Arte & Literatura

Polêmica! Stephen King e mais 600 escritores dos EUA se unem contra a candidatura de Donald Trump à presidência

Na carta, eles afirmam que a eleição de Donald será um retrocesso a democracia. "A ascensão de um candidato político que apela deliberadamente aos elementos mais vis e violentos da sociedade, que encoraja a agressão entre seus seguidores, cala oponentes, intimida dissidentes e denigre mulheres e minorias, demanda, de cada um de nós, uma resposta imediata e enérgica"

Publicado em 02/06/2016 | Por Leonardo Rocha

Nunca na história dos Estados Unidos um candidato à presidência causou tanta polêmica como Donald Trump. O político já deixou claro que não apoia imigrantes, o grupo LGBT e não flerta com a comunidade negra norte-americana. Mesmo ganhando apoio dos conservadores e dos capitalistas do país, a classe artística tem se posicionado contrária à sua campanha. Apesar do burburinho, seja contra ou a favor, um dos grupos mais atuantes no movimento “Fora Donald” é a turma da literatura.

Stephen King (Foto: Divulgação)

Stephen King (Foto: Divulgação)

Exemplo disso é Stephen King, um dos autores mais reconhecidos da literatura contemporânea se uniu a mais de 600 escritores, como Alan Shapiro, Bernard Cooper e Tobias Wolff, entre outros para lançar uma carta aberta e um abaixo assinado contra a candidatura do bilionário à presidência. O autor de obras como “O Iluminado” e “Um Sonho de Liberdade” já vem se posicionando há algum tempo na mídia contra o pré-candidato republicano envolvido em polêmicas relacionadas a suas posições conservadoras. Em entrevista ao BuzzFeed, Stephen King soltou o verbo contra Trump ao dizer que se trata  de um “idiota briguento sem entendimento de como funciona o governo. Ele é mais um quebrador de consensos do que criador de consensos. Chamá-lo de desqualificado para o trabalho é como me chamar de desqualificado para ensinar física quântica”, comentou.

Na carta, criada pelos romancistas Andrew Altschul e Mark Slouka e lançada no último dia 24, eles afirmam que a eleição de Donald será um retrocesso à democracia. “A ascensão de um candidato político que apela deliberadamente aos elementos mais vis e violentos da sociedade, que encoraja a agressão entre seus seguidores, cala oponentes, intimida dissidentes e denigre mulheres e minorias, demanda, de cada um de nós, uma resposta imediata e enérgica. Por estas razões, nós nos opomos, consciente e inequivocadamente, contra a candidatura de Donald J. Trump à presidência dos Estados Unidos”, disse a publicação.

A partir daí, vários outros abaixo-assinados se espalharam pela internet, que juntos já somam mais de 1 milhão de assinaturas contra a candidatura de Trump. Entretanto, ele está cada vez mais poderoso em sua campanha, por mostrar ao público conservador o que eles querem ver, deixando os Democratas mais furiosos. Hillary Clinton é sua maior concorrente, e, se eleito, deve comandar a Casa Branca a partir do ano que vem.

Pesquisas relacionadas