Gente & Comportamento

Grito de socorro dos moradores desabrigados do Vidigal é ouvido por artistas que desenvolvem trabalhos sociais e por grandes empresas como a Ortobom

Roberta Rodrigues, Jonathan Azevedo (o Negblack) e Thiago Martins fazem a voz de toda uma comunidade ser ouvida clamando por solidariedade e ajuda do poder público

Publicado em 12/02/2019 | Por Heloisa Tolipan

Todos unidos por uma causa. Uma frase que cabe em tantos momentos e, em especial, para a bonita mobilização entre artistas e doadores que mostraram a verdadeira solidariedade aos moradores do Vidigal e da Rocinha atingidos pela forte chuva que caiu no Rio, na semana passada. Com ventos a 110 km/h, o temporal derrubou muitas árvores pela cidade, provocou alagamentos, deslizamentos de terra e matou sete pessoas, além de deixar muitas famílias desabrigadas por conta da lama que ocupou os lugares dos móveis. Diante de tantos estragos, as mãos não se soltaram após a forte chuva. A rede social foi o megafone mais eficiente utilizado pelos atores Roberta RodriguesJonathan Azevedo Thiago Martins. Através de postagens diárias sobre o caos trazido pela água, eles mobilizaram voluntários, empresas doadoras e conseguiram chamar atenção do poder público.

Os gritos vinham de todos os lados. Comerciantes que perderam as mercadorias, moradores com as casas no chão e outros com lama até a meia altura da parede, pessoas na rua sem ter para onde ir. Foi ouvindo cada história e, na maioria das vezes, sem precisar ouvir nada, apenas olhar, que os artistas sentiram a necessidade de agir rápido. Jonathan Azevedo conversou com o site HT e contou um pouco como foram esses dias de tristeza, mas também de muita luta. “Foi muito difícil ver tudo de perto. Eu nasci na Cruzada e vim para cá em 2012 pelo teatro e pela oportunidade que o Vidigal me deu. E moro aqui até hoje. No dia da chuva, minha casa inundou também e, depois que eu tirei a água toda, fui dar um auxílio aos outros vizinhos. No entanto, onde moro não foi tão afetado quanto o outro lado. Quando eu cheguei lá e vi as famílias desesperadas, senti a realidade do nosso Brasil, que muita gente não quer ver. Eu me senti muito pequeno, um nada e o que eu podia tentar fazer era mostrar através do meu Instagram o que estava acontecendo aqui dentro, a tragédia que esse povo passou”, disse o ator que é responsável por um trabalho comunitário na Cruzada São Sebastião. Através do projeto comandado por Jonathan, as crianças da comunidade do Leblon têm cursos de teatro, basquete e aulas de reforço escolar e ele trabalha para a construção de uma biblioteca, pois, segundo Jonathan, a literatura “ampliou os horizontes”.

Roberta Rodrigues, nascida e criada no Vidigal, contou ao site HT qual a origem de tanta força e vontade de amenizar a dor dessas pessoas. “Eu tenho algo que me faz sentir a dor do próximo como se fosse minha, a favela sempre foi e sempre vai ser o meu verdadeiro lar. Por dentro, fiquei destruída, eu só chorava, mas eu precisava ter força para ajudar a todos ali, graças a visibilidade que tenho com a mídia eu consegui buscar ajuda, chamar atenção para a situação, mostrar a calamidade total da comunidade”, disse e acrescentou em tom de agradecimento pela proporção que a corrente ganhou: “Eu senti muita dor, sabe quando a dor emocional passa pro físico? Me senti destruída, realmente parecia que tinha sido comigo, mas também tive esperança nos nossos. O brasileiro é muito acolhedor, recebemos tantas doações, tanta gente envolvida na causa para ajudar as pessoas que necessitavam. Sou muito grata”.

Nos primeiros vídeos postados por Jonathan e Roberta, eles imploravam pela presença de autoridades na comunidade, pois pedras grandes estavam quase rolando em cima das casas do alto do morro e poderiam provocar ainda mais danos. Em uma postagem, na sexta-feira, dois dias após o temporal, o pedido dos atores foi atendido e agentes da Defesa Civil do município foram até o local mais ameaçado. Sobre esse grito, que precisa ter emissor certo, Roberta desabafou: “Nós somos figuras públicas, temos pessoas que nos acompanham, temos os nossos fãs e juntando tudo isso conseguimos alcançar muita mais gente, e assim, termos muita visibilidade. Infelizmente é natural que as instituições só tomem conhecimento da proporção do problema quando vêem a enorme comoção de pessoas sabendo, reportando e se sensibilizando”, disse a atriz ao site HT.

 

O ator e músico Thiago Martins, que cresceu na comunidade do Vidigal e deu seus primeiros passos nas artes integrando o grupo de teatro Nós do Morro, e cuja carreira o site HT acompanha desde o início, ouviu o pedido de socorro dos amigos Roberta Rodrigues e Jonathan Azevedo e correu em busca de ajuda. “Vidigal é minha família. Sou nascido e criado naquela comunidade. Na tragédia, a gente não pode só chorar e lamentar. É necessário arregaças as mangas”, afirmou, acrescentando: “Roberta Rodrigues, uma irmã da vida, e Negblack foram gigantes usando seus canais das redes sociais para mostrar o estrago e fazer uma corrente pelo bem. Perguntei aos meus irmãos o que necessitavam de mais urgente. Disseram: ‘água e colchões’. Procurei a Ortobom e o nosso pedido de socorro foi ouvido na mesma hora. No sábado, a empresa doou um caminhão de colchões para as famílias desabrigadas”. Um gesto, uma ação para, de alguma forma, amenizar a perda dessas dezenas de família e com a esperança de que possam estar em novos lares o mais breve possível.

Confira algumas fotos das doações na galeria:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Jonathan ou Negblack, como é carinhosamente conhecido, mora ao lado de uma das áreas que deslizaram até a Avenida Niemeyer. Desde quinta-feira passada, ele percorre, diariamente, a pé e de moto pelas ruas e becos tentando mostrar um pouco do que a água causou e entregando as doações para as famílias. “Para nós, é uma bênção com o nosso trabalho poder ajudar a comunidade. Mas, ao mesmo tempo, contatamos também que precisamos do poder público. O meu sonho é reconstruir a casa de todas essas pessoas, mas eu não tenho condição financeira para isso e nem as pessoas que estão ali ajudando. Estamos de corações abertos para tentar dar possibilidade para que essas famílias se sintam mais acolhidas e seguras”, afirmou o ator, acrescentando: “A questão das obrigações do governo no nosso país é essencial, pois não temos uma população que cobre incessantemente aos governantes o dever deles. Então, nessa mobilização, além de ajudar, estamos alertando o nosso povo de que temos que ser ouvidos, porque as áreas de riscos são grandes”.

E a corrente do bem atravessou fronteiras e chegou até outras comunidades próximas também atingidas pelo temporal. Negblack foi ontem à tarde até a Rocinha para entregar doações que chegaram na Associação de Moradores do Vidigal e estão sendo divididas com os vizinhos de comunidade. O ator postou um vídeo agradecendo os voluntários: “Eu queria agradecer a vocês por tirar um tempo das suas vidas para ajudar outras pessoas. As mulheres estão nos mostrando que sem elas nada nesse mundo aconteceria. A Roberta Rodrigues está lutando todos os dias, não está dormindo direito, juntando todas as forças dela para que as pessoas consigam olhar para os nossos lugares”, disse Jonathan, que gravou cenas de moradores retirando sacos de barro de dentro das casas e tentando limpar o que ainda ficou. “Funcionários da Comlurb, vocês precisam vir urgente até a Rocinha para retirar essa quantidade de lixo e de sacos de terra”, afirmou o ator em um dos vídeos.

A lama invadiu muitas casas tanto no Vidigal quanto na Rocinha e muitos voluntários, incluindo o ator Jonathan Azevedo foram ajudar os moradores na limpeza (Crédito: Divulgação)

Ajudar as pessoas da comunidade que Roberta tem tanto carinho é um compromisso da atriz. Ela é idealizadora do projeto Vidiga Social que promove festas em datas comemorativas como Natal, Páscoa e Dia das Crianças. Nascida e criada no Vidigal, Roberta visita freqüentemente a mãe, que ainda mora no local. A casa em que vive a sua família não foi atingida por estar fora da área de risco, mas a atriz contou ontem no programa Encontro Com Fátima Bernardes que foi desesperador esperar pelo contato da mãe. “Eu peço desculpas, mas não estou conseguindo mais parar de chorar na vida. São muitas coisas que a gente tem passado. A gente está cansado de sofrer. Essa dor que estou sentindo não é só pelo Vidigal”, disse atriz durante o programa. “No dia da chuva, todo mundo ficou sem luz e eu não consegui falar com minha mãe naqueles momentos”, contou Roberta muito emocionada. O irmão da atriz, Bruce Rodrigues, tem uma barraca para o comércio de alimentos e ele contou ao site HT que com a chuva teve que ficar segurando no meio da rua a estrutura para ela não cair.

Foram tantas doações e os atores também colocaram a “mão na massa” para organizar e separar tudo o que receberam. Em vários vídeos, Roberta e Jonathan aparecem carregando caixas, esvaziando caminhões e dividindo os mantimentos, as roupas, os utensílios domésticos e os calçados. Ao site HT, Jonathan explicou como os artistas se uniram no comando da corrente do bem e do amor: “Roberta Rodrigues é uma mulher muito guerreira. Depois de tanto tempo de carreira, ela nunca largou o olhar dela para dentro da comunidade. Ela fica administrando dentro do Vidigal e eu vou junto com o pessoal até as outras comunidades. Está sendo tudo muito intenso, mas com muito aprendizado”, afirmou. Uma mistura entre dor e esperança como disse o ator: “O que mais me marcou nesses dias foi perceber que muitas pessoas não têm ninguém, não têm para onde ir e não têm parentes. Observar o olhar das pessoas que perderam tudo foi muito forte. Mas, misturado à dor, existe a esperança de que o Brasil vai mudar. Então,me senti fortalecido, porque as mesmas pessoas que perderam tudo se tornaram mais fortes”.

Jonathan tem ido também à Rocinha para ajudar na entrega das doações e agradecer os voluntários (Crédito: Divulgação)

Todos esses dias, quando chegou em casa à noite, Roberta gravou uma seqüência de vídeos agradecendo a corrente humana que se formou. “Gente, estou aqui para dizer que hoje foi muito cansativo. O dia passa e o cansaço vai batendo, mas a gente não pára e não desiste. Hoje fizemos uma reunião com as pessoas que infelizmente sofreram e conversamos com elas para explicar como funciona, pois tem uma parte que não depende só da gente. O que podemos já estamos fazendo, inclusive já estamos conseguindo ajudar outros locais, como a Favelinha, a Rocinha e a Chácara do Céu. Obrigada de todo o meu coração a vocês que estão sendo incríveis. E é isso, nós temos que confiar e emitir boas energias. Tudo vai dar certo”, disse emocionada e continuou: “É tão lindo ver tanta mobilização. Eu espero que o que a gente consiga passar com isso é que as pessoas comecem a perceber o próximo. Ao invés de ficarmos cobrando muito dos outros, a gente precisa perceber e fazer a nossa parte, porque aí o outro olha e decide fazer também. E nessa corrente nós vamos transformar esse mundo”.

Roberta Rodrigues, nascida e criada no Vidigal, mostrou o galpão da Associação dos Moradores com as doações (Crédito: Divulgação)

Além dos doadores anônimos que levaram até os pontos de coleta aquilo que não usavam mais, outros artistas se juntaram a essa corrente iniciada por Roberta, Jonathan e Thiago. As atrizes Débora Bloch e Kizi Vaz foram ao encontro dos amigos e uniram forças nessa luta. O apresentador Luciano Huck foi até o Vidigal na manhã de sábado para sentir junto a dor de tantas famílias. Conversamos com a atriz Cissa Guimarães, que também marcou presença nessa corrente pelo Vidigal e Rocinha. “O que me marcou mais foi ver como as pessoas são solidárias, como elas conseguem transformar uma dor imensa em luz e amor. E ter a consciência de que a única saída é um tomar conta do outro, ajudar o próximo e fazer o bem. E, ontem, quando eu cheguei no galpão do Vidigal isso era latente, era nítido. As pessoas estavam ali com amor, cantando, sorrindo e com uma gratidão imensa apesar de terem perdido tudo. O que é mais bonito é quanto isso faz bem a gente, fazer o bem faz bem”, afirmou.

Cissa destacou ainda: “Apesar de estarmos vivendo em uma cidade abandonada, a gente percebe que as pessoas se ajudam. Essa é a nossa realidade. Se ninguém faz pela gente, nós fazemos. Foi lindo ver isso e saí de lá abastecida de amor e de esperança na humanidade. Isso sim me dá esperança no país. Estou rezando em todas as minhas orações hoje para que a chuva que vem amanhã não cause mais nada”, comentou.

Roberta Rodrigues também postou ontem e hoje no seu perfil do Instagram avisando a todos os moradores de áreas de risco sobre a chuva prevista para amanhã. Exatamente uma semana depois, o temporal assombra de novo. Que possamos mais uma vez nos dar as mãos e jamais soltá-las.

Pesquisas relacionadas