Moda & Beleza

Dolce & Gabbana tem desfile de moda cancelado na China após acusações de racismo nas redes

Vídeos promocionais da grife no Xangai Fashion Show retrataram de forma ofensiva o povo chinês e, em seguida, polêmicas mensagens escritas por Stefano Gabbana vieram a público. Ele disse que foi hackeado...

Publicado em 21/11/2018 | Por Bárbara Tenório

Uma série de vídeos publicados nas redes sociais da grife Dolce & Gabbana gerou polêmica por serem considerados de cunho racista. A fim de promover o desfile marcado para a noite desta quarta-feira em Xangai, as publicações tomaram um sentido contrário e provocaram o cancelamento do evento por parte da D&G.

A grife italiana usou os perfis nas redes sociais Weibo (similar ao Twitter) e no Instagram para divulgar a campanha com a hashtag #DGLovesChina. Um vídeo, em especial, publicado há três dias mostra uma mulher chinesa tendo dificuldades para comer comida italiana com hashi – palitinhos utilizados como talheres nos países asiáticos. Em outro vídeo, uma voz masculina pergunta à modelo: “É muito grande para você?”, se referindo ao cannoli que ela está prestes a comer, que muitos interpretaram como uma piada de teor sexual.

As abordagens foram consideradas racistas e ofensivas pelos internautas, que reagiram com comentários contrários à campanha nos perfis oficiais da empresa. Na rede social Weibo, por exemplo, o assunto “Boicote Dolce” foi discutido por mais de 18 mil vezes. Os vídeos foram apagados e substituídos por mensagens de aviso sobre o cancelamento do #DGTheGreatShow.

Para piorar a situação constrangedora da grife, alguns print-screens de conversas privadas do cofundador Stefano Gabbana com a fashionista Michaela Phuong foram revelados. Nas mensagens o estilista se refere com desprezo à China, chegando a dizer: “um país de merda” e “ignorante”. Entretanto, logo depois, Gabbana desmentiu e disse que sua conta pessoal e da Dolce & Gabbana foram hackeadas. “Nós lamentamos os inconvenientes causados por estas publicações não autorizadas. Respeitamos a China e o povo chinês”, escreveu a marca no Twitter.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

As @dolcegabbana prepares to mount their next runway show in Shanghai this coming evening (7:30PM) and the rest of Instagram fawns over what’s sure to be an overly lavish “love letter” to China, we’ll be wondering if we’ll see chopsticks as hair ornaments, take-out boxes as purses, or even kimonos misappropriated as Chinese costume. Time will tell. For now, we’ll let y’all simmer on this DM between Stefano and Dieter @michaelatranova (chronology is reversed in slides). Word has it that they’re still in the process of model casting (over 200 Asian girls scheduled)…wouldn’t let them walk the show if we were their agents lol. Also, curious what the Chinese government will think of their country being called shit basically…especially considering how strict they are on who to allow to enter the country on work visas based on a thorough social media background checks. • #DGTheGreatShow #DGlovesChina #runway #fashionshow #cancelled #racism #dolceandgabbana #altamoda #rtw #dgmillennials #stefanogabbana #shanghai #chinese #china #wtf #dumb #lame #asianmodel #asian #dietprada

Uma publicação compartilhada por Diet Prada ™ (@diet_prada) em

Mas esta história de contas hackeadas não foi muito aceita pelos seguidores. A repercussão negativa fez com que o desfile de mais de 500 looks da grife no Xangai Fashion Show fosse cancelado. Modelos que iriam participar e celebridades chinesas convidadas para assistir ao evento anunciaram o não comparecimento. De acordo com o “China Daily”, a atriz chinesa Dilraba Dilmurat deletou todas as publicações relacionadas à marca e publicou uma mensagem dizendo: “Te amo, meu país mais querido, a China”.

Mais uma polêmica para a coleção da grife italiana!

Pesquisas relacionadas