Gente & Comportamento

Prestes a lançar clipe de “Mulher-gato”, Wanessa Camargo fala sobre feminismo na música: “Acredito que só vá aumentar daqui para frente”

A cantora esteve no Minas Trend, onde prestigiou o desfile de Letícia Manzan - responsável pelo figurino de seus clipes: "Tenho uma ligação especial com a moda mineira"

Publicado em 18/04/2018 | Por Heloisa Tolipan

Wanessa Camargo tirou um tempinho na sua agenda lotada que envolve lançamento de um novo clipe e shows por todo o país para prestigiar a estilista Letícia Manzan no Minas Trend e revelou que é a mineira quem está cuidando de seu figurino de trabalho. “A conheci em um showroom em São Paulo e ali, na hora, já queria todas as peças, fiquei louca. Daí ela fez um vestido para mim em um show e, desde então, começamos uma parceria muito legal. Ela quem está fazendo o figurino dos meus shows e fez todos os looks do meu novo clipe”, adiantou.

Wanessa Camargo no backstage do Minas Trend (Foto: Henrique Fonseca)

Na fila A do desfile, Wanessa enalteceu sua admiração pela veia fashion de Minas Gerais “A moda mineira sempre foi uma das grandes parceiras da minha vida de artista. Depois que comecei o trabalho como cantora, desde o comecinho, sempre recorri muito as marcas mineiras. Tanto casual como pra roupa de show. Talvez porque minas tem uma característica do bordado que me interessa muito. A pedraria que me interessa muito, a delicadeza do bordado, isso pra mim é muito interessante pra palco, pra vida, enfim. Essa mistura me agrada demais”, afirmou.

A cantora, que lança sua nova música, “Mulher-gato”, no próximo dia 27, elogiou o movimento feminista no meio musical. “É muito interessante ver isso, não só no sertanejo, mas no funk, pop. As mulheres sempre estiveram presentes na música. Muitas mulheres foram importantíssimas para que a nossa geração tivesse liberdade de cantar sobre o que quisermos. Temos as mulheres de vanguarda que precisamos reverenciar muito. Elas falavam o que queriam. Tenho honra de ter tido essa liberdade e acho que só vamos aumentar isso daqui para frente, dividir espaço nos festivais com esses homens todos. Isso porque merecemos, não porque estamos reivindicando”, concluiu ela, que transita com maestria entre o sertanejo e o pop e, em seu novo single, canta versos ousados como “Me joga pra cima que eu caio de quatro, sou a sua mulher-gato”. “É sobre as mulheres que querem ser livres nas escolhas, ideias, pensamentos e atitudes. A música vem mexer com a mulher que precisa se libertar de certas amarras”.

Pesquisas relacionadas