Gente & Comportamento

Maurício Destri comenta as cenas de luta na novela: “Tomei anti-inflamatório durante sete dias”

O ator interpreta um dos personagens principais de Orgulho e Paixão. Em entrevista para o site HT, ele contou um pouco mais sobre a preparação, sobre o sucesso de sua carreira e confessou estar completamente fechado para relacionamentos amorosos

Publicado em 06/08/2018 | Por Ana Clara Xavier

Desafiadoras, cansativas e complexas são algumas palavras que podem descrever a sensação de Maurício Destri ao interpretar as cenas de luta vividas por seu personagem em Orgulho e Paixão. Independência financeira é algo que o ator já conseguiu há algum tempo, mas o mesmo não vale para Camilo. Na trama, o jovem dependia muito de sua mãe para seguir em frente e, por isso, encarou o mundo do boxe como uma saída. Mas esta decisão saiu do universo imaginário da novela e afetou a vida real. Ao aplicar os golpes, Maurício chegou a precisar tomar remédio para se recuperar de ferimentos. Acabei machucando as mãos. Como na época não existiam luvas, os golpes machucavam ainda mais e por isso acabei sentindo mais. Tomei anti-inflamatório durante sete dias.  De qualquer forma, foi uma aventura muito legal. As cicatrizes ainda doem um pouco, já que não pude engessar”, afirmou. Atualmente, o personagem acabou deixando os ringues um pouco de lado para seguir outro caminho, mas isto não significa que cenas como esta acabaram. Em entrevista para o site HT, o ator contou um pouco mais sobre a preparação, sobre o sucesso de sua carreira e confessou estar completamente fechado para relacionamentos amorosos. Vem conferir!

Maurício Destri interpreta o Camilo em Orgulho e Paixão. Na trama, faz par romântico com Pâmela Tomé e é filho de Gabriela Duarte (Foto: Raquel Cunha/Globo)

Em seu currículo de atuação, Maurício costuma fazer sempre o mocinho, sendo assim este personagem de Orgulho e Paixão representou um desafio a mais para o jovem. Ao mesmo tempo em que é um rapaz doce, Camilo também sofre muito, não só pelos constantes embates com a mãe e pelo amor por Jane, vivida por Pâmela Tomé, mas fisicamente. Estas dores físicas também foram sentidas na pele do ator, já que não houve nenhum dublê. “A primeira cena que gravei depois das lutas, eu ainda não tinha noção de onde vinham as dores no meu corpo. Com o decorrer das gravações, percebi que sentia muito nas mãos e ombros. Tinha momentos que nem conseguia falar direito. Fui mudando, com isso, a visão deste cara e os trejeitos, afinal, ele sentia dores ao sentar e andar como eu”, comentou. Exatamente por ser tão exaustivo, o artista está recebendo um cuidado extra da produção. “Eles sempre estão atentos, tentando me dar muito carinho, por saberem das dificuldades”, completou. Em um dia, por exemplo, ele pediu para diminuir a quantidade de cenas de luta que seriam gravadas e foi ouvido pelo diretor Fred Mayrink.

Apesar destas gravações exigirem muito fisicamente do ator, existe um grande trabalho de toda a equipe de produção para evitar estes tipos de problema. Para isso, a marcação dos personagens é muito técnica. “Tem uma coreografia para que aquilo aconteça, mas tinha momentos que me sentia dentro de um ringue mesmo. Eu não me preocupei muito em fazer tudo perfeitamente, em acertar todos os socos, fui mais pelo viés da dança”, contou. “Alguns caras me pediram para socá-los mesmo na cara, porque já estavam acostumados. O resultado foram cenas bem realistas”.

Maurício Destri na coletiva de Orgulho e Paixão (Foto: Fábio Rocha/Gshow)

Todas as dificuldades estão valendo a pena. Apesar de ter pouco tempo para checar a repercussão de seu personagem na internet, ele acredita que as pessoas estão se identificando com este trabalho. “A prova disso é que, recentemente, eu estava comendo no Leblon e uma mulher sentou do meu lado e me abraçou. Não entendi o que estava acontecendo, ela me pediu um beijo e me parabenizou por este personagem tão sofrido. Rolou uma identificação. Foi estranho no começou, mas achei o gesto carinhoso”, comemorou.

Ary Fountoura, Maurício Destri e Miguel Rômulo assistindo juntos ao primeiro capítulo da trama (Foto: Artur Meninea/Gshow)

Com a chegada do capítulo 100, o público já pode se preparar para grandes mudanças na trajetória de Camilo. Na trama, o jovem foi através de um emprego mais estável, mas nem tudo será tão simples. No entanto, de fato veremos um rapaz mais maduro na telinha. “Ele começou a andar com as próprias pernas e a tomar as suas próprias decisões. Antes, era submisso e inseguro devido à dependência da mãe. Quando ele vai para São Paulo e começa a lutar, se torna mais independente, mesmo não sendo uma forma de ganhar dinheiro tão sadia”, explicou.

A relação entre Camilo e a mãe continuará bastante conturbada. O público ainda acompanhará muitas discussões, desavenças e conciliações entre os dois. Mesmo depois de descobrir que a mãe armou um casamento falso entre ele e Jane, por exemplo, o mesmo vai continuar perdoando a mais velha. De acordo com o ator, está sendo muito bacana fazer estas cenas com a atriz Gabriela Duarte. “Nos conhecemos em A Lei do Amor e sempre achei a Gabriela uma grande mulher, assim como a minha mãe. As duas têm um olhar diferente. Sendo assim, rolou uma identificação de imediato. Uma vez, me tremi inteiro durante uma cena com ela. A gente vai para um lugar muito misterioso quando interpretamos, parecia que estava acontecendo mesmo, seja no físico ou no corpo”, confessou. Esta comparação, para Maurício Destri, é muito importante, afinal o mesmo é muito próximo de sua progenitora. Inclusive, ele chegou a perpetuar esta relação ao dar uma casa de presente para ela. “É muito gratificante ajudar a pessoa que me colocou no mundo e me deu a vida. Eu teria que trabalhar uma vida inteira para conseguir retribuir o que ela me deu”, comemorou.

Maurício confessou estar totalmente fechado para relacionamentos amorosos (Foto: Divulgação)

Na trama, o ator vive um grande amor com Jane, personagem de Pâmela Tomé. A relação é fruto de um relacionamento arranjado, mas, por sorte, os dois acabaram se apaixonando à primeira vista. De acordo com ele, atualmente este tipo de paixão é muito difícil de acontecer e, por isso, não se enxerga desta forma. “Os relacionamentos atuais estão líquidos e descartáveis, o que torna difícil o sentimento a primeira vista. Acho que a gente vai se apaixonando aos poucos, é um trabalho de construção diária. Preciso ouvir um pouco o que a pessoa tem a dizer e o que quer fazer da vida antes de construir qualquer coisa”, comentou. No entanto, isto é apenas um reflexo da fase que o ator está vivendo. “Estou focado no meu trabalho e na minha experiência pessoal. Pode parecer egoísmo, mas realmente me blindei a viver um grande amor. Não mudaria por um sentimento, mas me transformaria pelo meu ofício. Estou focando em outras coisas, mas sei que, querendo ou não, o universo vai acabar trazendo alguém. Talvez, eu queria viver algo com esta pessoa no futuro, mas hoje prefiro canalizar para outras coisas”, confessou.

Pesquisas relacionadas