Arte & Literatura

Momix Forever chega ao Brasil para uma série de seis apresentações no Theatro Municipal em honra das três décadas e meia da companhia

Ao todo serão treze números antigos com mais quatro novas apresentações criadas especificamente para a data

Publicado em 29/08/2017 | Por Ana Clara Xavier

O nome dança contemporânea não consegue contemplar tudo o que os espetáculos idealizados pelo norte-americano Moses Pendleton representam no mundo artístico. No palco, uma mescla de movimentos e luzes traz coreografias ilusionistas, grafismo com efeitos especiais e acrobacias elaboradas. Comemorando os trinta e cinco anos, a companhia resolveu iniciar uma turnê, chamada de Momix Forever. “Eu me sinto renovado, fresco como os lilases. Tenho sorte, também, porque eu nunca teria imaginado estar ainda aqui, durante estes 35 anos”, afirma Moses. A grande apresentação reúne treze números que fizeram história no grupo e quatro novas apresentações, como Opus Cactus, Bothanica, Momix Classics, Sun Flower Moon, Orbit  e reMomix. “Todos os escolhidos são números de grandes sucessos. Além disso, foram criados quatro novas coreografias sendo que uma delas me tocou muito, parece ser o Momix na quinta essência. A nova criação Paper Trails não se vê o bailarino, é feito apenas de movimentos suaves e surrealistas, quase como um sonho que está acontecendo no palco. Não é apenas um ato de dança, são conjuntos de traçados que não se percebe como aquilo está se desenvolvendo. As coisas acontecem utilizando sombras e penumbras para que não seja revelada a identidade da pessoa. Eu fiquei encantado”, contou o produtor do grupo, o argentino Juan Lega.

O espetáculo de luz e movimentos dura cerca de uma hora e meia e cada minuto neste período de tempo foi pensado exclusivamente para criar um repertório único e enigmático. Toda a dança e o jogo de ilusões foram feitos pelo próprio dono da companhia, o grande nome da arte mundial Moses Pendleton. O caráter misterioso é um sucesso mundial que faz de seu trabalho único. “A genialidade o dele é o que proporciona todo este sucesso da empresa. Esse homem é uma pessoa muito especial. Ele tem aquele instinto e intuição de alguém que caminha na rua e vê coisas que ninguém consegue enxergar, seja na natureza ou no asfalto. Através do paisagismo, música e da luz, mostra a nós sua visão e tenta ilustrar o que encontra no seu dia a dia. Algo que só depende dele”, garantiu Juan.

Segundo o produtor, Moses é o corpo de toda a companhia (Foto: Divulgação)

Muitas das inspirações para as coreografias são encontradas na observação do coreógrafo a natureza. O laboratório do artista fica em uma fazenda, à três horas de Nova York, onde muitos afirmam ser a combinação da mata com o artesanato. “Adoro os mistérios e as formas da natureza, se você consegue sentir o vento, sente Deus. O segredo está em como o ser humano está conectado com o não-humano: com animais, plantas, minerais. Eu ando muito de bicicleta, dia e noite. Pedalando ao pôr do sol é quase um ato religioso, uma pequena oração. Eu não me importo nada com o mundo atual cibernético ou tecnologia, mas a essência, que é surpreendente”, contou o artista para o jornal La Nación.

O jogo de luzes e ilusões é o principal diferencial do grupo (Foto: Divulgação)

Mose possui um critério próprio para o desenvolvimento de cada número e a ordem que entram em cena. Um detalhe que faz toda a diferença no desenrolar artístico. “Não existe Momix sem ele, porque é o corpo, os membros, a cabeça e o cérebro do grupo”, afirmou o produtor.

O percurso mundial começou em junho do ano passado na cidade de Milão, na Itália. O resultado de toda a preparação já pode ser conferido em Buenos Aires e, hoje, será visto pela primeira vez no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Ao todo serão seis apresentações que rolarão ao longo da semana. “A turnê começou muito bem, o público carioca está estupendo, como sempre. Momix tem uma grande história de amor com os brasileiros e eles estão respondendo a altura a nossa expectativa a presença do grupo no país”, informou Juan.

Parte da cena Bothanica (Foto: Divulgação)

Ao chegar ao Brasil, o grupo acreditava que as vendas dos ingressos seriam afetados por causa da crise econômica a qual o estado está passando. “Apesar da crise, as vendas estão muito boas. Praticamente não existem mais lugares para o final de semana e continuamos recebendo muitas compras durante a semana. Estou muito feliz com esta recepção. Fizemos uma promoção no início das vendas dando cinquenta por cento de desconto nos bilhetes adquiridos para ajudar os cidadãos”, comemorou. Apesar do número de espectadores crescer progressivamente, as verbas dadas pelos patrocinadores estão enfrentado dificuldades para serem efetivamente geradas. “As empresas cariocas estão sofrendo com a situação econômica do estado e isto complica as possibilidades econômicas que eles têm para ceder a patrocínios”, lamentou o produtor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

PROGRAMA (todas as coreografias são de Moses Pendleton)

 

PLEIADESdeMOMIX in Orbit(2000)

Música: El Hadra – The Mystic Dance (Cortesiade Acquarius International Music)

 

DREAM CATCHERdeOPUS CACTUS(2001)

Música: Mountain Walk East, de NOMAD (Cortesia da Australian Music International)

 

MARIGOLDSdeBOTHANICA(2009)

Música: Suphala, Destinationsdo grupo The Now

 

DADDY LONG LEGNova Criação

* coreografia dedicada a Julio Alvarez* / Colaboração na coreografia: Tim Latta

Música: Gothan Project, Santa Maria

 

BATHS OF CARACALLAdereMIX(2010)

Música: Reverence de David e Steve Gordon,do álbum Buddha Lounge

 

POLE DANCEdeOPUS CACTUS(2001)

Música de Adam Plack, The Hunt,doálbum Winds of Warning de Adam Plack& Johnny Sames. (Rasa Music, Yalumba Music (ASCAP).Por cortesia de Rasa Music

 

LIGHT REIGNSNova Criação

Música: Deuter , Alchemy

 

PAPER TRAILSNova Criação

Música:Good Bye Brother de Ramin, Djawadi; Progeny de Yvonne Moriarty, Gavin Greenway e o Lyndhurst; Sorrowde Klaus Badelt e  Lisa Gerrard; Wisdom Walk de Byron Metcalf.

 

FROZEN AWAKENINGdeBOTHANICA(2009)

Música: Lisa Gerrard e Michael Edwards,Space Weaver

 

SNOW GEESE de SUN FLOWER MOON(2005)

Música: zer0 One, NaNOe braiNwavEdo álbum “oz0ne”

 

TUU de MOMIX CLASSICS(1983)

Colaboração na coreografia: Tim Acito e Solveig Olsen

Música: One Thousand Years, de TUU, doálbum One Thousand Years

SPAWNING de MOMIX CLASSICS(1983)

Música: Peter Gabriel, Mercy Street (Cortesia da Cliofine Ltd.(PRS)/HIDDEN PUN MUSIC, INC. (BMI)

 

AEREANova Criação

Música: Max Richter, On the Nature of Day Light

 

TABLE TALK de MOMIX CLASSICS(1983)

Colaboração na coreografia: Karl Baumann

Música: Safe FromHarm – R Del Naja, A. Vowles, G. Marshall (doMassiveAttack)

 

AQUA FLORAdeBOTHANICA(2009)

Colaboração na coreografia: Cynthia Quinn

Música: Moola Mantrade Deva Premal

 

IF YOU NEED SOMEBODYdereMIX(2010)

Música: Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandeburgo n. 2

 

 Serviço

MOMIX FOREVER

 

De 29 de agosto a 3 de setembro

Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Praça Marechal Floriano s/n – Centro – 21 2332.9191 / 2332.9134 / 2332.9005

De terça, 29 de agosto, a sexta, 1º  de setembro – 20h30

Sábado, 2 de setembro – 21h

Domingo, 3 de setembro, 16h

Duração: 1h50m com intervalo de 20m

 

Ingressos

Frisa/Camarote – R$320
Plateia/Balcão Nobre – R$320
Balcão Superior – R$ 220
Galeria – R$ 50

Na bilheteria do Municipal ou pela Ingresso Rápido: www.ingressorapido.com.br

Pesquisas relacionadas