Gente & Comportamento

Só dá Caetano Veloso! Ele responde Roger Waters, chama o governo israelense de arrogante e ainda dá bronca na própria equipe. Vem saber tudo!

Antes de cantar com o amigo Gilberto Gil em Israel, o cantor finalmente respondeu ao pedido de cancelamento do show feito por Roger Waters. Ah, e Caetano ainda nos divertiu dando bronca em sua equipe por causa da um erro gramatical. Vem dar o play com a gente!

Publicado em 23/06/2015 | Por Lucas Rezende

Está ganhando forma o projeto de Caetano Veloso e Gilberto Gil, em que a dupla roda o mundo com a turnê “Dois amigos – Um Século de Música”, focando em grandes clássicos em voz e violão. E como HT já contou, a apresentação do dia 28 de julho, em Tel Aviv, segunda maior cidade de Israel, no Oriente Médio, está cercada de polêmica. Motivo? O ex-baixista e cantor do grupo Pink Floyd, Roger Waters, pediu, em forma de carta aberta, que Gil e Caetano cancelem sua apresentação em Israel em forma de represália à infindável guerra pela ocupação de territórios palestinos.

11082591_922769094434679_2610779564374106718_n-500x5001-500x500

Gil e Caetano: turnê internacional juntos (Foto: Fernanda Young)

No começo deste mês, tanto Gil, quanto Caetano já haviam confirmado a apresentação, mesmo com o pedido. Agora, faltando poucos dias para chegar a Tel Aviv, Caetano resolveu se manifestar e explicar a manutenção do show. “Quando a África do Sul estava sob o regime de apartheid, e eu soube que artistas estavam se recusando a tocar lá, concordei como que automaticamente com tal decisão. A complicada situação no Oriente Médio não me mostra o mesmo tipo de imagem preto-no-branco que o racismo oficial, aberto, da África do Sul me mostrava então”, justificou o músico.

Caetano aproveitou para deixar claro que seu “coração é fortemente contra a posição de direita arrogante do governo israelense” e que odeia “a política de ocupação, as decisões desumanas que Israel tomou naquilo que Netanyahu nos diz ser sua autodefesa”. “E acho que a maioria dos israelenses que se interessam por nossa música tende a reagir de forma similar à política de seu país. Eu cantei nos Estados Unidos durante o governo Bush e isso não significava que eu aprovasse a invasão do Iraque. Escrevi e gravei uma música que se opunha à política que levou à prisão de Guantánamo — e a cantei em Nova York e Los Angeles”, explicou o baiano.

Caetano-Veloso

Caetano: “a complicada situação no Oriente Médio não me mostra o mesmo tipo de imagem preto-no-branco que o racismo oficial mostrava”(Foto: Reprodução)

Seu parceiro Gil, no entanto, não respondeu e nem pretende seguir o mesmo caminho do amigo, porque acha “que não carece de uma resposta pessoal”. Para o ex-ministro da cultura, “foi uma coisa colocada ao nível da dimensão pública”, mesmo com a carta de Roger Waters citando a “Oração pela libertação da África do Sul”, canção famosa na voz de Gil, para se justificar. Aliás, a íntegra da carta, que considera os dois cantores como “um foco de luz para o resto do mundo”, pode ser lida aqui.

Roger Waters: pedido não aceito pela dupla brasileira (Foto: Reprodução)

Roger Waters: pedido não aceito pela dupla brasileira (Foto: Reprodução)

E polêmicas à parte, Caetano Veloso quebrou a internet nas últimas 24 horas com uma bronca em sua produção. A gente explica: na página oficial do cantor no Facebook, administrada por sua equipe, uma postagem com erro gramatical foi ao ar no dia 11 de junho. Nela, uma crase foi usada de forma desnecessária quando descreveram “homenagem à (sic) Bituca [Milton Nascimento]”. O que deixou o músico insatisfeito. “Um erro chato, eu não gosto desse erro. Acho idiota. (…) Até os linguistas estimulam, dizendo que não deve ligar para crase, que deve deixar. Nada! Nada de deixar. Tem que saber português e trabalhar bem a língua portuguesa no Brasil! Tem que ter responsabilidade!”, advertiu o cantor, que publicou o vídeo da bronca em seu Facebook e rapidamente virou um viral, é claro.

Pesquisas relacionadas