Gente & Comportamento

“Todos os LGBTs lidam com situações de preconceito desde muito jovens”, declara Lorelay Fox

Ao site HT, a drag queen famosa no YouTube falou sobre o seu canal na plataforma, dificuldades, estigmas, carreira e planos futuros

Publicado em 21/04/2019 | Por Iron Ferreira

Com mais de 600 mil inscritos em seu canal oficial no YouTube, o “Para Tudo”, Lorelay Fox é uma drag queen famosa do Brasil na plataforma. Com temas variados, que vão desde maquiagem a dicas de relacionamento, a artista fala livremente com o público e não faz questão de esconder a sua personalidade divertida. Foi jurada de maquiagem por duas temporadas consecutivas no programa “Superbonita”, no GNT, e consultora do “Amor e Sexo”, da Rede Globo.

Com mais de 600 mil inscritos, a artista é um sucesso de público no YouTube (Foto: Divulgação)

Porém, ela também reserva espaço para abordar assuntos importantes, entre eles, a discriminação sofrida pela comunidade LGBT: “Todos nós lidamos com situações de preconceito desde muito jovens. Me lembro de passar por bullying na escola sem entender os motivos, ou nas reuniões de família onde sempre fui alvo de chacota de primos. Cresci ouvindo as frases “engrossa a voz” e “fala igual homem”. Tive chefes que me trataram de maneira diferente dos outros funcionários héteros, que sempre podiam livremente falar sobre suas relações e eu nunca! As típicas piadas em ambiente de trabalho, onde somos obrigados a rir junto pra não piorar a situação. Mas no fundo, mesmo sendo alvo de críticas, nunca me senti vítima. Sempre tive muita segurança em ser quem eu era e sempre entendi, mesmo quando pequeno, que as pessoas erravam em me maltratar, e que eu não errava por ser diferente”.

Embora o preconceito ainda exista na maioria dos casos, ela afirma que as comunidades estão passando por transformações: “Dentro da bolha em que vivo não sofro discriminação, mas basta dar alguns passos pra fora que ainda percebo que ser drag ou gay é uma aberração para grande parte da sociedade. Eu acredito que a mudança esteja acontecendo, pois as pessoas têm mais acesso à informação. Porém, ainda estamos longe de viver em uma sociedade que não ataca as diferenças”.

Apesar da fama, Lorelay afirma que o preconceito ainda existe fora da sua bolha social (Foto: Divulgação)

Lorelay aproveitou também para falar sobre a aproximação que sentiu do público desde a criação do canal. Hoje, com mais de 400 mil seguidores no Instagram, ela revela que o apoio das pessoas é fundamental para dar continuidade ao seu trabalho: “O público é quem dita o tom do trabalho de um influenciador. É percebendo tendências de comportamento, escutando os comentários e identificando a necessidade de discussões que alimentamos as redes sociais. Todo o meu trabalho é embasado nesse misto de representar o que o público precisa e cooperar para mudanças sociais efetivas. Humanizar e abraçar os meus seguidores para criar uma rede de apoio efetiva”.

Além da internet, o publicitário Danilo Dabague, que há 15 anos dá vida a Lorelay Fox, utiliza a personagem como forma de expressão artística: “Agora posso exercer em totalidade todas as coisas que mais gosto na vida, mesmo que aos trancos e barrancos. Posso exercer minha arte no universo da maquiagem e do desenho, meu lado publicitário com esse grande projeto que é o meu canal e a comunicação nas redes sociais e o meu lado humano falando sobre causas que acredito serem relevantes. Parece que tudo fez sentido”.

Danilo Dabague sem maquiagem (Foto: Divulgação)

Danilo aproveitou para comentar sobre o processo de montagem de uma drag queen e todos os seus desafios: “A maquiagem é um processo divertido, mas muito desafiador e demorado. Ter que abrir mão da minha sobrancelha, que eu raspo pra poder ter maior qualidade de acabamento na make dos olhos, é, sem dúvida, o maior sacrifício que enfrento. Não poder ter barba, ter que depilar as pernas, braços e axilas são exemplos de sacrifícios que preciso fazer para exercer o meu trabalho com totalidade, mas que prejudicam a minha imagem na vida real”.

Quando perguntada sobre o crescimento do nicho no país, principalmente no cenário musical, ela responde: “Isso é resultado de um fenômeno mundial que, através do reality show RuPaul’s Drag Race, abriu portas para o nosso mercado no Brasil e no mundo. Dessa forma, essa arte, que já foi tão marginalizada, voltou a cair nas graças da nossa comunidade, que começou a se transformar e aliar essa técnica aos seus talentos como plataforma de expressão e identidade artística. Pabllo Vittar e Gloria Groove são expoentes que impulsionam toda uma nova geração a acreditar que podemos alcançar o respeito através de quem somos, sem termos que nos encaixar nos padrões para conquistarmos o sucesso e a dignidade na sociedade”.

Segundo ela, a arte Drag vem ganhando cada vez mais força no cenário brasileiro  (Foto: Divulgação)

“Acredito que meu trabalho humaniza muito do universo do que é ser homossexual no Brasil. Não são raras as vezes que escuto e converso com pessoas que dizem ter medo de nós antes de me conhecerem. Muitos também dizem que não entendiam as reais necessidades de lutar por direitos e pelas pautas que eu trato no canal, mas que depois de acompanhar alguns vídeos passaram a se sensibilizar e enxergar na minha arte uma forma de revolução social e quebra de paradigmas”, declara a artista sobre o balanço que fez diante dos seus projetos.

Em relação ao futuro, Lorelay revela: “Meu foco sempre será fazer meu canal crescer e conquistar cada vez mais pessoas. Além da internet, pretendo continuar com programas como o Superbonita, onde já estamos na segunda temporada, e, quem sabe, lançar um livro para tratar sobre maquiagem e autoestima, apresentando esse universo como fonte de inspiração”.

Através do seu trabalho ela busca quebrar tabus e lutar por causas sociais (Foto: Divulgação)

Pesquisas relacionadas