Gente & Comportamento

Felipão morreu? Brasileiros opinam sobre desempenho do técnico e tentam curtir os 40 graus de Fernanda Abreu depois do 7 a 1!

Princesinha do mar de revolta contra o resultado do jogo contra a Alemanha, HT vai às areias de Copacabana para saber o que os torcedores estão pensando sobre Luiz Felipe Scolari e como levantar a cabeça para continuar curtindo o clima de festa que assola os gringos no país

Publicado em 09/07/2014 | Por Alexandre Schnabl

Depois da derrota sofrida pela Seleção Brasileira que entrará para os anais da Copa do Mundo, com 7 gols metidos pela Alemanha, o sentimento inicial foi uma mistura de choque com descrença. E agora? Não demorou muito – os mais “espertos” já começaram com as acusações durante os seis minutos fatídicos do primeiro tempo – para os dedos se levantarem e apontarem para Luíz Felipe Scolari, que assumiu totalmente a culpa para si. Aparte do clássico drama que brasileiro faz em cima de futebol, a Copa ganhada em casa era realmente um sonho nacional que se foi de maneira rápida e abrupta. Mas seria esse o fim?

Nas areias de Copacabana, durante o show de Fernanda Abreu no Fifa Fan Fest, minutos antes da partida entre Argentina e HolandaHT perguntou a gringos e brasileiros quais eram as medidas a serem tomadas daqui para frente. Como encarar o restinho de Copa que ainda resta no país, a chance do bronze, curtir os 40 graus do Rio de Janeiro depois da derrota e o mais importante: Felipão morreu?

Vestida com shortinho revelador, a carioca Andressa Ribeiro é daquelas que não desistem nunca e seu nome é otimismo: “Fica difícil aproveitar, mas brasileiro é um povo que gosta de festa e não se abate. Agora é bola pra frente!”.

Sobre Felipão: "Acho que para ele não dá mais, né?"

Sobre Felipão: “Acho que para ele não dá mais, né?” (Foto: Vinícius Pereira)

Para Alessandro Fernandes, outro novinho de 17 anos, vingança é um prato que se come frio. “O jeito é esperar a Argentina na disputa pelo terceiro lugar e fazer o 7 a 0 contra ele”. Hum, o garoto é daqueles que arma bonito e não tem dó de ninguém…

Alessandro, de 17 anos, acho que a hora de Felipão já foi: "Ele não merecia o cargo e ainda não merece"

Alessandro, de 17 anos, acho que a hora de Felipão já foi: “Ele não merecia o cargo e ainda não merece”  (Foto: Vinícius Pereira)

Espécie de mash up de Carmen Miranda com Lola Batalhão, Rosemary Bohrel dá uma das respostas mais conformadas e eloquentes da enquete: “Olha, ontem o Brasil não jogou bem enquanto a Alemanha fez um jogo gracioso e honrado. Não deu, não deu, né, vai fazer o quê? Depois do jogo eu estava aqui na Fan Fest e continuei sambando na chuva do mesmo jeito”, revela, toda saidinha.

Dona Rose: ~Felipão não morreu não, tadinho. Isso acontece, é coisa de sorte, sei lá.  Perder faz parte da vida"  (Foto: Vinícius Pereira)

Dona Rose declara na vibe da filosofia de vida: Felipão não morreu não, tadinho. Isso acontece, é coisa de sorte, sei lá. Perder faz parte da vida” (Foto: Vinícius Pereira)

Amante do kuduro e com o coração tão rígido como um granito, Assif Ismaie, que veio direto do Moçambique para a Copa, não viu nenhuma surpresa no resultado: A seleção estava dependendo muito do Neymar. A derrota já era prevista. Claro que não de 7 a 1, mas eu já esperava que o Brasil não passasse”, afirma o africano, enquanto jura de pés juntos (ou melhor, sentado na areia) que estava torcendo para Seleção Canarinho.

Com 30 anos Assif desconversa: "Não, não foi culpa do Felipão. Quem joga, quem está em campo ali na hora são os jogadores e não ele"

Com 30 anos, Assif desconversa: “Não, não foi culpa do Felipão. Quem joga, quem está em campo ali na hora são os jogadores e não ele, ué” (Foto: Vinícius Pereira)

Ao contrário de Assif, a sueca Mimi Friman brinca de Lana Del Rey com guirlanda na cabeça e, toda terna, já é um pouco mais doce que o moçambicano: “Os brasileiros estão tristes, é claro, mas ainda assim eles permanecem muito legais e felizes na medida do possível”, afirma, toda fofa.

Mimi (25) é linda e cheia de um mimimi muito carinhoso: "Eu sinto muita pena do Brasil"

Mimi (25) é linda e cheia de um mimimi muito carinhoso: “Eu sinto muita pena do Brasil”, diz, pronta para afagar cabeças e fazer cafunés (Foto: Vinícius Pereira)

Entusiasta do famoso profeta de rua carioca e entrando no lema de “gentileza gera gentileza” da melhor maneira possível, a holandesa Marice Noordzij fez uma promessa: “Pode deixar que nós vamos para a final e vencemos a Alemanha para vocês”, firma com uma certeza convicta na vitória.

Marice (28) e seu time de holandeses: "Achei o resultado muito decepcionante"

A amiga Fanta e seus naranjitos: Marice (28) e seu time de holandeses : “Achei o resultado muito decepcionante” (Foto: Vinícius Pereira)

O caroca Eduardo Melo  também é adepto das vibrações positivas e do espírito de superação: “Nessas horas o jeito é tentar ser esportivo e entender a importância geral da Copa para o país. O foco agora é em curtir o futebol e, claro, secar a Argentina até o final”, brinca, pouco disposto a encarar um alfajor.

"O Felipão fez as escolhas dele, não é culpado. O responsável é quem o colocou lá"

Eduardo (33): “O Felipão fez as escolhas dele, não é culpado. O responsável é quem o colocou lá” (Foto: Vinícius Pereira)

Manuela Ricão, com apenas 14 aninhos, ainda guarda aqueles traços de inocência na atitude: “Agora tem que curtir como puder, de preferência indo para a praia”. Okay, starlet!

 

Manuela, novinha de 14 anos, vai no lema: "Todo mundo erra"

Manuela, novinha de 14 anos, vai no lema: “Todo mundo erra”. E quem disse que Felipão pode errar, meu bem? (Foto: Vinícius Pereira)

O paulista Douglas Henrique, que veio para o Rio especialmente para a Copa, ainda consegue ver o lado positivo das coisas: “É difícil aproveitar, cara, mas a gente se esforça bastante e tenta pegar o máximo possível de gringas até o final-de-semana, né?”. Womanizer, woman-womanizer…

Para Douglas (30), Felipão já morreu: "Morreu não, tá sepultado. Deu mole e não fez nada que preste na escalação"

Para Douglas (30), pegador do tipo “o homem que amava as mulheres”, Felipão já morreu: “Morreu não, tá sepultado. Deu mole e não fez nada que preste na escalação”

Para Thayla Galvão, do Rio de Janeiro, o melhor jeito de superar a derrota é fazer exatamente como ela: “Vem para a Fifa Fan Fest e não deixa o pique cair”. Hum, ou você entra no pique de Thayla ou na @%&!@* da Alemanha!

Para Thayla, 21 anos de Angra dos Reis, o técnico "está se recuperando para a próxima"

Espécie de prestidigitadora jovem de Angra dos Reis, Thayla, de 21 anos, acredita que o técnico “está se recuperando para a próxima” (Foto: Vinícius Pereira)

O adolescente carioquíssimo José de Almeida faz parte da galera conformada que, aparentemente, fica feliz com o que chega: “O melhor jeito é ouvir música, ir para a praia e relembrar que nós ainda somos penta, pelo menos”.

Para José (18): "O cara já está morto desde 2002 porque não sabe comandar época nenhuma"

José (18) é bem humorado, mas vaticina sem dó, nem piedade: “O cara já está morto desde 2002 porque não sabe comandar época nenhuma” (Foto: Vinícius Pereira)

A hermaníssima argentina Patrícia Sanchez não quer nem saber dessa rivalidade histórica do Brasil com a  Argentina e leva tudo na esportiva: “Eu queria os dois países na final e ainda acho que o Brasil merecia ganhar”. Mesmo contra a Argentina? “Sim, em nome do grande futebol que o país sempre apresentou”.

Patrícia Sanchez com 39 anos e toda em forma

Patrícia Sanchez, com toda em forma, tem 39 anos de pura travessura! (Foto: Vinícius Pereira)

Direto dos outbacks e amigos de coalas e cangurús, o australiano de pais brasileiros Guilherme Coelho acha que a tal rivalidade ainda é latente: “Agora é torcer pra  Argentina perder”.

Para Guilherme (24), a explicação para a morte de Felipão é simples: "Ele não fez nada naqueles seis minutos"

Espécie de crocodilo dândi do novo milênio, o bonitão Guilherme (24) tem a explicação na ponta da língua para a morte súbita do técnico brazuca: “Ele não fez nada naqueles seis minutos” (Foto: Vinícius Pereira)

Mistura de Freida Pinto com Laura Neiva, mas com língua afiada de Pinhead, a adolescente carioca Mariane Gomila já até virou a página da derrota: “O que aconteceu, passou e o Brasil continua sendo o melhor. Brasileiro de verdade  não se deixa abater”.

Mariane (17) decreta: "Felipão já morreu e não renasce por nada. Para mim, a partir do momento em que o Neymar não foi poupado no jogo contra a Colômbia, ele já estava morto"

Mariane (17) decreta em momento hellraiser: “Felipão já morreu e não renasce por nada. Para mim, a partir do momento em que o Neymar não foi poupado no jogo contra a Colômbia, ele já estava enterradinho da silva” (Foto: Vinícius Pereira)

O paulista bombado, tatuado e avantajado Augusto Souza prefere nem pensar no assunto: “Sinceramente, tenta apagar da memória o que aconteceu ontem. Se for pensar em todos os problemas do Brasil, a vida não segue, porque são muitos, viu”.

O macho man Augusto (38) ironiza: "Se ele não tiver morrido ainda é porque tá peando a Dilma"

O macho man Augusto (38) ironiza com Felipão: “Se ele não tiver morrido ainda é porque tá peando a Dilma” (Foto: Vinícius Pereira)

Sábia como um sabiá, a carioca Amanda Dias encerra a discussão na positividade: “Brasileiro é um povo festivo e, mesmo com a derrota, manda a bola pra frente e luta pelo terceiro lugar”.

Amanda (17) é categórica: "Felipão morreu, depois de 7 a 1 não tem jeito"

Amanda (17) é categórica: “Felipão morreu, depois de 7 a 1 não tem jeito” (Foto: Vinícius Pereira)

Pesquisas relacionadas