Gente & Comportamento

#SaiaDaCaixa de Helen Pomposelli apresenta o trabalho da médica ayurveda indiana Ankita Shirkande, que esteve de passagem pelo Brasil: “O corpo humano é o retrato da natureza”

Com seu jeito simples e firme de se apresentar, voz baixa e leveza, sempre bem vestida e maquiada, Dra. Ankita é uma indiana típica dos tempos atuais, é Médica, Bacharel em Ayurveda, Medicina e Cirurgia, Especializada em Ginecologia e Obstetrícia, ela falou sobre como viver melhor nestes tempos confusos

Publicado em 25/04/2018 | Por Junior de Paula

*Por Helen Pomposelli

Dra. Ankita Shirkande

“Diferente das publicidades modernas que falam para as mulheres usarem um absorvente no período menstrual para poder correr, fazer exercícios físicos e até ir à praia, o corpo nessa fase feminina pede para não ter exercícios excessivos e sim para se resguardar e se energizar. A Ayurveda vê a menstruação como um momento sagrado da mulher”, diz Dra. Ankita Shirkande, de 29 anos, nossa entrevistada dessa semana do Saia da Caixa, que está no Brasil participando do SIAB, Seminário internacional de Ayurveda no Brasil, criado por Henrique Bertini, que aconteceu no Rio, mas está indo para São Paulo e Belo Horizonte.

Com seu jeito simples e firme de se apresentar, voz baixa e leveza, sempre bem vestida e maquiada, Dra. Ankita é uma indiana típica dos tempos atuais, é Médica, Bacharel em Ayurveda, Medicina e Cirurgia, Especializada em Ginecologia e Obstetrícia, Yogpravesh, Diretora da clínica Shree Vishwangada Ayurveda & Panchakarma em Pune, Índia, Professora assistente, Rasahastra & Bhaishajya Kalpana, Médica na universidade D. Y Patil College of Ayurveda e centro de pesquisa de Ayurveda em Pune, Índia. Além disso, é casada com Dr. Abhijeet Shirkande, que também ministrou palestras durante o seminário.

Dra. Ankita Shirkande

Segundo Ankita, ela sempre pensou em trabalhar com Ayurveda, pois uma parente próxima da família a encaminhou e desde pequena já sabia o que queria fazer. Focada e determinada, disse que sua família sempre deu força para realizar seu sonho, apesar de ser mulher e morar na India. “Na Índia muita coisa mudou, muitas mulheres estudam e trabalham fora. Minha rotina não é muito diferente de uma pessoa que trabalha em hospital. Eu acordo muito cedo, às 4h da manhã, faço minha meditação, meu café da manhã, trabalho no hospital atendendo, depois estudo e volto em torno de 22h para casa, onde geralmente como uma fruta ou um leite para dormir. Tenho sempre uma garrafa de óleo ayurvédico do lado da minha cama também”, explica a médica ayurvedica, que durante o seminário falou sobre a saúde feminina, menopausa, deu dicas de bem-estar e entre uma palestra e outra conversava com sua mãe por vídeo do celular para saber notícias de seu filho.

“Precisamos seguir nosso relógio biológico para ter boa saúde, ou seja, dormir de seis a oito horas. Outra coisa, nós temos os chamados da natureza, ou seja, não podemos induzir nossos impulsos naturais, nosso corpo pede e temos que fazer, como comer, beber água e ir ao banheiro. Eu vejo muitas pessoas segurando urina, comendo quando não tem fome e bebendo muita água sem necessidade, e assim, gerando doenças como pedras nos rins”, diz.

Outra dica para viver melhor dentro da medicina Ayurveda dado pela Dra. Ankita é fazer exercícios até a metade da nossa capacidade. “Exercícios físicos são para energizar e não para se cansar. Evite fazer exercícios dentro de uma área com ar condicionado, pois sentir o suor é muito importante. Ele deve ficar em nosso corpo por um tempo, isso faz bem!” Para Sair da Caixa, a Dr. Ankita sugere ter uma rotina com uma alimentação baseada em alimentos de temperatura morna ou frescas por uma ou duas vezes ao dia apenas, ter concentração na hora da alimentação, meditação, yoga , respeitar os doshas e seguir o relógio universal para sermos mais saudáveis e respeitar os ciclos femininos como menstruação e menopausa não como doenças.Namaste!

Pesquisas relacionadas