Arte & Literatura

Lino Villaventura faz um recorte de sua excepcional carreira com exposição de peças e fotos “Lino + Miro A Construção da Imagem”

Estilista esteve no line-up da programação paralela da SPFWTRANSN42: "São roupas muito emblemáticas do meu trabalho que pontuaram essa trajetória"

Publicado em 30/10/2016 | Por Leonardo Rocha

Quem viu o line-up da SPFWTRANSN42 se surpreendeu ao notar a falta de Lino Villaventura entre os estilistas da 42ª edição de uma das semanas de moda mais importantes da América Latina. Depois de apresentar suas coleções em três eventos diferentes da primeira temporada do ano, o estilista deu uma pausa, mas não se manteve distante da programação. Abrindo o acervo de sua marca homônima, ele deu início a uma exposição, no Shopping Iguatemi, com uma série de imagens que retratam duas décadas dedicadas ao mundo da moda. A mostra “Lino + Miro A Construção da Imagem”, transita pelo drama característico dos vestidos do estilita sob o olhar cuidadoso do fotógrafo Miro. Em entrevista exclusiva ao HT, ele contou que de uma forma ou de outra ele conseguiria ficar de fora da São Paulo Fashion Week.

lino1

“Eu estou achando ótimo estar vindo como expectador e encontrar os amigos durante os desfiles, coisas que eu nunca fiz. Raramente eu conseguia ver as apresentações. É legal, porque me dá a oportunidade de curtir o evento de uma forma diferente de que estou acostumado”, disse ele, dando detalhes sobre a curadoria da expô. “Como esta é uma edição de transição, eu e o Miro decidimos, já na coleção passada, em montar uma super sessão de fotos aberta. Para que aquelas imagens não fossem esquecidas, decidimos dar continuidade ao trabalho”, revelou.

Além das 16 fotos, a mostra, que faz parte do evento Fio da Meada, ainda reuniu seis peças exclusivas do acervo de Lino, que foram apreciadas minuciosamente por quem teve a oportunidade de passar por lá. E para dar início a exposição, um vestido criado no ano de 1985. “Nós pensamos, juntamente com o Paulo Borges em manter uma exposição na programação paralela do evento. Coloquei dois looks do desfile passado, porque como o desfile já aconteceu e as pessoas viram, eu quis colocá-los dentro dessa história”, disse ele, que dá oportunidade de alcançar um público diferente do habitué da semana de moda. “O público de shopping é diferente. Então é bacana que seja um pouco mais didático. São roupas muito emblemáticas do meu trabalho que pontuaram muito essa trajetória”, adiantou Lino.

Foto da exposição ""Lino + Miro A Construção da Imagem" (Divulgação)

Foto da exposição “”Lino + Miro A Construção da Imagem” (Divulgação)

Na edição passada da São Paulo Fashion Week, a dupla Lino e Miro criou um contexto perfeito para apresentar a moda que o estilista faz, com sua porção dramática e teatral Mago das texturas, ele chamou algumas de suas modelos preferidas, como Marina Dias e Talytha Pugliese, para posarem com seus vestidos cheios de tramas, texturas e os volumes característicos do seu trabalho.

Como a SPFWTRANSN42 vem integralmente moldada nos padrões do conceito see now buy now, Villaventura não vê o movimento com uma grande novidade. De acordo com o estilista, sua marca foi pioneira nesse sistema. “Eu sempre fiz meu trabalho no conceito see now buy now. Logo após os desfiles eu já colocava as peças da coleção nas vitrines. Eu sou um entusiasta e sempre fiz isso”, avaliou ele, que pretende dar uma pausa nos desfiles desse ano. “Eu fiz Minas Trend, SPFW e a primeira edição da Rio Moda Rio. Agora preciso dar um respiro para mim e para as pessoas também”, disse, aos risos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Questionado sobre as dificuldades de investir em moda em tempos de crise, Lino não se fez de rogado e garantiu que o momento é de transformação. “Eu acho que a gente tem que investir em qualquer coisa. Apesar da crise, a gente não pode se abater. Tem que ter coragem, ser arrojado e reinventar a nossa forma de trabalhar. O momento de reflexão nós já tivemos, agora é hora de concretizar ideias e tentar adequar ao novo momento. A ideia de arregaçar as mangas e trabalhar cada vez mais”, completou.

Pesquisas relacionadas