Gente & Comportamento

Retrospectiva do site HT: entre celebs da televisão, música e teatro, os editoriais de 2017 revelaram opiniões e posicionamentos de personalidades da cena artística. Relembre!

Neste ano, o site HT alavancou os editoriais com celebs da música, cinema, televisão e teatro em um projeto que não para de crescer. Nos últimos doze meses, foram 15 ensaios e entrevistas com nomes como Luiza Brunet, Fabiana Karla, Thiago Martins e Amanda de Godoi

Publicado em 28/12/2017 | Por Julia Pimentel

Um ensaio com fotos super produzidas, uma entrevista sobre diversos assuntos e uma equipe dedicada em prol de um mesmo objetivo. Estes são os principais ingredientes de uma receita que em 2017 ganhou ainda mais liga. Neste ano, o site HT alavancou os editoriais com celebs da música, cinema, televisão e teatro em um projeto que não para de crescer. O que antes era uma ideia de misturar moda, jornalismo e conceito, hoje é motivo, inclusive, de pedido dos próprios artistas. Em 2017, os editoriais exclusivos do site HT foram ainda mais especiais com estrelas de diferentes áreas e posicionamentos, mas todas com opiniões fortes e boa repercussão na cena.

Por isso, nos últimos dias deste ano, é hora de relembrar estes trabalhos que fizemos por aqui. Em 2017, o site HT produziu e publicou 15 editoriais. Em todos, uma equipe para lá de profissional garantiu o sucesso do trabalho. Seja na maquiagem, no styling, nas fotos, no texto ou nas parcerias, estes 15 ensaios são resultado de um trabalho em equipe. E, em um momento de briga por egos, esta é uma boa oportunidade de dividirmos nossos méritos. É hora de lembrar o que passou e nos preparar. Afinal, 2018 já está quase aí e as ideias não param de borbulhar. Vem com a gente!

A primeira estrela deste ano foi Suzana Pires. Na época, a atriz e escritora estava no ar como a autora de Sol Nascente, novela das 18h da Globo que foi sucesso no começo do ano. Neste ensaio, Suzana se revelou em nova faceta, mais séria e elegante em relação ao que fizemos em 2016. Ah, claro. Interessante, engajada e super talentosa, a atriz já havia protagonizado um editoral do site HT no ano passado e, inclusive, ficara entre as dez matérias mais lidas de 2016. Mas a gente queria mais. Por isso, em março, apresentamos uma nova versão, ainda mais poderosa, de Suzana Pires. Os cliques deste ensaio foram de Pedro Bucher, a beleza de Nat Rosa e o styling de Natalia Conti.

Suzana Pires em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Pedro Bucher)

Em relação ao que conversamos com a atriz e escritora, Suzana Pires foi dos desafios como autora de novela a um assunto que ela sempre destaca: os movimentos sociais. Engajada e formada em Filosofia, ela não foge da temática e, aliás, é bem direta. “Eu sou dessa turma. Eu faço parte das minorias que são maiorias. Para mim, homofobia, machismo e racismo, por exemplo, sempre foram discursos nos quais eu gritei nas minhas redes sociais e na minha vida pessoal. E a gente precisa continuar caminhando nessa direção. Todos os movimentos que começam a eclodir têm um radicalismo na essência. E precisa ser assim. A gente não pode tolerar nem 1% desses pensamentos preconceituosos e que minimizam as pessoas. Eu acredito que, daqui a alguns anos, essa situação melhore e a gente encontre um equilíbrio. Mas, agora, é preciso ser radical”, argumentou Suzana Pires.

Primeiro homem desta retrospectiva, Igor Rickli protagonizou um editorial por aqui em março, quando foi clicado por Beto Gatti, com beleza de Maria Lima e styling de Herink Dumont. Naquela época, o ator se preparava para estrear em “O Rico e o Lázaro”, da Record. A novela fora mais uma experiência em trama bíblica na carreira de Igor. Antes, ele já havia sido o vilão de “A Terra Prometida”.

Igor Rickli em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Beto Gatti)

E, inclusive, este foi um dos assuntos de nossa entrevista com o ator. Segundo Igor, trabalhar com um texto que envolve a fé do público é sinônimo de ainda mais cuidado e zelo. Assim como em sua casa, no diálogo com o filho de três anos e a mulher, Aline Wirley. “Lá em casa, nunca foi tabu a Pretinha ser negra. Na verdade, isso nunca deveria ter sido recriminado em lugar algum. Nós temos que tratar com naturalidade e respeito as diferenças e, agora, entender a importância do empoderamento. Por muito tempo, essas ‘minorias’ foram reprimidas e inferiorizadas. Para que hoje elas sejam respeitadas, eu entendo que precisa haver um certo exagero nos discursos”, disse.

Seguindo o calendário, o humor foi o protagonista do segundo editorial do site HT em 2017. No ar como a complicada Andréa de Mister Brau, Fernanda de Freitas estrelou um ensaio elegante e glam. Desta vez, quem assinou os cliques foi Sergio Baia, Guto Moraes fez a beleza e a dupla Shainy Camacho e Juliana Durso, da DUO Consultoria de Estilo, ficaram responsáveis pelo styling.

Fernanda de Freitas em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Sergio Baia)

O editorial, que fora publicado em maio, revelava, além da atriz por trás da série de humor da Globo, a mulher que se dedicava ao teatro, à opinião pública e à carreira. Porém, não é só de amor que vivemos e foi um pouco disto que Fernanda de Freitas mostrou nesta entrevista. Com o cenário de crise que vivíamos em maio e persiste até hoje, a atriz comentou a dificuldade de produzir uma peça conceitual e afirmou que não se arrisca mais nos palcos sem incentivo. “Não tem como fazer uma peça sem patrocínio. Eu fiz há alguns anos como um ato de resistência e o resultado foi terrível. Depois disso, nunca mais eu me arrisco. Ou eu estreio com patrocínio ou não faço. Essa história de bancar um projeto por amor não é mais viável”, disse Fernanda de Freitas.

Cabelos, como eu te quero! Foi mais ou menos assim que Lucy Ramos estrelou um editorial do site HT em junho. Negra, empoderada e engajada em movimentos sociais, principalmente contra o machismo e racismo, a atriz deu poder aos fios e valorizou sua cultura através de fotos, argumentos e postura. Neste editorial, Lucy Ramos foi clicada por Thiago Bruno, com styling de Herik Dumont e beleza de Tito Vidal.

Lucy Ramos em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Thiago Bruno)

E, assim como nas fotos a atriz revelou sua mulher poderosa, na entrevista, Lucy emocionou e ficou emocionada ao comentar alguns assuntos. Em junho, quando conversamos, ela estava na novela “A Força do Querer”, como uma arquiteta bem-sucedida, e em cartaz com uma peça inspirada na tragédia em Mariana, chamada “Hotel Mariana”. E, além de comentar sobre a potência e a carga emocional deste trabalho, Lucy ainda analisou a situação política no Brasil. “Eu fico pasma e muito triste. Na verdade, é uma mistura de sentimentos diversos, até de revolta. Afinal, é o nosso Brasil, um país lindo. Eu fico pensando como podem existir pessoas tão egoístas a ponto de fazerem o que fazem com um país, uma população. Esses governantes não estão cuidando só da vida deles ou da casa que moram. São milhões de pessoas afetadas. Não dá para entender como eles conseguem roubar desse jeito. Como pode alguém ser tão egoísta a ponto de pensar só no umbigo e em como enriquecer mais? Ninguém precisa de tanto assim para viver. A gente precisa de pouco para ser feliz”, argumentou Lucy Ramos.

Agora, uma estrela mais jovem, porém, com uma potência incrível. De idade, Marina Moschen tem apenas 20 anos e, de carreira, pouco mais de dois. No entanto, a menina dos documentos não é a mesma mulher que registramos. A atriz, que na época era a patricinha Yasmin de “Rock Story” e em janeiro estreia como a determinada Selena em “Deus Salve o Rei”, posou para o site HT sob as lentes de Alex Santana, beleza de Guto Moraes e styling da badalada dupla Juliano Pessoa e Zuel Ferreira.

Marina Moschen em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Alex Santana)

Neste ensaio, mais sóbrio e que revelou novas facetas da menina que é sucesso na telinha, Marina Moschen mostrou um lado responsável e seguro. Inclusive em relação à internet. Nas redes sociais, a atriz é um fenômeno e, em segundos, suas fotos já estão sendo repostadas por dezenas de seguidores. Só no Instagram, por exemplo, Marina possui quase dois milhões de seguidores e garantiu manter boa relação com todos eles. “Eu gosto desse carinho e dessa troca com quem acompanha o meu trabalho. No Twitter e no Instagram, por exemplo, eu procuro sempre responder e manter um canal com quem me segue. É super legal ver que tem gente que se interessa além do seu trabalho e tem a curiosidade de ver como é o dia-a-dia. O mais bacana é que não passa de um ponto que me incomoda. Eu sinto que é bem respeitoso”, disse Marina.

Cores, cores, cores. Foi assim o editorial com Julia Konrad, publicado em julho no site HT. Os cliques, que tiveram inspiração oitentista, combinaram com o clima animado e super astral da atriz que, na época, estava se dedicando ao longa “Paraíso Perdido”. Neste trabalho, Julia teve, entre outros desafios, a missão de aprender e se comunicar em libras para atender às necessidades de sua personagem, que falava com uma pessoa surda. Para contar sobre esta novidade e comentar outros assuntos, Julia posou para as lentes de Ricardo Penna, com maquiagem de Ewerton Pacheco, cabelo by Marcelo Matos e styling de Herik Dumont.

Julia Konrad em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Ricardo Penna)

Na entrevista, além do filme, Julia Konrad comentou questões que a encorajam, envergonham e fazem parte do seu dia-a-dia. Entre elas, uma bem própria, foi o seu cabelo. Mais do que qualquer relação com beleza, Julia destacou a importância de valorizamos a diferença em uma sociedade tão padronizada e, a seu lado, a atriz defendeu seus lindos cachos. “Precisamos nos aceitar como somos, independentemente de qualquer tipo de padrão. Sou contra qualquer tipo de ditadura quando me refiro à beleza ou a aparência. Precisamos saber nos sentir bem na nossa própria pele, mas que isso não nos impeça de brincar com o nosso visual. O primeiro passo é sempre nos valorizarmos do jeito que viemos ao mundo, a nossa beleza natural. Só assim podemos brincar de mudar sem que isso seja um escudo”, argumentou Julia Konrad.

Um poder, né? Em julho, Luiza Brunet estrelou um editorial do site HT para lá de especial. Além de ser símbolo de força para muitas mulheres, ela justificou toda sua carga empoderada em uma entrevista que não fugiu de temas polêmicos. Neste encontro, Luiza falou de aborto, feminismo e agressão e ilustrou o porquê de ter sido escolhida como enredo de filme. Assim como faz desde os anos 1980, ela, mais uma vez, brilhou nas fotos de Vicente de Paulo, com beleza de Edilson Ferreira e styling de Herik Dumont.

Luiza Brunet em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Vicente de Paulo)

Falando na entrevista, Luiza Brunet dividiu como é ser mulher em todos os momentos que passou, bons ou ruins. No caso da violência doméstica que sofreu do ex-marido, ela não escondeu a frustração pós agressão. Inserida em tudo aquilo que estava vivendo, Luiza ainda lembrou dos comentários que recebeu na internet quando o caso foi divulgado e lamentou a postura das mulheres. “Foi muito ruim. As mulheres são muito machistas e falam sobre questões que não sabem. Teve muita gente se colocando no meu lugar, como se elas estivessem lá, e julgando o que eu fiz ou deveria ter feito. As mulheres não são unidas e isso é muito triste. Nós estamos tentando mudar um panorama de violência doméstica que existe no Brasil e em diversos países do mundo sem ter o apoio das próprias mulheres, que são mesquinhas e brutas. É muito ruim”, disse Luiza Brunet.

Outra estrela jovem que mostrou ter um super conhecimento foi Amanda de Godoi. Culta e parafraseando pensadores como Nietzche e Freud, a atriz revelou a mulher por trás do sucesso que estamos acompanhando em “Tempo de Amar”. Na novela das 18h, Amanda é Felícia, uma menina que veio para o Brasil em busca de uma vida melhor. No editorial, ela foi Amanda, uma mineirinha cheia de sonhos que escolheu o Rio de Janeiro como cenário para se dedicar aos estudos e ao sonho de viver de arte. Para contar sobre os desafios da profissão e da vida, ela posou para as lentes de Prema Surya, com beleza de Nathalie Bilio e styling de Tracy Rato. Uma equipe só de mulheres, né?

Amanda de Godoi em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Prema Surya)

Aliás, este é um assunto bem intenso na vida de Amanda de Godoi. O feminismo é mais uma das abas de discussão da atriz e também foi tema no editorial que fizemos. Mas, para comentar sobre isto ou qualquer outra questão, Amanda sempre volta a uma mesma base: o estudo. Em sua segunda novela, a atriz se divide entre as gravações e a faculdade de Cinema e destaca a importância do conhecimento, principalmente em um mundo com tantas opiniões. “A intolerância que a gente vive, seja ela religiosa, sexual, racial ou de gênero, não é de hoje. Nós temos que estudar tudo isso para termos a noção do mal que isso faz para que a gente não permita que volte a acontecer. Às vezes a gente não consegue entender como Adolf Hitler conseguiu chegar ao poder falando absurdos como conhecemos do livro de história, por exemplo. Mas, em 2018, teremos Bolsonaro com falas tão extremas quanto. Então, será mesmo que estamos tão longe desse ódio e intolerância”, questionou Amanda de Godoi no editorial.

Em agosto, foi a vez de Vanessa Gerbelli ser a estrela de um editorial do site HT. A atriz, que esteve no ar como a misteriosa Amália de “Novo Mundo”, contou sobre suas múltiplas facetas artísticas – Vanessa ainda é formada em pintura e na época estava idealizando um projeto musical com seu irmão. Neste ensaio, as fotos foram de Ricardo Penna, com beleza de Gabriel Ramos e styling de Marlon Portugal.

Vanessa Gerbelli em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Ricardo Penna)

Além de contar sobre suas habilidades artísticas, Vanessa Gebelli comentou as dificuldades das artes no Brasil, a função de ser mãe, analisou os 20 anos de carreira e destacou a atual valorização exterior no lugar da interior. “Esse culto do ego de hoje em dia é muito por causa do mercado. Há muitos anos vivemos uma busca por uma beleza cada dia mais perfeita e isso acaba refletindo nas pessoas. Mas, na minha opinião, uma hora isso vai se extinguir. Não dá para servir a essa loucura e nem viver dessa forma. Por isso, eu procuro fazer o caminho contrário e cuidar mais de mim por dentro. Apesar de eu ter essa preocupação feminina da aparência, eu tenho uma procura espiritual dentro de mim que vai muito além da beleza”, disse Vanessa Gerbelli.

Como humorista, nós já sabemos o quanto ela é maravilhosa. Mas, este ano, descobrimos a versão musical de Fabiana Karla no PopStar, reality da Globo que ela chegou até à semifinal. E, para contar sobre o momento especial, Fabiana Karla protagonizou o editorial de setembro que foi clicado por Vinícius Mochizuki. Na beleza, a pernambucana contou com o trabalho de João Paulo Rodrigues e o styling foi de Raphael Brick.

Fabiana Karla em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Vinícius Mochizuki)

Empolgada com a faceta cantora, Fabiana Karla nos contou sobre sua relação com a música e a repercussão do PopStar em sua carreira. Mas, mesmo com o sucesso no microfone, ela seguiu com seus outros projetos. Um deles era o de levar a Lucicreide, sua famosa personagem cômica, para Marte em um filme. Outro projeto na vida de Fabiana é o movimento Gordelícias que, ao lado de outras atrizes, ela valoriza as diferenças e as curvas – mesmo fazendo dieta. “Eu nunca fiz apologia à gordura, eu sempre exaltei o bem-estar. Na minha vida, eu já tive muitas amigas gordas que se limitavam para ver se emagreciam. Eu nunca fui assim. Para mim, quanto mais eu me vestir bem e me achar bonita, mais eu vou querer cuidar de mim. Então, quem diz que eu estou traindo o movimento está perdendo tempo. Eu sou uma mulher de 93kg que ainda sou gorda. Mas eu tenho os meus desejos e conheço os meus limites. Hoje, eu me sinto melhor com as minhas formas e mais inserida dentro dos meus valores”, comentou Fabiana Karla.

Quem também canta, atua e dança e foi destaque por aqui foi Lua Blanco. A atriz, que se divide na carreira como cantora e agora como youtuber, este ano também integrou o elenco de “A Força do Querer” e em outubro contou ao site HT sobre seus projetos e impressões. Em um editorial super fresh, Lua Blanco posou para as lentes de Patrick Sister, com beleza de Vivi Gonzo e styling de Rafael Ourives.

Lua Blanco em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Patrick Sisteri)

Na entrevista, Lua Blanco contou de seus medos, traumas, alegrias e conquistas na vida pessoal e profissional. Entre todos os assuntos sobre a carreira na música e na televisão, com pitadas de sua experiência na internet, Lua se emocionou com algo mais íntimo. Hoje como feminista declarada, a atriz lembrou da infância e da adolescência antes de conhecer e “ser salva” pela ideologia do movimento. “Quando eu era pré-adolescente, estava com um grupo de amigos e amigas conversando e, em um momento, eu sentei na perna de um dos meninos. Não foi nada demais, era um contexto de brincadeira, de preguiça. Mas, quando a minha mãe viu aquilo, ela me deu uma bronca falando que eu estava sentada no colo de um homem. Mas não tinha qualquer maldade naquilo”, contou a atriz que apontou as consequências dessas experiências em sua vida adulta. “Isso vai dando uma travada no nosso jeito de ser em que a gente não sabe o que podemos ou não fazer para não ter que passar por uma situação dessa de novo. São repressões que acabam com a nossa personalidade”, contou Lua Blanco.

Agora mais um representante masculino! Segundo homem a ser clicado este ano, Thiago Martins é o galã dos editoriais do site HT em 2017. Ele, que está no ar como o Julio de “Pega Pega”, incorporou nosso personagem, vestiu a beca e fez bonito nas fotos de Prema Surya. Entre caras e poses, Thiago teve beleza assinada por João Paulo Rodrigues e styling de Tracy Rato.

Thiago Martins em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Prema Surya)

Porém, para acompanhar estas fotos, Thiago Martins se desfez de qualquer personagem e revelou sua essência em uma entrevista que lembrou os tempos no Melanina Carioca, o começo da carreira e a vida no Morro do Vidigal. “Foi uma época muito difícil e complicada. Por tudo. Pelo que cerca a vida na comunidade, a violência, a necessidade. Minha mãe foi empregada doméstica durante muitos anos para conseguir sustentar dois caras, nós morávamos em uma área de difícil acesso e tivemos um trauma que foi uma violência dentro de casa quando meu irmão tomou um tiro. Então, foi ima infância muito conturbada. Todos os dias quando eu acordo eu agradeço por ter uma casa, meu cachorro, meu trabalho e toda a minha família estabilizada. É muito difícil, principalmente vindo de um lugar como uma comunidade. Eu cresci escutando que eu tinha que ser dez vezes melhor do que o menino do asfalto para eu conseguir algum espaço”, contou Thiago Martins.

A novinha que agitou “A Força do Querer” este ano também passou por aqui. Em outubro, Carla Diaz foi a estrela de um editorial do site HT e destacou seus 25 anos de carreira entre a atuação e a publicidade. Ela, que começou com dois aninhos na vida profissional, agora deixou para trás qualquer lembrança da menininha que dizia “Inshalá” em “O Clone”. No último trabalho, Carla brilhou como uma mulher poderosa e revelou suas curvas – e, com isso, conheceu o outro lado deste assédio. Mas isso foi na novela. No editorial, a atriz posou para Vinícius Mochizuki, que também assinou a beleza, e teve styling de Anderson Vescah.

Carla Diaz em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Vinícius Mochizuki)

Quando conversamos com Carla Diaz, a atriz comentou a repercussão que sua personagem estava causando na história de Gloria Perez e nas ruas. Aliás, sobre este contato com o público, ela garantiu que nunca havia sido desrespeitada, embora tenha reconhecido o aumento na procura pelos fãs. “O assédio masculino aumentou, mas ainda é muito respeitoso. Como a gente leva para a comédia porque a personagem é bem engraçada, eu acho que o retorno que eu tenho é mais carinhoso do que invasivo. Eu nunca passei por nenhuma situação desrespeitosa ou que tivesse me incomodado”, disse Carla Diaz.

Mais recente, já neste mês de dezembro, Mônica Martelli e sua paixão pelo teatro foram os destaques no site HT. A atriz, que vem conquistando cada vez mais espaço e público graças à peça autoral “Os Homens São de Marte e é Pra Lá Que Eu Vou”, contou como foi o processo de criação, de inovação com o segundo texto da personagem e a importância dos palcos em sua carreira. Inclusive, foi em um deles que ela posou para Alex Santana. No editorial do site HT, Mônica teve ainda beleza assinada por Nathalie Bilio e styling de Anderson Vescah.

Monica Martelli em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Alex Santana)

Mas, em meio a tantas alegrias, Mônica não fugiu de assuntos sérios e reforçou o que diz em sua peça. Assim como a personagem não aceita viver como dependente do marido, a atriz garantiu que pensa igual. “Ela é libertadora e moderna por isso. Ela não mantém casamento falido, ao contrário do que a maioria das mulheres fazem porque, de fato, é muito difícil. A gente acaba relevando situação que não poderia ser assim. O tempo todo vemos mulheres suportando histórias por medo de ficar solteira aos 40 anos. Mas a Fernanda não tolera uma relação sem futuro ou abusiva. E por isso que ela é feminista e atual”, defendeu Mônica Martelli.

Por fim, mas não menos importante, Fernanda Nobre foi nossa última estrela neste ano. Já no clima da Diana de “Deus Salve o Rei”, que estreia em janeiro na Globo, a atriz foi clicada por Markos Forte, com beleza de Mary Saavedra e styling de Léo Belicha em um ensaio poderoso. Segura e empoderada, a atriz comentou de sua volta à Globo, da união nos bastidores da novela medieval, principalmente após o incêndio que destruiu um dos cenários da produção, e de sua visão sobre o trabalho do artista contemporâneo.

Fernanda Nobre em editorial exclusivo para o site HT em 2017 (Foto: Markos Fortes)

Para Fernanda Nobre, hoje em dia há uma criminalização sobre o ofício das artes que está deturbando a sua profissão. Inclusive, na opinião da atriz, hoje, ser artista não é algo fácil. “É ser um marginal. E eu falo isso com dor. Está existindo uma manipulação muito forte, séria e perigosa com o povo e ninguém está percebendo. Tem um grupo poderoso com interesses econômicos para que isso aconteça que está nos colocando em um lugar que é completamente contrário a tudo o que é arte. Eu acredito que o meu trabalho tenha a ver com liberdade e possibilidades novas de ver o mundo. A partir do momento que me colocam como uma criminosa por isso, acaba a minha liberdade de expressão. É muito grave analisar tudo isso”, analisou Fernanda Nobre.

Pesquisas relacionadas

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,