva para o evento também a Exposição “A Hora do Brasil”,  do estilista Jum Nakao, que traz elementos regionais como couro, crochê, renda, e surpreende pela beleza e criatividade das peças.

Além de trazer o melhor da moda autoral desenvolvida no país, o Dragão Fashion Brasil (DFB) tem entre seus destaques a gastronomia. Para esta edição, o espaço Jardim das Delícias, com a curadoria do chef Fernando Barroso, tem como mote a valorização dos ingredientes regionais e recebe nomes como Rafael Sudatti, Restaurante Le Marché por Marie Anne Bauer, Restaurante Statvs Art por Pedro Emilio, RosmarinoPães por Karliano, Doceria Contemporânea por Anna Paula.

Haverá ainda uma área reservada para Food Trucks, que tem como curadora Renata Toth, e apresenta Eat on the Streets (Sanduíches contemporâneos), El Chancho (Sanduíches de porco), Pasta Urbana (Massas artesanais), Freakdeliks (Sanduíches de salsichão alemão) e Espetáculo (Espetinho gourmet). Além disso, há Pâtisserie, em bicicletas ou quiosques, que traz Antoinete Boutique de doces (profiteroles e madeleines), Criton Pâtisserie e Brigadelli – (brigaderia fina, tortas de biscoito e sanduíches de brownie) e Dule (churros gourmet). Para fechar a programação, há ainda o Restaurante Sabores Orgânicos e uma Champanheria por Chandon.

Apresentada pelo Sebrae, a loja colaborativa Kza do Dragão reúne o trabalho de designers e artesãos. Nessa edição, 26 expositores, que apresentam acessórios, vestuários, design e decoração, terão espaço no evento. A popstore abre as portas para novos empreendedores e os aproxima de um público que quer adquirir produtos que seguem a tendência da moda sem deixar de valorizar a produção autoral.

Line up:

07 | MAIO
18:00 – Sala 2 – André Sampaio | ASAP 
19:00 – Sala 1 – Aládio Marques
19:30 – Sala 2 – Christina Crawford
20:00 – Sala 1 – Almerinda Maria
20:30 – Sala 2 – João Paulo Guedes
21:00 – Sala 1 – Lino Villaventura

08 | MAIO
18:00 – Sala 2 – Comunidade: Moda | Paulo Marttins
19:00 – Sala 1 – Lenita Negrão
19:30 – Sala 2 – Bikiny Society
20:00 – Sala 1 – Lindebergue Fernandes
20:30 – Sala 2 – Wagner Kallieno
21:00 – Sala 1 – Melk Zda

09 | MAIO
18:00 – Sala 1 – Concurso dos Novos | Estácio Sá | Ateneu | Sta. Marcelina | IED 
18:30 – Sala 2 – Weider Silveiro
19:00 – Sala 1 – Jadson Raniere 
19:30 – Sala 2 – LIZZI
20:00 – Sala 1 – Ivanildo Nunes
20:30 – Sala 2 – Rebeca Sampaio
21:00 – Sala 1 – Vitorino Campos

10 | MAIO
18:00 – Sala 2 – Concurso dos  Novos | UDC | UEL | UFC | UNAMA
19:00 – Sala 1 – Ronaldo Silvestre
19:30 – Sala 2 – Riccardo San Martini
20:00 – Sala 1 – Gisela Franck
20:30 – Sala 2 – Jeferson Ribeiro
21:00 – Sala 1 – RCHLO

data01

Pesquisas relacionadas