Gente & Comportamento

Como start da Semana do Meio Ambiente, praias cariocas recebem ‘Limpando & Reciclando’, com patrocínio da Ortobom

Idealizado em 2003 pelo empresário Hildon Carrapito e sua mulher, a jornalista Anna Turano, projeto de mutirão de limpeza será realizado por voluntários de todas as idades, no dia 1º, nas praias de Copacabana, Ipanema, Barra e Recreio e contará com uma novidade: ‘A ideia de convidar os recicladores para fazer a separação do lixo e, assim, induzir as pessoas a trabalhar também com a parte da reciclagem, fechou um belo ciclo operacional: iremos da coleta à triagem’, ressalta Carrapito

Publicado em 31/05/2019 | Por Heloisa Tolipan

Conhecido por ter a maior biodiversidade do planeta, o Brasil possui uma variedade única de biomas. Nossas fauna e flora correspondem a nada menos que 20% das espécies do mundo. A extensão continental do território (incríveis 8,5 milhões de quilômetros quadrados) e as diferentes zonas climáticas do país são, em grande parte, responsáveis por tamanha exuberância. Toda essa riqueza exige dedicação extrema para se manter a salvo das agressões que ameaçam destruí-la. Atenta a temas urgentes como responsabilidade ambiental e contribuição para o bem-estar das pessoas, a Ortobom vai patrocinar a edição 2019 do Limpando & Reciclando, projeto de coleta de resíduos na orla do Rio de Janeiro que há 16 anos reúne voluntários de todas as idades. Será realizado amanhã, dia 1º de junho, dando o start à Semana do Meio Ambiente – que tem como objetivo complementar a celebração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, instituído pela ONU.

A ação será nas praia de Copacabana, Ipanema, Barra da Tijuca e Recreio. Os voluntários receberão sacolas recicladas e luvas para coletar o máximo de resíduos das areias das praias emblemáticas do Rio de Janeiro como uma forma de criar uma corrente do bem pela sustentabilidade e conscientização do papel da população. A atividade começa às 10h e se estende até 13h. Em Copacabana, uma novidade: entre 16h e 18h, representantes da Associação dos Recicladores do Rio de Janeiro (Arerj) vão receber e separar os resíduos coletados pelos voluntários.

O engajamento de pessoas de todas as idades pela limpeza na Praia do Recreio (Foto: Arquivo)

O bacana também será ver a adesão de instituições de educação, cursos de idiomas, informática, artes marciais, universidades e escolas públicas, escolas de surfe, de futebol e de mergulho, dentre outros esportes. Para vocês terem uma ideia, em Copacabana, o lixo flutuante também será recolhido do mar pela turma do stand-up paddle. No Recreio, a Praça Tim Maia com o Recicla Surf que atua como escola de surfe em prol da preservação ambiental e mobilização social através de ações de limpeza e conscientização.

Limpeza da Praia de São Conrado com a colaboração de integrantes das associações locais (Foto: Arquivo)

O projeto Limpando & Reciclando foi idealizado em 2003 pelo empresário Hildon Carrapito, um eterno apaixonado pela nossa natureza. Sempre esteve à frente de eventos em espaços públicos e sua produtora preza por deixar os locais completamente limpos. “Eu sempre incentivei o público a recolher o lixo. Sempre pensei em soluções para o problema dos detritos. Na adolescência, eu tive um professor que, durante as excursões à praia, nos incentivava a recolher os resíduos nas areias”, lembra. Ainda em 2003, Carrapito e sua mulher, a jornalista Anna Turano, associaram-se à Clean Up the World, ONG com sede na Austrália e que atua em prol da preservação ambiental em 130 países, onde promove mutirões de limpeza anuais. (O próximo será em 21 de setembro e deve atrair 35 milhões de voluntários.) “Limpamos rios, montanhas, encostas, praias, lagos e lagoas. O trabalho é muito bonito e já fizemos em manguezais de Cubatão, visitando comunidades de moradores que vivem em casas de palafita, por exemplo”, conta Carrapito.

Fazendo o bem em prol do meio ambiente do presente e futuro: Anna Turano e Hildon Carrapito (Foto: Arquivo)

No Brasil, o evento anual da Clean Up the World é organizado por Hildon e Anna, que também assinam outros projetos da produtora Amigança: o EcoNatal, uma semana antes das festas de fim de ano; o Bloco da Limpeza, às vésperas do carnaval. “Mas não basta recolher resíduos. É fundamental saber como descartar o lixo. Os nossos encontros estão aí para mostrar como se faz”, analisa Carrapito.

Canoístas arregaçam as mangas e recolhem detritos na Baía de Guanabara (Foto: Arquivo)

Como dá para perceber, o debate nunca esteve tão presente em nosso cotidiano. Carrapito observa mudanças importantíssimas na sociedade ao longo dos 16 anos em que ele e Anna comandam a produtora Amigança. “Em 2003, as crianças não recebiam educação ambiental. De lá para cá, o assunto foi incluído no currículo escolar. Os livros didáticos tratam de reciclagem, da necessidade de se poupar água e luz etc. Os estudantes dividem essas lições com pais e avós em casa. Estão na vanguarda da informação sobre sustentabilidade e são os principais multiplicadores desses conhecimentos. Temos observado, na maioria das vezes, crianças muito novas como responsáveis pelas inúmeras hortas cultivadas em apartamentos”, comenta.

Avanços promissores assim ainda requerem a adesão de muitos. No caso do projeto Limpando & Reciclando, o empresário elogia a iniciativa da Ortobom: “Ao patrocinar nosso mutirão, a empresa está abraçando a sobrevivência do projeto e mantendo vivo um ideal. A ideia de convidar os recicladores para fazer a separação do lixo e, assim, induzir as pessoas a trabalhar também com a parte da reciclagem, fechou um belo ciclo operacional: iremos da coleta à triagem. O incentivo nos deu muito oxigênio para nossos próximos projetos. Já tem gente ligando, organizando grupos, querendo saber novidades. É excelente”, avalia, enfatizando ainda a importância primordial das empresas que têm como DNA um grande trabalho pela sustentabilidade.

A Ortobom, por exemplo, recebeu o Certificado de Destaque Ambiental – Selo Verde, prêmio do jornal Meio Ambiente do Estado de São Paulo entregue a empresas que possuem licenças operacionais emitidas por órgãos ambientais. O objetivo é estimular o aperfeiçoamento de tecnologias que visam ao desenvolvimento sustentável. No caso da Ortobom, toda a madeira usada na produção de estruturas dos colchões ortopédicos e das estruturas dos boxes (das camas box) recebe tratamento especial antifungo e os fornecedores cumprem a obrigatoriedade de reposição florestal.

Um estudo do Global Forest Watch mostra que, na soma de todos os biomas, o Brasil foi o país que mais perdeu árvores no mundo inteiro ano passado – 1,3 milhão de hectares de florestas primárias, aquelas que não tinham sofrido interferência humana. Tem mais: se o desmatamento na Amazônia continuar no ritmo atual, a perda da floresta pode levar a um aumento médio da temperatura de 1,45°C na região até 2050. Isso, além de afetar a biodiversidade local, terá impactos econômicos e sociais, incluindo o aumento da ocorrência de doenças infecciosas e da demanda por energia elétrica e água. A informação está em um estudo publicado em abril desse ano por pesquisadores das universidades Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e de São Paulo.

Infelizmente, nosso país ainda deixa bastante a desejar nos cuidados com a preservação ambiental: segundo a pesquisa de 2014 do Environmental Performance Index (EPI), o Brasil está no 77º lugar entre as nações que lidam melhor com o meio ambiente, bem atrás de países com realidades socioeconômicas próximas, como Chile (29º) e Egito (50º). A lista é elaborada pelas Universidades de Yale e de Columbia.

Com os olhares totalmente voltados para o meio ambiente, a produtora Amigança de Carrapito e Anna faz questão de alertar também para o risco da construção desordenada. “As pessoas precisam saber que, quando se desmata para construir um prédio, por exemplo, não é só a floresta que desaparece. A produção de lixo cresce, o lixão aumenta. A gente explica isso. Esperamos que, na próxima Conferência do Clima, tenhamos voz. O Brasil precisa estar muito bem representado nessa reunião. O brasileiro tem de aprender que, preservando o meio ambiente, estamos preservando os seres humanos”, afirma Carrapito.

Então? Vamos curtir a praia com responsabilidade ambiental no sábado? As informações estão logo aí embaixo. A gente se vê lá!

 SERVIÇO

Limpeza de Praias na Semana Mundial do Meio Ambiente – Limpando & Reciclando 2019

Sábado, (1º de junho), das 10h às 13h em todos os pontos simultaneamente:

Copacabana

. Posto Seis: os voluntários seguem em arrastão limpando a praia até a Rua Figueiredo Magalhães. O lixo flutuante também será recolhido pela turma do stand-up paddle.

Ipanema

. Arpoador (Posto Sete): os voluntários caminham na coleta em direção à Barraca do Pelé, em frente à Rua Garcia D’Ávila.

Barra da Tijuca

. Quebra-Mar, caminhando até o Pepê.

Recreio

. Praça Tim Maia com o Recicla Surf.

. Entre as 16h e as 18h, a Associação dos Recicladores do Rio de Janeiro estará em Copacabana recebendo e separando os resíduos coletados para serem reciclados.

www.ortobom.com.br

 

Pesquisas relacionadas