Gente & Comportamento

Uma das pioneiras na literatura para os adolescentes, Thalita Rebouças comemorou que influenciadores da internet apostem nas obras literárias também: “Se quiser fazer livro, faça!”

Como uma das convidadas da 11ª edição do Sorriso do Bem, evento promovido por Fábio Biancos e seu time da Turma do Bem, a escritora contou como passou a fazer parte do universo que valoriza o sorriso saudável. "Eu tenho duas amigas em Portugal que são super envolvidas com a Turma do Bem por lá e que me apresentaram um pouco da mais a organização. E, depois que eu conheci o Fábio, fiquei ainda mais apaixonada e queria ser amiga de qualquer jeito"

Publicado em 08/11/2016 | Por Julia Pimentel

Ela é um fenômeno. E os números comprovam: com 16 anos de carreira, Thalita Rebouças já tem 21 livros publicados, com mais dois a serem lançados em abril, dois milhões de exemplares vendidos no Brasil e está presente em 20 países com três obras traduzidas para o espanhol e dez para o português lusitano. Expert quando o assunto é falar sobre jovens e autoestima, a escritora foi uma das convidadas da 11ª edição do Sorriso do Bem. No evento promovido por Fábio Bibancos e sua Turma do Bem, que rolou em Poços de Caldas na última semana, Thalita foi a responsável por ressaltar a importância de um sorriso saudável na vida dos jovens. “Eu fui uma adolescente de dente muito torto e que morria de vergonha por isso. E ver um projeto como a Turma do Bem que valoriza e estimula um sorriso feliz é muito importante. Então, eu falei justamente sobre isso. Porém, quando os pais perceberem que os filhos estão sorrindo sem mostrar os dentes, não precisam forçá-los a exibir, porque ele está ali se esforçando para estampar aquele sorriso. Eu sei o que é um jovem que sente vergonha de sorrir”, relatou a escritora que concluiu com a importância da saúde bucal na vida de crianças, jovens e adultos: “Eu acho que qualquer pessoa quando sorri fica mais bonita”.

Leia também: Oscar da Odontologia: Fábio Bibancos e colaboradores da ONG Turma do Bem elegem o dentista no mundo que mais mostrou engajamento no desejo de transformação

Leia também: Durante a 11ª edição do Sorriso do Bem, Fábio Bibancos conversa com o HT e comenta a importância do evento e o estado da saúde bucal do Brasil: “Uma desgraça”

Leia também: Sorriso do Bem: Fábio Bibancos e o time da ONG Turma do Bem promovem encontro anual que ensina e premia os profissionais da odontologia

Unindo dois elementos que Thalita Rebouças ama e é fã, falar de jovens e a iniciativa da Turma do Bem, a escritora estava se sentindo em casa no Palace Hotel, em Minas Gerais. Super honrada em fazer parte de um projeto que já admirava há tempos, a carioca contou como começou sua relação com o presidente da ONG, Fábio Bibancos. “Eu tenho duas amigas em Portugal que são super envolvidas com a Turma do Bem por lá e que me apresentaram um pouco da mais a organização. E, depois que eu conheci o Fábio, fiquei ainda mais apaixonada e queria ser amiga de qualquer jeito. Quando ele ligou e me convidou para eu falar sobre autoestima e adolescência, eu fiquei muito feliz porque a Turma do Bem é uma iniciativa tão bonita que deixa todos os colaboradores super envolvidos e animados. Então, poder fazer parte disso, nem que seja só um pouco, me deixa tão honrada que eu não tinha nem como não aceitar”, disse.

Thalita Rebouças na 11ª edição do Sorriso do Bem, em Poços de Caldas (Foto: Poços de Caldas - Henrique Fonseca)

Thalita Rebouças na 11ª edição do Sorriso do Bem, em Poços de Caldas (Foto: Poços de Caldas – Henrique Fonseca)

E ela não para. Entre um encontro literário e outro, Thalita Rebouças prestigiou o evento anual da Turma do Bem, mas sem se desligar de seu trabalho de sucesso. Quando o assunto é a carreira brilhante de 16 anos, que diga-se de passagem é ainda mais destacada quando se trata de literatura infanto-juvenil no Brasil, a escritora tem assuntos e novidades intermináveis. Entre eles, está o filme inspirado no livro “Fala Sério, Mãe” que para a versão cinematográfica terá Ingrid Guimarães no elenco. “Eu estou apaixonada pela Ingrid, Larissa Manoela e mais ainda pelo Pedrinho Vasconcelos que já tinha dirigido ‘Tudo Por Um Popstar’ no teatro. Agora, assim como antes, ele está fazendo com a maior delicadeza e respeito a versão cinematográfica de ‘Fala Sério, Mãe’, que é o livro que me colocou no mapa e é o meu maior best-seller até hoje. Então, sem dúvidas, a obra é o maior trabalho da minha carreira e que, de fato, mudou a minha vida”, comemorou Thalita sobre a história do filme que está na fase final das gravações. “Eu fiquei super envolvida com a Ingrid, a Larissa e todo o elenco nos bastidores. Vai ser um filme para a família toda ir, rir, chorar e sair de lá abraçada”, adiantou.

Outro livro de Thalita Rebouças que ganhou as telonas foi “Uma Fada Veio Me Visitar”. Com Klara Castanho e Kéfera no elenco de “É Fada”, o longa que estreou dia 6 de outubro já tinha atingido um milhão de espectadores em apenas onze dias de exibição. Apesar de esta obra Thalita Rebouças ter acompanhado a produção à distância, a escritora comemorou o sucesso do filme. Uma das razões que atraiu tanta gente para as salas de cinema foi a atuação da digital influencer Kéfera. A jovem, que só em seu canal do Youtube acumula mais de 756 milhões de visualizações, é um chamariz contemporâneo para os seus trabalhos, seja no cinema ou na literatura – sim, com um sucesso estrondoso na internet, Kéfera ganhou as livrarias e já tem duas obras publicadas.

Thalita Rebouças (Foto: Poços de Caldas - Henrique Fonseca)

Thalita Rebouças (Foto: Poços de Caldas – Henrique Fonseca)

Sobre essa inclusão de nomes de fora da literatura ao universo dos livros, Thalita Rebouças destacou o lado positivo. A escritora, que aprova esse mergulho plural no meio literário, ressaltou o número de pessoas que migram para as livrarias por causa de um lançamento de alguns desses influenciadores contemporâneos. “Eu acho bacanérrimo. Eu sou a maior estimuladora desses jovens. Se quiser fazer livro, faça! As pessoas me questionam muito sobre os youtubers que escrevem. Mas por que não? Seja advogado ou faxineiro, todos nós podemos escrever. Fora que eu acho que esses comunicadores da internet só aproximam os jovens dos livros. Quem não tinha o hábito, passa a ler por causa do autor. E isso pode estimular esse novo leitor a querer mergulhar ainda mais no universo da literatura. Eles têm todo o meu apoio e os meus aplausos. Tem gente muito talentosa na internet e eu adoro acompanhar. Confesso que nem tanto por causa da minha falta de tempo, mas eu gosto de ver”, argumentou.

No entanto, nem sempre a literatura fez parte do universo dos jovens brasileiros. Há 16 anos, quando a escritora se lançou neste cenário, os livros não integravam a realidade de muitos adolescentes em nosso país. Até porque, como Thalita Rebouças destacou, não tinha autor que escrevesse especialmente para esse público. “É muito bacana ver que enquanto na época que eu comecei não tinha quase ninguém, hoje já temos vários autores que escrevem para os jovens. Eu me sinto muito feliz em ver que eu abri um pouquinho esse novo universo”, contou a escritora que afirmou que vive da literatura em um país que não tem os livros como tradição de entretenimento. “Eu vivo da venda das minhas obras com o maior orgulho da minha vida. Tudo o que foi gerado na minha carreira depois dos meus livros, desde peças a filmes e televisão, foi conquistado com o meu trabalho na literatura”, comemorou.

E, neste mergulho no universo jovem que já se encaminha para duas décadas, Thalita Rebouças é gabaritada em comentar sobre a personalidade destes adolescentes. Sobre o seu público, a escritora comentou que, entra ano e sai ano, e os questionamentos continuam iguais. “O jovem de hoje é o mesmo de ontem, de anteontem e que será o mesmo de amanhã. Apesar de ele ter o mundo na palma das mãos, literalmente, e de ter novos ídolos, ele tem as mesmas questões, dúvidas e sofrimentos. É igual”, analisou a escritora que destacou a particularidade do adolescente contemporâneo. “Eu acho que o jovem de hoje quer ser autêntico, ele não está mais querendo vestir máscara ou se esconder. Nós estamos entrando em uma era maravilhosa de liberdade, no melhor sentido da palavra, em que as pessoas se assumem do jeito que são”, avaliou.

Thalita Rebouças já tem dois milhões de livros vendidos (Foto: Rodrigo Lopes)

Thalita Rebouças já tem dois milhões de livros vendidos (Foto: Rodrigo Lopes)

Entendedora e voz ativa dos jovens que consomem seus livros e suas idéias, Thalita Rebouças contou como é a reação destes leitores ao encontrar a carioca que é gênio da literatura brasileira. Tensos, a escritora contou que os meninos e meninas costumam ficar sem muita expressão ao se depararem com quem tanto admiram. “Eles ficam meio mudos e não conseguem falar muito por causa do nervosismo. Mas, normalmente, eles não pedem muitos conselhos quando falam comigo, apenas agradecem. Os meus leitores contam que entenderam o lado da mãe e do pai por minha causa. Eu sinto que quando eles me abraçam existe esse sentimento de gratidão”, revelou Thalita que destacou uma frase que é unânime em todos esses encontros: “Eu não gostava de ler e passei a amar por sua causa”.

Mas a representação em páginas de livros não se restringe só aos jovens. Personagens constantes desta imersão dos adolescentes no universo literário, os pais também possuem uma relação próxima com Thalita Rebouças. Segundo a escritora, as mães, principalmente, agradecem muito pela representatividade nos livros da carioca, como em “Fala Sério, Mãe” e, inclusive, até dão sugestões para as próximas publicações. “O ‘Fala Sério, Filha’ foi uma obra pensada para as mães porque elas pediam muito. Agora, elas me mandam mensagens querendo livros meus para os adultos. Fora as que passaram a me seguir no Snapchat porque viam os filhos rindo dos meus vídeos. Então, é muito bacana saber que eu sou querida na família e que eu sou uma pessoinha bem falada em casa”, relatou.

Thalita Rebouças (Foto: Rodrigo Lopes)

Thalita Rebouças (Foto: Rodrigo Lopes)

No entanto, nem tudo é tão maravilhoso assim. Do mesmo modo que Thalita Rebouças destacou a autenticidade como expressão moderna dos jovens, a escritora contou que estes adolescentes também possuem um ponto negativo. De acordo com sua percepção íntima do assunto, os meninos e meninas da atualidade estão um pouco mais arrogantes. “Eles estão se achando muito certos o tempo inteiro. Por isso, vários deles, sem generalizar os adolescentes, acabam se fechando e acreditando em suas próprias concepções. Com isso, eles caem um uma armadilha que é ruim para as crianças, para os jovens e para os adultos, que é se levar muito a sério. Para mim, perde todo o sentido de tudo quando alguém começa a acreditar exageradamente em si próprio”, destacou.

Apesar do traço da personalidade moderna pontuado por Thalita Rebouças, ela continua fã e admiradora do seu público jovem. Não tem jeito, a escritora carioca sempre foi e sempre será uma voz adulta do que esses adolescentes querem falar. Com projetos novos para o teatro, como as possíveis adaptações dos livros “Era uma vez minha primeira vez” e “Uma Fada Veio Me Visitar”, Thalita Rebouças contou que sua relação com seu público continua próxima e amigável como se mantém desde o começo da carreira. “Eu sempre fico muito surpresa porque a cada evento eu recebo uma chuva de carinho. É muito lindo ver o meu público se renovando e também envelhecendo e continuando a ler os meus livros”, contou a escritora Thalita Rebouças.

Pesquisas relacionadas