Gente & Comportamento

Em homenagem a Alexander McQueen, Rihanna estampa a revista AnOther em projeto tecnológico inovador!

Publicação lançou um dispositivo limitado no qual a imagem de capa aparece em movimento e com alta definição. Entenda!

Publicado em 05/03/2015 | Por Heloisa Tolipan

*Por João Ker

Às vésperas de lançar seu álbum #R8 que, por sinal, tem sido guardado a sete chaves, Rihanna tornou-se mais uma vez o assunto e capa preferidos das revistas de moda. Este mês, por exemplo, ela é, simultaneamente, a estrela da Harper’s Bazaar (que rendeu o ensaio com os tubarões), da i-D, da edição comemorativa de 10 anos da W Korea e, da mais inovadora de todas, a AnOther, publicação criada pelo fotógrafo Rankin e pelo editor Jefferson Hack, o mesmo por trás da Dazed and Confused.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em uma homenagem a Alexander McQueen (1969-2010), a edição da AnOther ainda traz outras duas capas com Léa Seydoux e e a modelo Stella Lucia, mas é Rihanna quem ganha as honrarias da casa: a primeira capa digital do mundo, em alta definição e com movimento. E por “capa digital” não quer dizer que você baixa um aplicativo no iPad e lê a revista: ela é feita com uma nova tecnologia, como uma espécie de dispositivo eletrônico, que você conecta a um cabo USB e “dá vida” à imagem. Como um porta-retrato eletrônico. Não entendeu? Então dê uma olhada no vídeo abaixo:

Edição digital limitada da AnOther, em homenagem a Alexander McQueen

“Eu queria juntar o passado, o presente e o futuro de McQueen, em um momento espetacular de comemoração à carreira e à marca. Rihanna está usando McQueen feito sob medida nessa inovadora edição. Ele [Alexander McQueen] era todo focado em inovar na moda. Essa colaboração mostra dedicação e paixão por técnicas e criatividades arriscadas”, comentou Jefferson Hack.

Holograma de Kate Moss durante o desfile de Alexander Mcqueen

Realmente, quando você pensa no que Alexander McQueen já fez na passarela, projetando desde um holograma flutuante de Kate Moss ao célebre vestido branco pintado durante o desfile, nenhum outro estilista conseguiu unir tanto a moda à tecnologia. E, apesar de Rihanna não ser muito bem uma cantora conhecida por sua inovação tecnológica – talvez Björk ou Lady Gaga fossem mais apropriadas nesse quesito -, este pode ser um primeiro passo em direção a novos rumos criativos de Riri. Afinal, para quem terá Kanye West como produtor executivo de seu disco, “inovar” não é mais uma escolha, mas, sim, uma certeza.

Pesquisas relacionadas