Gente & Comportamento

“Precisamos acordar os caretas”, convoca Toni Garrido

Cantor agita camarote Folia Tropical com sucessos do Cidade Negra

Publicado em 03/03/2019 | Por Heloisa Tolipan

Toni Garrido em apresentação que sacudiu o camarote Folia Tropical. (Fotos: Lucas Vieira/Divulgação)

“A favor da comunidade, que espera o bloco passar, ninguém fica na solidão, embarca com suas dores pra longe do seu lugar”. Versos como o de “Girassol”, popularizados por Toni Garrido, dão o tom do reggae que pede uma sociedade sem barreiras, que olha para frente e na qual, de fato, ninguém solta a mão de ninguém.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foi justamente sobre isso que conversamos ontem com Toni, que havia chegado do Carnaval de Recife (PE) direto para uma apresentação no camarote Folia Tropical, o mais democrático e brasileiro da Marquês de Sapucaí. “Eu venho falando sempre por onde passo que o futuro do mundo é a diversidade. É se livrar de amarras e evoluir. Precisamos respeitar o passado, mas não podemos fechar os olhos para o fato de que dele veio uma cultura preconceituosa. É o passado e os antepassados que não aceitavam cores e estilos de vida diferentes”, disse.

“Precisamos, portanto, entender, coletivamente, que evoluímos a partir disso e precisamos ir pra frente sem medo. Momentos como o Carnaval são ideais para isso, uma vez que o futuro do mundo é a diversidade. É hora de se libertar! De liberar! Perdemos o tino, a mão da liberdade, do respeito aos outros! E por isso precisamos acordar os caretas. A sociedade careta começou a despertar de um sono profundo e a provocar. É preciso avançar”, ressaltou.

É que, para Toni, o rumo ideal é uma sociedade livre para pensar e viver como quiser. “Por isso precisamos de novas misturas, novos resultados. O ser humano necessita se misturar entre si. E eu falo de povo. Quanto mais a gente se misturar, melhor. Vamos caminhar para a frente, menos caretas, mais cientes de um mundo livre em que a diferença do outro seja respeitada”.

Pesquisas relacionadas