Gente & Comportamento

No ar em “Belaventura” da Record, Larissa Maciel comenta personagem, sucesso das novelas bíblicas da emissora e educação feminista em casa: “Não tem segmentação nas brincadeiras”

Na faixa das 19h30, a trama já foi toda gravada antes mesmo da estreia. Como obra fechada, a atriz resgatou a experiência de minissérie, apesar de confessar que prefere o formato tradicional. "Eu acho incrível quando a gente passa o dia gravando, chega em casa e consegue assistir o que foi feito. Isso vai ajudando e aproximando o ator do personagem"

Publicado em 01/12/2017 | Por Julia Pimentel

O cenário é de ficção, as roupas são de princesa e ela é a resposta para muitos segredos em “Belaventura”, a novela das 19h30 da Record. Na trama, Larissa Maciel é Lucy, uma mãe que faz de tudo para proteger sua filha do reino da ficção por razões ainda misteriosas. E são esses motivos que estão agitando a história de Gustavo Reiz. Com pinta de bruxa por causa de suas crenças místicas, a personagem ainda é uma incógnita para muitas questões. Mas, nos bastidores, Larissa garante que Lucy ainda será muito combustível para essa fogueira. “Na história, ela sempre falou para a filha ficar longe dos homens da corte dando a entender que havia algum mistério ali. Agora ela está desaparecida porque foi capturada, mas ainda dá alguns indícios pelas memórias antigas da filha”, contou.

E Larissa Maciel sabe muito bem o que podemos esperar de sua personagem. Além de ser responsável pelas emoções de Lucy na trama, a atriz contou que já gravou todas as cenas. Embora “Belaventura” tenha estreado em julho deste ano, o trabalho de Larissa terminou ainda antes do lançamento. “Nós começamos a gravar em fevereiro deste ano e fomos até julho, quando ela estreou. Mas a história ainda fica no ar até fevereiro de 2018”, explicou a atriz que já havia trabalhado com uma produção fechada antes, mas prefere os moldes tradicionais de novela. “Quando eu fiz minissérie, nós também gravamos tudo antes de a novela começar. E esta está sendo a primeira vez que faço uma novela fechada assim. É interessante, mas eu acho que o enredo ganha mais quando a gente vai acompanhando a repercussão do público. Eu acho incrível quando a gente passa o dia gravando, chega em casa e consegue assistir o que foi feito. Isso vai ajudando e aproximando o ator do personagem”, analisou Larissa sobre a estratégia da Record que, pela segunda vez estreia uma produção toda já gravada.

Larissa Maciel interpreta Lucy em “Belaventura” da Record (Foto: Sergio Baia)

O que também não é novidade na emissora são as tramas descoladas da realidade contemporânea. Apesar de “Belaventura” não ser um dos poderosos textos bíblicos da Record, a história se passa em um reino de ficção bem diferente das cidades grandes do século XXI, que costumam ser plano de fundo dos folhetins. Mesmo assim, a atual novela das 19h30 faz parte de um contexto mais realista dentro da estratégia da Record, segundo Larissa. Para a atriz, a emissora tem dedicado sua faixa das 21h às novelas bíblicas, que têm se destacado dentro e fora do país. “A Record achou um nicho de mercado que era pouquíssimo explorado e está vendendo esses produtos para o mundo inteiro. A minha personagem em “Os Dez Mandamentos” foi um sucesso incrível, assim como todo o elenco. Inclusive, hoje, por isso, espanhol é a segunda língua mais falada nos meus comentários no Instagram, por exemplo”, disse.

E, já que Larissa Maciel resgatou o sucesso bíblico do ano passado, “Os Dez Mandamentos” foi um marco na audiência da teledramaturgia recente e uma grande oportunidade para aqueles que participaram da história. No caso de Larissa, foi na pele de Miriã que ela contou uma parte das histórias da Bíblia. E, como lembrou, não foi uma experiência tão simples. “Quando nós abordamos um tema conhecido, precisamos entender que as pessoas já têm muitas referências sobre aquilo que estamos falando. E a Bíblia é o livro mais lido no mundo. Mas, ao nosso lado, tínhamos uma das mais importantes estudiosas bíblicas que soube transformar aquelas histórias riquíssimas em dramaturgia”, destacou.

Assim como a história como um todo era muito poderosa, a personagem de Larissa Maciel em “Os Dez Mandamentos” também foi uma oportunidade artística intensa para a atriz. Na trama, ela foi dos 30 aos 90 anos e viu seu discurso empoderado ir se transformando com o tempo. “A Miriã tinha uma curva dramática incrível e foi muito interessante fazer. Ela tinha muita história para contar porque possuía uma personalidade independente”, lembrou a atriz que teve a oportunidade de abordar o feminismo em um cenário totalmente diferente do atual, mas com a mesma força para aqueles que quiseram refletir, como ela destacou. “Para os espectadores que estão dispostos a pensar a partir do entretenimento que levamos, essas novelas têm sido maravilhosas. Estamos mostrando que mesmo nos tempos bíblicos existiam personagens que lutavam pela liberdade das mulheres, como foi no meu caso. Assim como é em “Belaventura”, que tem a Lucy que criou sua filha sozinha”, comentou.

Em “Os Dez Mandamentos”, a atriz foi a plural Miriã, personagem que foi dos 30 aos 90 anos na trama (Foto: Sergio Baia)

E esta coragem autoral que Larissa Maciel destacou não fica só na ficção em sua vida. Assim como suas personagens possuem traços de feminismo em diferentes contextos, a atriz também não foge aos discursos do movimento. Inclusive, em casa com a pequena Milena, sua filha de três anos. “Desde pequena, a Milena está inserida em uma família de mulheres muito fortes. Assim como eu. A minha avô paterna teve sete filhos e, quando não sabia nem que estava grávida da minha tia mais nova o meu avô faleceu. E, então, ela criou todas essas crianças sozinha nos anos 1950, todos fizeram faculdade e ela foi uma guerreira. No lado da família da minha mãe, ela também é um exemplo dessa força da mulher. Desde jovem, ela, que é uma mulher muito bonita, não quis só isso. Do mesmo modo que o meu tio foi estudar, ela também se dedicou e se tornou procuradora federal”, contou.

Com esses exemplos, Larissa e, futuramente, Milena não poderiam não se reconhecer nos discursos contemporâneos. “A minha filha está sendo criada ouvindo essas histórias de mulheres poderosas e desde pequena já vem mostrando comportamentos feministas. É muito bonitinho ver que para ela todos os amiguinhos são iguais, brincam juntos e possuem os mesmos interesses. Inclusive, às vezes temos que interferir e explicar que os meninos possuem uma força física maior, senão, estariam todos juntos”, contou a atriz que buscou uma escola para a pequena Milena que também seguisse esse conceito. “Não tem segmentação nas brincadeiras. Meninos e meninas brincam de casinha, de cuidar da neném e de fazer comida. E isso é ótimo. O meu irmão, que sempre brincou comigo de boneca, hoje é um pai maravilhoso”, disse.

No entanto, Larissa Maciel reconhece que nem toda sociedade possui este pensamento de igualdade entre os gêneros, raças e opiniões. “Eu espero que ela encontre pessoas que tenham essas mesmas ideias das quais acreditamos. Imagina que triste se ela conhece um cara machista? Isso é possível. Eles estão por aí e não têm nem vergonha de se mostrar”, lamentou a atriz.

Assim como as personagens, Larissa também destacou o discurso feminista em sua vida pessoal (Foto: Sergio Baia)

E todo esse assunto que passeia pela preocupação com a pequena Milena não se restringe à opinião social de Larissa. Com apenas três anos e muita fofura, a primogênita da atriz também foi responsável por um período de mudanças na carreira de Larissa Maciel. Desde o nascimento de Milena, a atriz vem se dividindo em uma rotina profissional que não é maior que os pequenos e inesquecíveis momentos de crescimento de um bebê. De acordo com Larissa, desde que soube que estava grávida, ela vem se dedicando apenas à televisão como forma de garantir presença nos primeiros passinhos, palavras e descobertas da filha. Como consequência, o teatro ficou de lado na rotina da artista. Até agora!

Com a Milena mais crescidinha, Larissa Maciel contou que planeja voltar aos palcos e, inclusive, já tem até o texto. “Eu fiquei muito apegada à minha filha e neste momento, quis priorizar essa minha relação com ela. Mas, agora, estou sentindo muita falta dos palcos e já planejo voltar”, contou Larissa que, desde que se mudou de Porto Alegre para o Rio, só fez duas peças em solo carioca. A última há seis anos. “Eu estava procurando textos e achei uma peça incrível de um autor argentino e estou tentando viabilizar a montagem. O espetáculo é sobre uma mulher de 40 anos que está em um momento limite da vida, tem um encontro com um homem e a vida muda. Então, é um texto que fala de solidão, amor, passagem do tempo e sexo”, contou.

Porém, para tirar a ideia do papel, Larissa esbarrou na atual situação das artes no Brasil. Em processo de captação de recursos, a atriz comentou sobre o momento de crise no teatro e da dificuldade de montar sua comédia. “O país está passando por uma fase muito difícil e nas artes não é diferente. Parece que está havendo um ataque aos artistas e uma campanha de difamação contra a classe. Estão querendo tirar os benefícios que a arte conquistou com tantos anos de trabalho”, disse a atriz que, no sentido contrário, destacou a resistência por parte de seus companheiros. “Nós não vamos permitir isso, apenas precisamos entender como vamos operar neste cenário. Eu estou em busca de patrocínio e quero montar essa peça. Este é um texto leve e eu planejo viajar por várias cidades o fazendo”, contou Larissa Maciel. Avante!

Pesquisas relacionadas