Moda & Beleza

Ateliê Mine4Tonight profissionaliza o “armário da melhor amiga” e já conta com vestidos de Juliana Paes, Preta Gil e Fernanda Gentil

As sócias e amigas Amanda Corrêa e Luana Miranda tiveram a ideia após serem madrinhas de três casamentos seguidos: “Vimos em um grupo de 10 amigas com 30 vestidos circulando entre nós, sem parar em seus respectivos armários. Diante disso pensamos: por que não criar um espaço para compartilhar vestidos maravilhosos e a preços acessíveis? E, assim, profissionalizamos o troca-troca”

Publicado em 18/05/2016 | Por Karina Kuperman

Luana e Amanda são amigas de adolescência e transformaram o "armário da melhor amiga" em negócio (Foto: Rodrigo Celano)

Luana e Amanda são amigas de adolescência e transformaram o “armário da melhor amiga” em negócio (Foto: Rodrigo Celano)

A crise e recessão econômica são questões que todo brasileiro vive, porém, a época é, também, de se reinventar. Por isso, as amigas Amanda Corrêa e Luana Miranda tem dado o que falar ao apostar na economia colaborativa no ateliê Mine4Tonight, o primeiro de aluguel de vestidos compartilhados no Rio de Janeiro. Inspiradas pela vontade de mudar o padrão de consumo das cariocas, as duas já tem clientes como Preta Gil, Juliana Paes e Fernanda Gentil, que deixaram seus vestidos para serem alugados por lá – e recebem sempre que isso acontece! “Eu sou stylist da Preta e ela ficou super feliz e ofereceu todo o apoio quando falei da Mine4Tonight. Através dela e do bazar beneficente que ela promove todos os anos chegamos à Juliana Paes. E a Fê é minha amiga há mais de dez anos, também amou a ideia do negócio e quis compartilhar”, contou Luana, que acredita no consumo consciente como opção de vida. “Entendemos o conceito do troca-troca como um estilo de vida independente da situação econômica que nosso país se encontra. Para que gastar tanto se podemos compartilhar?”, questionou ela, que, além de stylist de Preta Gil, já trabalhou como produtora em locais como a Indie Records, Oi TV e Liga e formou-se em design de moda no Senai Cetiqt.

A sócia, Amanda, também é dona da mesma opinião: “Nos dias de hoje, sabendo que quase todos os recursos do nosso planeta estão se esgotando ou vão se esgotar, entendemos que compartilhar é melhor do que acumular. A ideia de dividir está totalmente inserida no modelo de economia colaborativa e é o que conduz a Mine4Tonight. No momento em que atingimos essa consciência de consumo sustentável, tornamos o nosso troca-troca de roupa entre amigas em algo maior. Acreditamos muito na união de forças e de boas intenções, que tornam reais ideias de negócios como o nosso”, disse.

“Sempre quis ter meu próprio negócio, mas desde que ele tivesse um conceito único e propósitos reais, focado no coletivo e não apenas em lucratividade. Acho que acertamos nessa receita para a Mine4Tonight, onde nossas clientes ganham junto da gente e ainda fazemos algo para deixar o mundo um pouquinho melhor”, declarou Amanda, que traz, consigo, três anos de experiência em marketing em agências como DPZ&T, Binder e outras e o trabalho de um ano e meio na marca FCUK, em Londres. “Minha formação em marketing ajudou e ajuda muito no Mine4Tonight. Desde a criação da logomarca até as estratégias de comunicação. Penso como publicitária e busco trazer a experiência no mercado para o nosso dia a dia, principalmente conceitos e ferramentas que são fundamentais na construção de uma marca”, explicou.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mas a ideia de criar o ateliê colaborativo surgiu quando as sócias, amigas de adolescência, começaram a ver as amigas casando. Após amadrinhar três festas, notaram que os vestidos não teriam utilidade novamente tão cedo. “Vimos em um grupo de 10 amigas com 30 vestidos circulando entre nós, sem parar em seus respectivos armários. Diante disso pensamos: por que não criar um espaço para compartilhar vestidos maravilhosos e a preços acessíveis? E, assim, profissionalizamos o troca-troca”, disse Luana. As duas, que chamam o negócio de, carinhosamente, “armário da melhor amiga” – nada mais apropriado, não? – já acumulam clientes fiéis e, atualmente, tem um acervo de mais de 160 vestidos. “A Mine vai além do que simplesmente ter o meu negócio, é um pedacinho do negócio de cada uma que deixa seus vestidos com a gente. Acho isso mágico! Empreender em conjunto, incentivar a economia colaborativa e mostrar que a moda também pode ser consciente me faz hoje a pessoa mais feliz do mundo”, declarou Luana.

Amanda e Luana no ateliê que já conta com 160 vestidos (Foto: Rodrigo Celano)

Amanda e Luana no ateliê que já conta com 160 vestidos (Foto: Rodrigo Celano)

O Mine 4Tonight garante que todos os vestidos são bem cuidados pelas clientes que os alugam. “Quando avaliamos os vestidos de quem disponibiliza para aluguel sugerimos um valor de compra. Ele é baseado no preço que a dona pagou na peça e se é um modelo atual, que foi usado poucas vezes, ou um modelo de coleções mais antigas. Esse é o seguro e o que será reembolsado caso aconteça algum dano irreparável ao vestido. Até hoje nunca aconteceu nada nem perto disso! Nossas clientes que alugam são sempre muito cuidadosas”, explicaram as sócias, que pretendem fazer o negócio crescer: “Queremos lançar, em breve, coleções cápsulas com modelos de vestidos que entendemos que têm maior procura. Mas sempre mantendo nosso conceito de compartilhar e tornar a moda mais sustentável”, disse Amanda. Já nome Mine4Tonight tem um quê de contos de fadas. “Queríamos brincar com a ideia da Cinderela que, por uma noite, teve todos aqueles paparicos em um toque de mágica. É o que a gente oferece pras nossas meninas, que por uma noite elas se sintam Cinderela”, disseram. Como não?

Pesquisas relacionadas