Arte & Literatura

Mostra de Wagner Malta Tavares na Galeria Cavalo com direito à trilha sonora composta por ondas magnéticas do espaço sideral

O artista tenta tornar visíveis aspectos da existência humana por meio de sons, luzes, vento, calor e outros elementos, para trazer à tona reações além do simples ato de ver

Publicado em 25/03/2016 | Por Leyda Torquato

'Sonda', uma vitrola de alumínio que executa em loop infinito a trilha sonora composta por ruídos de fundo da galáxia, do Sol e planetas do Sistema Solar

‘Sonda’, uma vitrola de alumínio que executa em loop infinito a trilha sonora composta
por ruídos de fundo da galáxia, do Sol e planetas do Sistema Solar

O paulistano Wagner Malta Tavares desembarca no Rio de Janeiro com a individual “Diário do Capitão”, composta por 20 obras inéditas. O artista, que trabalha com escultura, vídeo, fotografia, desenho, performance e instalação, tenta provocar uma reação além do simples ato de ver por meio de sons, luzes, vento, calor e outros elementos.

Entre as obras, estão apresentados 10 discos de vinil, feitos individualmente e com capas diferentes entre si, remetendo ao conceito de labirinto grego, além da fotografia “Torre – Ground Control”, papéis gravados com o calor de resistências elétricas, e a escultura “Estudo Para Coluna De Vento”. O destaque é a “Sonda”, uma vitrola de alumínio na qual um disco prateado executa em loop infinito a trilha sonora composta por ondas magnéticas do espaço sideral decodificadas, extraídas da internet. “A Sonda é uma escultura feita em alumínio fundido. São dois módulos que juntos formam um objeto que cruzou o espaço sideral e voltou para a Terra. Há uma trilha que é executada por uma vitrola de um disco de policarbonato espelhado. É uma melodia dos sons da galáxia. Formalmente ela tem um parentesco com um dos módulos da “Coluna Infinita” do escultor romeno Brancusi, uma conexão formal com o construtivismo e concretismo”, explica Wagner.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na noite de abertura, dois homens vestirão roupas desenhadas pelo artista: “Eles atuarão como mediadores. Embora não façam uso da fala. Prefiro que as pessoas tirem suas próprias conclusões da exposição. Os elementos para o entendimento e fruição estão dados nos trabalhos, em sua presença e sua relação. Uma mostra sempre conta alguma coisa, é preciso estar disposto a ouvir”, diz o artista, que após a mostra fará instalação em uma igreja austríaca. “Farei uma ocupação no sótão de uma igreja barroca em Linz, na Áustria. São três figuras prateadas que, sopradas pelo vento, ‘assombram’ a cidade. Ficará em exposição de 19 de maio a 16 de outubro”.


Serviço:

Exposição “Diário do Capitão”
Abertura: 31 de março, às 18h
Período: 1º de abril a 21 de maio
Horário de visitação: Terça a sexta, das 12h às 20h | Sábados, das 13h às 17h
Local: Galeria Cavalo – Rua Sorocaba, 51, Botafogo | Tel: (21) 2267-7654
Entrada gratuita
www.galeriacavalo.com

Pesquisas relacionadas