Gente & Comportamento

Alberto Hiar: empresário visionário que imprimiu a chancela da Cavalera no Brasil investe também nos calçados

Com desfile esperto na SPFW, loja de acessórios e lançamentos de linha de tênis e coleção de calçados, o empresário mostra que não pretende por tão cedo as barbas de molho, apesar de ter aberto até barbearia

Publicado em 26/11/2013 | Por Heloisa Tolipan

Alberto Hiar realmente não brinca em serviço. O todo poderoso diretor-criativo/chairman da Cavalera mal acabou a São Paulo Fashion Week, há menos de um mês, e já caiu em nova empreitada, apresentando sua coleção Inverno 2014 de calçados e acessórios durante a Zero Grau, a feira atacadista de calçados em Gramado, no Rio Grande do Sul, realizada semana passada.  Destaque também para a linha de tênis que ele lança nesse finalzinho de novembro. Com tenacidade, no limiar da mélange criativa, Alberto Hiar e sua Cavalera imprimiram uma chancela, um branding, um estilo de vida. Mas a verdade é que o empresário curte o que idealiza, e esse talvez seja o segredo do sucesso daquele que faz a alegria dos CavaRockers.

O trabalho de branding da marca é primoroso e, em um mercado onde estar na linha de ponta dos lançamentos nas semanas de moda, com desfiles poderosos, e , ao mesmo tempo, fazer varejo do bom não é pouca coisa. A Cavalera é um raro trabalho de grife nacional que sabe transitar nas duas pontas da mesma corda fashion, sem nunca se acomodar, vendendo como água e trabalhando sua imagem como poucas.

Na Zero Grau, ele investiu em um estande e, sem se acomodar com a presença dos representantes, compareceu em carne e osso para receber clientes e apresentar as novidades na palma da mão. Isso poucas semanas após ter inaugurado, em São Paulo,  uma estilosa loja de acessórios da marca, ter coordenado um dos melhores desfiles do line up de Inverno 2014 da semana de moda paulistana e, ainda, dedicar especial atenção aos novos tênis da marca, que acabam de chegar ao mercado.

Alberto Hiar, no estande da Cavalera, na feira Zero Grau. Foto: Henrique Fonseca

Alberto Hiar, no estande da Cavalera, na feira Zero Grau. Foto: Henrique Fonseca

Em Gramado, ele apresentou uma linha bacaníssima de sneakers, tênis cano alto, escarpins, sandálias cheias de tachas e até espadrilhe em lona. Tudo no viés roqueiro da Cavalera, claro! Um projeto que começou como uma linha de acessórios de uma grife de roupas conceituada, se consolidou como marca também tal o sortimento. Entre tantos modelos capazes de fazer a clientela morder os lábios de prazer, nós, do site, elegemos o mocassim tricolor, o cano alto em lézard prata, o modelo masculino em couro azul cheio de aplicações e a linha em pelo estampado de oncinha (entre botas e tênis) como nossos objetos do desejo.

Fotos: Henrique Fonseca

Neste final de novembro, chegam às lojas da grife no Brasil duas novas linhas de tênis masculinos e femininos, pensados para a prática de esportes leves, mas perfeitos também para um badalo.  Um dos modelos privilegia caminhadas, corridinhas leves e, ainda, aqueles exercícios aeróbicos que vão garantir ao mulherio a cinturinha de pilão e aos marmanjos aquele shape de Magic Mike capaz de levar a mulherada ao delírio. Os destaques são as silhuetas alongadas e finas, visual moderno e cabedal em malha de náilon, que permite excelente transpiração, além de um solado altamente tecnológico, em borracha com ótima aderência e entressola de EVA. Delicinha.

O segundo modelo acompanha o lifestyle urbano roqueiro da Cavalera, misturando referências diversas. E mesmo os tênis para jogging são adequados para quem não curte suadeira, mas quer estar na onda para dar um pinta por aí. Todos os itens já podem ser encontrados na novíssima flagship store da marca especializada em acessórios, aberta nos Jardins, em São Paulo, ou através das vendas online. Vai dizer que esse empreendimento não vai ser barbada?

Fotos: Divulgação

Por falar em em barbas, em agosto passado, Alberto apostou em mais um projeto e em dobradinha com o músico e apaixonado pela cultura lowrider Marinho – que fez sucesso nos anos 1990 com a banda de rap core Pavilhão 9 – que é a cara da grife. Eles abriram dentro da loja da marca, na Rua Oscar Freire, em São Paulo, a Barbearia Cavalera. Em uma época em que se investe cada vez mais naquele conceito de salão de beleza andrógino, voltado para o público unissex, assumir um tipo de comércio tradicional e essencialmente masculino faz parte da privilegiada visão da grife, sobretudo quando o assunto é estar na pole position sendo inusitado.

O conceito é simples, mas assertivo: com um décor inspirado no estilo de Los Angeles, o empresário criou o espaço com o amigo Marinho, que trouxe esta inspiração da Califórnia, após dois anos de pesquisa. Na Los Angeles contemporânea, a tendência dessas neo barber shops virou verdadeira febre entre os locais, tudo a ver com as novas tribos que surgiram na última década e meia, justo aquelas que curtem cultivar uma bela barba ou ter um tempo todo seu para curtir um jeito tradicionalíssimo de se fazer a barba em um local intimista e repleto de história. A decoração é incrível, com cadeiras estilo anos 1940, e Marinho, que se especializou na arte da barbearia,  divide o espaço com Sharon Cruz – os dois são responsáveis pelo serviço.

Fotos: Divulgação

E, já que o assunto acima é barba, vale a pena lembrar que o desfile da Cavalera, nesta última edição da SPFW, deu muito o que falar. Com uma coleção que se propôs a refletir sobre a cultura muçulmana contemporânea – despida de qualquer preconceito – a grife apostou em modelos masculinos barbados. Com um casting que, ao invés de privilegiar belezas óbvias (de ambos os sexo), evocou a diversidade étnica da civilização muçulmana ao redor do globo, a coleção veio fortíssima, apresentando um streetwear da melhor qualidade com um styling que soube trabalhar o tema dentro do alcorão fashion deste inverno: muito sportswear, moletons, brilhos e aplicações, estampas étnicas e gráficas, texturas empoeiradas ou engraxadas (como a pele protegida da areia do deserto pelos óleos de camelo), patchworks variados, xadrezes rockers e jeanswear transado. O final do desfile acabou em festa, com a galera se requebrando sob os acordes de sonoridades árabes, com destaque para a bela Letícia Spiller. É… a mão de Fátima, ou Hamsá, abençoou mesmo a Cavalera.

Fotos: Vinícius Pereira

Pesquisas relacionadas