Gente & Comportamento

Camilla Camargo e as dificuldades de sua nova personagem: uma jornalista

A atriz está no elenco de Intervenção, novo filme de Rodrigo Pimentel e Caio Cobra. Além do papel, ela comemora o sucesso de seu momento atual como artista e lamenta as dificuldades de se fazer teatro

Publicado em 24/07/2018 | Por Ana Clara Xavier

Não é a protagonista e nem mesmo coadjuvante, no novo filme de Caio Cobra e Rodrigo Pimentel, Camilla Camargo fará apenas uma participação, mas isso não a impediu de fazer uma densa pesquisa sobre o seu personagem. Em ‘Intervenção’, ela interpreta uma jornalista que é responsável por cobrir todos os recentes acontecimentos na UPP do morro fictício da trama. Mesmo aparecendo em apenas quatro cenas, a sua atuação já gerou grandes polêmicas por mostrar um papel mais desumano da mídia, que, na visão dos roteiristas, não se importa muito com as péssimas condições de trabalhos dos policiais. Apesar disso, a atriz afirmou estar muito orgulhosa de representar esta classe. “As dificuldades desta profissão me fizeram querer fazer esta personagem e olhar os jornalistas com outros olhos. É muito difícil. Eles não sabem onde vão terminar no final do dia, não sabem como está o esquema da favela e com que situação vão lidar ao longo do trabalho. É muito complicado e acho que poucas pessoas param para pensar nisso. Saber destes detalhes me fez admirar mais o trabalho e entender que é necessário uma coragem do repórter para encarar este emprego”, garantiu.

Camilla Camargo será uma jornalista no filme Intervenção (foto: Divulgação)

Além de passar a admirar estes profissionais, a atriz confessou estar sendo um dos papéis mais diferentes que já realizou por exigir agilidade com questões polêmicas. “Não é fácil e a prova disso era fazer uma entrevista com colete à prova de balas”, afirmou. Para entender esta dureza do cotidiano jornalístico, ela assistiu vários programas de TV. “Fiquei tentando prestar atenção nos noticiários daqui, porque de fato a abordagem de São Paulo é diferente. Esta pesquisa foi engraçada já que tive que olhar as matérias não com um olhar de telespectadora normal, mas de observadora. Prestando atenção nos maneirismos dos repórteres”, explicou.

O set de filmagens se estabeleceu na comunidade Tavares Bastos e, nesta ocasião, a atriz teve a oportunidade de entender melhor o dia a dia destes trabalhadores. “Já tinha ido ao Complexo do Alemão, mas não cheguei a visitar de fato a favela. Não andei muito pelos locais. De qualquer forma, fico feliz por estar em uma comunidade como esta onde se pode transitar e é mais tranquila. É legal ver o outro lado. Nunca tive medo de conhecer, pelo contrário. Tenho muita curiosidade”, comentou. De acordo com ela, a interação entre a equipe e os moradores está sendo muito boa. Ambos se respeitam muito. “Se estamos gravando, mas uma pessoa quer passar nós paramos tudo. É muito legal. A prioridade é deles”, garantiu.

A atriz comemorou o sucesso atual de sua carreira (foto: Carlo Locatelli)

‘Intervenção’ já é o quatro longa do currículo da atriz e juntamente com isto Camilla fez mais de 20 peças e uma novela. Esta longa lista de trabalhos é vista de forma muito positiva por ela por mostrar a sua estabilidade. “Não é uma profissão fácil, é competitiva. As pessoas acham muitas vezes que a gente começou ontem, mas eu comecei a fazer teatro com 8 anos e já estou com 32. Apesar das minhas idas e vindas, trabalho profissionalmente há 13 anos. Fico muito feliz que as coisas estejam caminhando bem, já é uma carreira sólida no meio”, explicou. Além dos percalços normais da atuação, ela precisa lidar com o peso de seu sobrenome. Camilla Camargo é filha do cantor de sertanejo Zezé di Camargo e por isso precisa encarar muitos preconceitos. “Por ser filha, a gente sempre acaba tendo que mostrar a nossa força. Preciso provar que cheguei aqui por mérito próprio. No entanto, encaro isso de outra maneira. Acredito que preciso estudar e ralar mais para consolidar o meu valor”, lamentou.

 

Pesquisas relacionadas