Arte & Literatura

Projeto de sucesso, Casa Levi’s chega ao fim de temporada com start para novas ideias. “O legal foi ter feito algo que pôde acolher o público e aberto para todo tipo de tribo”

Marina Kadooka, gerente de marketing da Levi's Brasil, nos contou que os fãs do point cultural fervido têm pedido novos eventos e adiantou: dia 20 de maio, a Casa Levi's abre novamente para comemoração dos 143 do jeans 501. Para anotar na agenda!

Publicado em 21/04/2016 | Por Karina Kuperman

Sempre endossamos por aqui que a Levi’s é a marca de jeans mais amada do Brasil. Agora, porém, a label ganhou seu (merecido) título em uma série de segmentos. É que os jeans supercool da grife foram eleitos em entrevistas feitas pelo Instituto Sofia e conquistaram o prêmio da revista “Consumidor moderno”. “É uma pesquisa nacional em que eles mensuram a intensidade do amor e nós vencemos. Recebemos a notícia no meio do projeto da Casa Levi’s e parece que veio para consolidar ainda mais. Ficamos muito felizes”, nos contou Marina Kadooka, gerente de marketing da Levi’s Brasil. Aliás, falando em Casa Levi’s, o local que se tornou um point cultural temporário fervido em São Paulo encerrou as atividades no último dia 10. E com gostinho de “queremos muito mais”. “Começamos esse projeto para experimentar o sucesso que seria e fechamos a casa no auge, quando começou a ter lotação praticamente todos os dias, de ter que deixar a porta fechada. Nós tínhamos capacidade para receber 200 pessoas e teve um dia que chegou a 350 e já não podia mais, porque comprometia a segurança. Agora é obvio que o povo quer mais, fica a cobrança, todos pedem o próximo passo. É legal, porque todo mundo abraçou o projeto com carinho”, comemorou Marina.

_MG_4020

A Casa Levi’s uniu programação cultural intensa e contou com peças da nova coleção outono-inverno (Foto: Divulgação)

De fato, a ideia de transformar um casarão do final do século 19, no bairro Santa Cecília, em São Paulo, em um espaço cultural com entrada gratuita, projeto assinado pelos arquitetos Camila Klein e Pedro Mendes da Rocha e programação especial que uniu entretenimento e conhecimento com descontração e lazer através de música, design, gastronomia, moda, artes visuais e humanidades só podia ser sucesso. “Realmente foi incrível. Cada dia era uma atração musical diferente. Às quintas-feiras, nós focamos mais em jazz e blues, sextas-feiras abrimos para independentes, aos sábados tínhamos festas e domingo era dia de relax, com instrumental. O público foi muito interessante, uma galera que tem tudo a ver com o target da marca. Acho que acertamos em cheio”, analisou Marina.

Veja as fotos do mês de março na Casa Levi’s:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os convidados falam por si: “Tivemos stylist, grafiteiros, designers, fotógrafos, skatistas. Teve gente que fez festa de aniversário lá, marcou com os amigos, todos cantaram “Parabéns”, levaram bolo, presentes, o povo curtiu o show. O legal é que os preços eram super acessíveis, as pessoas tomavam uma cerveja por R$ 7, comima um prato gourmet por R$ 25. Ia para a Casa, tinha acesso a entretenimento e podia usufruir de tudo”, contou. E haja programação! Palco de show, bar, estúdio de tatuagem, esmalteria, barbearia, cozinha aberta coletiva para novos pratos de chefs, salas de jogos eletrônicos e pebolim, exposições de quadros e de fotografias e um confortável lounge no subsolo de projeção de documentários e filmes foram parte do line up intenso por ali. “Fizemos exibições exclusivas do filme ‘Para Sempre Teu – Caio F. Abreu‘, dirigido pelo Candé Salles e patrocinado pela Levi’s. Além disso, passamos clássicos como ‘Juventude transviada‘ e outros que remetiam a quem foi Levi Strauss e o conceito de vida por trás de um jeans”, listou Marina.

_MG_5588

O lounge contou com diversas exibições de filmes e documentários (Foto: Divulgação)

Mas o grande destaque ficou por conta do documentário “The 501 Jean: Stories of an Original”, uma série em três partes que, como contamos por aqui, mostra, através da história da América moderna e depoimentos reais, porque o modelo foi a peça de roupa que teve maior impacto em estilo e cultura em mais de um século, além, é claro, de abordar a trajetória da calça que surgiu como roupa de trabalho para os mineradores do oeste americano graças ao material durável e resistente e tornou-se peça coringa no guarda-roupa de qualquer pessoa – desde rebeldes a presidentes, homens e mulheres, astros e estrelas de Hollywood ao redor de todo o mundo. “O dia da abertura da casa foi o lançamento mundial do documentário, Então, aproveitamos para uma exibição especial e apresentamos, dentro da casa, a coleção outono-inverno 2016, com cápsulas, histórias e novidades. Foi uma oportunidade para que todos pudessem conhecer a casa, a coleção e o documentário”, ressaltou Marina.

Leia também: Laurel Canyon, reduto de artistas das décadas de 60 e 70, é inspiração para o inverno Levi’s e suas muitas novidades

Não à toa, a programação cultural intensa atraiu nomes como Rafa Brites, Felipe Andreoli, Fernanda Keulla, Tulipa Ruiz, Victor Collor de Mello, Chloe Gaya, Magá Moura e outros. “Talvez, dentro do tempo que eu tenho de Levi’s, posso dizer que foi o meu maior projeto. O que foi mais legal foi ter feito algo que pode acolher o público, aberto para todo tipo de tribo. Não eram festas fechadas para formadores de opinião. Claro que tivemos dias para convidados, mas foram muitos eventos abertos em que as pessoas puderam ter acesso à cultura, gastronomia, arte, bandas, exposições fotográficas, atividades pra crianças, dog friendly. Foi uma casa mesmo. Abrimos as portas para receber os amigos da marca”, resumiu.

Veja as fotos do mês de abril na Casa Levi’s:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Com tanto sucesso, será que a Levi’s já pensa em uma nova edição do projeto – criado também como forma de comemorar os 143 do jeans 501? “O que estamos fazendo que é uma extensão da casa que é o ‘Originals Studio’, um projeto musical em que vamos selecionar oito bandas e fazer um EP, ter gravações em estúdio e, no dia 20 de maio, teremos uma festa na própria Casa Levi’s, para matar as saudades, com as três bandas mais votadas pelo público. O mais legal é que é bem no dia do aniversário de 143 anos da 501”, destacou Marina. E atenção: o concurso já está rolando! “Estamos na fase de inscrições. As bandas têm que enviar material que é release, imagens e áudios e aí fazemos uma curadoria das oito principais. Vai ter uma pré-seleção, depois essas vão para estúdio e começam a gravar lá pelo dia 25 agora. Dia 12 de maio abre para votação do público e as três mais votadas farão um pocket show na Casa Levi’s”, explicou ela, que não descarta a hipótese de reabrir o point cool. “Ia ser uma delícia se, em todo lançamento de coleção, tivesse uma semana de Casa Levi’s com shows, comidinhas gourmet…”, disse. Para aguardarmos com esperança!

Pesquisas relacionadas

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,