Gente & Comportamento

Fábio Assunção fala sobre seu personagem na série Onde Nascem os Fortes, discute o cenário político brasileiro e o atual relacionamento com Maria Ribeiro

Fábio Assunção, no ar como o juiz Ramiro, em Onde Nascem os fortes, falou da construção do personagem e das gravações no sertão, que começaram em outubro do ano passado. Filiado ao PT, Fábio disse se considerar uma pessoa humanitária e progressista. “Eu não mudo a minha convicção em função do que a maioria pensa”, afirmou.

Publicado em 15/05/2018 | Por Rayssa Cerdeira

Depois da novela Totalmente Demais e da sério A Fórmula, o ator Fábio Assunção volta às telinhas como o juiz corrupto Ramiro Curió, na série Onde Nascem os Fortes. A trama se passa nos dias atuais, na fictícia cidade de Sertão, no interior do Nordeste. Os jovens Maria (Alice Wegmann) e Hermano (Gabriel Leone) se apaixonam, mas são impedidos de ficar juntos depois que Nonato (Marco Pigossi), irmão gêmeo de Maria, some misteriosamente e o principal suspeito pelo sumiço é o pai adotivo de Hermano, o poderoso empresário Pedro Gouveia (Alexandre Nero).

O personagem interpretado por Fábio Assunção é o grande inimigo de Pedro Gouveia. Considerado “o homem da lei”, ele usa os poderes de maior autoridade do judiciário local para tentar acabar com o rival. “Ele é ultra conservador, é o único juiz dessa cidade. Ele faz muito uso da manipulação, do controle. Tudo o que quer é poder”, comenta Fábio.

Na série Onde Nascem os Fortes, Fábio Assunção interpreta o corrupto e ambicioso juiz Ramiro Curió. (Foto: TOP Magazine)

Sertão, a cidade fictícia onde se passa a série, teve as paisagens secas do semiárido brasileiro como inspirações. O município de Cabaceiras, no Cariri paraibano, é uma das principais locações que retrata a pequena cidade do interior nordestino. O elenco começou a gravar na região em outubro do ano passado. “Fui seis vezes para lá, dessa última vez fiquei um mês”, afirmou o ator. Segundo Fábio, gravar no Nordeste ajudou na construção do personagem. “Tem a força energética do lugar. Tem uma solidão, o isolamento do sertão. É único”.

Por falar em construção do personagem, além da ambição, outra característica do juiz Ramiro é a barba longa e grisalha. “Achamos que tinha a ver com o contexto. Inspira o poder, tira um pouco da vaidade, fica algo mais rústico”, contou. Fábio diz que já acostumou com o novo visual. “Ainda não decidi o que vou fazer depois que acabarem as gravações, quem sabe eu não fico com ela?”, comenta.

Para interpretar o juiz Ramiro na série Onde Nascem os Fortes, Fábio Assunção deixou a barba crescer, o que virou característica do personagem. (Foto: O Globo)

Sobre a vida pessoal, o ator é discreto. Ele e a atriz, diretora e escritora Maria Ribeiro, recentemente, assumiram estar em um relacionamento. Na última semana, Fábio esteve presente no lançamento do livro da namorada “Tudo o que eu sempre quis dizer, mas só consegui escrevendo”, e foi só elogios. “Eu sou um admirador, um fã. A Maria é incrível e se comunica como ninguém”, disse. Além dos elogios, também não faltaram demonstrações de afeto – assim que chegou foi prestigiar Maria com um beijo e um abraço, e em seguida trouxe um lanche para a escritora.

Fábio Assunção prestigiando a namorada, a atriz, diretora e escritora Maria Ribeiro, durante o lançamento do livro dela “Tudo que eu sempre quis dizer, mas só consegui escrevendo”. (Foto: Cristina Granato)

Filiado desde o ano passado ao Partido dos Trabalhadores (PT), Fábio não esconde suas preferências políticas. Durante o lançamento da série Onde Nascem os Fortes, o ator soltou um “Lula livre, fora Temer”. Sobre isso, Fábio reafirma sua defesa ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. “As minhas ideologias são as mesmas desde que eu comecei a ter uma consciência política. Eu me considero uma pessoa humanitária e progressista. E a figura que eu sempre enxerguei que ocupa esse lugar é o Lula”, comentou. O ator ainda contextualizou a defesa com a própria série em que atua. “Eu tive a oportunidade de viajar pelo Brasil e conhecer várias realidades diferentes, e, assim, entender a importância que o governo dele teve. O próprio sertão, a vida deles mudou, melhorou de forma nítida”, afirmou. Apesar das críticas ao atual cenário político brasileiro, Fábio diz ainda acreditar em uma melhora. “Eu nunca vivi em em um país organizado, seguro, estável. Eu não conheço esse Brasil, mas sempre tive essa esperança”.

Pesquisas relacionadas