Gente & Comportamento

Ela vai invadir sua praia! Antes de estrear no Rio com a Menina do Céu, Izabella Brant lembra dos tempos em Minas e fala de maternidade

A Menina do Céu, grupo que mistura forró com MBP e que se apresentará pela primeira vez no Rio de Janeiro nesta terça-feira (28) com o show “Floresta” no Solar de Botafogo

Publicado em 27/07/2015 | Por Lucas Rezende

Izabella Brant e Théo Lustosa estavam com os músicos ensaiados, repertório escolhido e show marcado para cantar em Belo Horizonte (MG) há dez anos. O que faltava era um nome para a banda. Sem nenhuma ideia na mente, Izabella foi até Baiano, um famoso vendedor de cachorro-quente da capital mineira pedir uma opinião. “Menina do céu, eu não sei escolher nome para banda não!”, respondeu ele. Pronto, da dúvida saiu a certeza: nascia ali a Menina do Céu, grupo que mistura forró com MBP e que se apresentará pela primeira vez no Rio de Janeiro nesta terça-feira (28) com o show “Floresta” no Solar de Botafogo.

Mas assim como o nome da banda surgiu do nada óbvio, a carreira de Izabella, em vias normais, não deveria ter desaguado em meio a sanfonas e triângulos.” Nunca pensaria nem estar fazendo música popular. Jamais pensei que estivesse cantando, aliás. Mas zona de conforto nunca foi a minha”, confessou. O motivo? A começar pelo fato dela, academicamente, ter se dedicado à música erudita. Nada que, porém,  a impedisse de gostar de um arrasta-pé. “A banda nasceu por acaso e veio do meu encontro com o Théo, que é o sanfoneiro e nosso principal compositor. Eu ia para as casas de forró dançar, acabamos nos conhecemos e vimos que tínhamos potencial para fazer algo juntos”, lembrou Izabella, 36 anos, em entrevista a HT.

unnamed

Izabella Brant: do erudito ao forró (Foto: Divulgação)

Depois de uma década de estreia, a banda está entrando em uma nova fase. Mudança essa marcada pela gestação de Izabella, que agora se divide entre os palcos e a vida de mãe de Letícia, de 11 meses, sua filha com Bruno Gouveia,  vocalista do Biquíni Cavadão. “Foi tudo relativamente programado. Pensei em engravidar numa época em que desse para fazer os shows de festa junina”, nos contou. Com condições de Izabella já voltar a se apresentar, a Menina do Céu começa lançando um EP e com nova turnê.

“Nossa volta se dá com a chegada da distribuição da Sony Music, após a banda ficar quase dez anos independente”, disse. Demora essa, bom citar, não por falta de vontade. “As coisas são difíceis. Até porque somos de Belo Horizonte, a banda era conhecida lá. Mas até fazer um nome no Rio de Janeiro e São Paulo foi difícil, foi com muita dificuldade”, pontuou Izabella. E agora que os holofotes sob a Menina do Céu são maiores, nada mais justo que reapresentar o repertório para quem chegou de última hora na história.

“A gente achou que, embora tivéssemos relançando o  ‘Festa no Céu’, valia a pena reapresentar duas faixas do disco ‘O dia em que o sol se declarou pra lua’ ao público. Aí veio a ‘Floresta’ com a participação do Tato, vocalista do Falamansa, que é um ícone. Quando gravamos essa música pela primeira vez sempre pensamos nela com a voz dele. E também a ‘Habanera’, da Ópera Carmen”, explicou Brant. E são dessas decisões que nasceu a turnê que chega aos cariocas com algumas novidades: o grupo vai contar com as participações de Bruno Gouveia e Arleno Farias.

536558_261393297282147_52120609_n

A banda Menina do Céu em ação (Foto: Reprodução)

A estreia, cercada de expectativas, não era muito fácil de se imaginar para quem não começou fazendo forró no nordeste, e ainda por cima, longe do foco do showbiz.  “Naquela época o forró estava em alta em Belo Horizonte. A gente acabou indo para o gênero, mas sempre tocamos algo da MPB. O que a gente faz é música brasileira com forte influência nordestina. Sempre fizemos uma misturinha com Rita Lee e Secos e Molhados, por exemplo”, explicou a vocalista.

Izabella, que concedia essa entrevista na maior tranquilidade, começa a, sem intenção, travar um pouco o raciocínio. Letícia havia acordado do seu sono da tarde. “Tudo começa a ficar mais manso. A gente passa a dar importância para as coisas certas e percebe que precisamos levar tudo com mais leveza. Estou mais zen, mais calma, confiando mais no trabalho”, se autoavalia, já puxando para a Menina do Céu: “confio na providência. A gente plantou e uma hora há de colher. Tudo vai acontecer na hora que tiver de acontecer”.

11209721_1090431024304999_4395622356290635396_n

Bruna, Izabella e Letícia no último Dia das Mães (Foto: Arquivo Pessoal)

A relação em casa, que poderia ser sua válvula de escape do trabalho, é mais musical do que se imagina. É o resultado de dois músicos unidos. “A gente dá pitaco a vida inteira um para o outro. Ele que me encorajou a voltar a cantar. Música é o nosso assunto em comum, não tem como a gente não conversar. Eu tenho formação erudita, e ele é mais da escola da vida. Ele vai e me solta em algum momento que preciso…”, contava Izabella quando se ouve um choro ao longe. Letícia queria atenção e vocês sabem, não se deve contrariar uma Brant Gouveia.

Serviço

Show Menina do Céu 

Dia: 28 de julho de 2015 (terça-feira)

Local: Solar de Botafogo – Rua General Polidoro, 180 – Botafogo

Horário: 21h30

Ingressos: R$ 50 (inteira) l R$ 25 (meia) l Lista amiga: R$ 30 para as primeiras cem pessoas (musicanosolar@gmail.com)

 

Pesquisas relacionadas