Gente & Comportamento

Klebber Toledo fala sobre invasão da vida privada : “Estou exposto o tempo todo. Não falo de tudo porque é o mínimo de cuidado comigo mesmo”

O ator ainda falou sobre seu vilão de "Êta mundo bom": “Ele é um vigarista com princípios. Não gosta de abusar das pessoas, dá dinheiro quando pode. Vejo ele como um cara que não teve outra oportunidade. A vida foi levando, é como dizem: a ocasião causou o ladrão"

Publicado em 26/04/2016 | Por Karina Kuperman

THID1639

(Foto: Thiago Duran e Leo Franco/AgNews)

Klebber Toledo chegou à Bienal do Ibirapuera de “cabeça baixa”. Pelo menos tentou. Celeb mais abordada da São Paulo Fashion Week até agora, a presença do guapo formou uma longa fila para vê-lo no pilotis. “Eu passei de cabeça baixa vindo para cá, foi rapidinho, não vi nada direito. O que consegui ver no evento, que gosto muito, é tudo isso, essas imagens, pessoas, marcas, telefones, acho fascinante. Divertido. A moda é isso, ela está mudando o mundo e mudando com o mundo”, analisou ele. E o que será que ele, como consumidor, mais gosta? “O que eu levo em conta na hora de comprar uma roupa? Difícil dizer. Primeiro porque eu sou o cara mais objetivo que você vai conhecer na vida. Eu entro em uma loja e peço para me entregar algo simples. Sou básico. Hoje estou um pouco mais arrumado porque é um evento especial, mas o meu normal é camisa branca, preta, cinza e uma calça jeans. Só. Meu estilo no dia a dia é praticidade total. Se você abrir meu guarda-roupa só vê jeans e blusa básica. Mas eu troco de roupa, gente, juro”, disse, aos risos. Para Klebber, moda serve para autoestima. “Para mim, moda é estar bem. Colocar algo e sair se sentindo feliz”, contou. E será que tem algo que ele deseja fortemente? “O que eu vejo e quero para já geralmente é uma peça de teatro ou um filme. Não tenho muita gana em bens materiais”, afirmou.

No ar em “Êta mundo bom” (Globo), que, recentemente, bateu recordes de audiência – superando, inclusive, os números da trama das 21h, Klebber destacou sua alegria em fazer parte da trama. “É um sucesso. Engraçada, linda, emocionante. O público sente ódio, felicidade, sorri e chora. É uma mistura bacana e a audiência responde. A trama é muito bem amarrada, Walcyr Carrasco (o autor) vem se superando a cada novela e voltou pra um horário que domina muito. Essa novela é uma mistura de sentimentos. Acaba o capítulo e todo mundo quer mais. É uma prosódia diferente, com núcleos maravilhosos, cada um com sua identidade. E Jorge Fernando (o diretor) é mestre”, elogiou ele, que não vê seu Romeu como um vilão. “Ele é um vigarista com princípios. Não gosta de abusar das pessoas, dá dinheiro quando pode. Vejo ele como um cara que não teve outra oportunidade. A vida foi levando, é como dizem: a ocasião causou o ladrão. Mas depois que a vida dele deu uma reviravolta e ele ganhou dinheiro, só tem tentando provar seu amor”, disse.

klebber1

Klebber Toledo como Romeu em “Êta mundo bom” (Foto: Reprodução/Gshow)

A performance de Klebber ganhou ainda mais os comentários do público após uma cena em especial: quando seu personagem perdeu as roupas. “O nu foi dentro de um contexto perfeito, com muitas situações para ele realmente se ferrar. Ele já vinha sofrendo tanto, foi bacana. Quando falam disso comigo eu brinco e pergunto se a pessoa riu ao assistir e sempre dizem que sim. Então o nu é realmente a consequência de tudo, de ser jogado no chiqueiro, da farinha, da humilhação”, analisou. E a pergunta que não quer calar: como foi gravar isso? “A pior parte foi a fita adesiva para segurar o tapa sexo. Eu não precisava estar completamente exposto, mas se o personagem pedisse eu faria, também. Foi divertido. Tem algumas coisas que a gente só pode fazer na vida trabalhando. Eu não vou andar assim, nu, na rua, né?”, falou, aos risos.

Mas o que será que Monica Iozzi – com quem o ator está tendo um affair – achou? “Tem que perguntar para ela”, disse, tímido. “Eu lido com as perguntas sobre a vida pessoal sorrindo, né. Não tem jeito. Se eu falar que não falo disso é clichê. A minha vida está exposta o tempo todo. Não falo de certos assuntos porque é o mínimo de cuidado comigo mesmo”, declarou. A gente entende.

Pesquisas relacionadas