Arte & Literatura

Entre sonhos e a realidade: a poética surrealista de Rick Rodrigues no Salão Latino Americano de Artes Plásticas

As obras do jovem artista plástico, que é apontado como um dos maiores talentos de sua geração, rodam o país levando a arquitetura cotidiana permeada por sua própria memória afetiva

Publicado em 06/02/2015 | Por Heloisa Tolipan

*Com Léo Fávaro, de Vitória – ES

Apontado com um dos maiores talentos da nova geração de artistas plásticos nacionais, o jovem Rick Rodrigues é um dos destaques do XIII Salão Latino Americano de Artes Plásticas, em Santa Maria (RS). O Salão, que se encerra hoje, é a maior vitrine de novos artistas do gênero e recebeu obras como “Ausência” e “Sonhos de gaveta”, assinadas pelo capixaba.

Rick ganhou destaque em contexto nacional por seus desenhos e suas gravuras, que exploram o caos da arquitetura cotidiana, desconstruindo-a e mesclando-a a objetos que contribuem para reavivar a memória afetiva de sua infância e sonhos. “Permito-me dizer que meu cotidiano ganhou linhas, formas, luz, sombra e perspectiva de sonhos e objetos da minha infância que ainda rondam meus pensamentos, cadernos, rabiscos, escritos e poesias”, revela o artista. “A partir deste trecho, busquei, nas casinhas enfileiradas da minha comunidade, o reduto para o processo de criação – um cotidiano que parecia isento de qualquer riqueza e possibilidades de transformação. A partir daí, trago à tona a antropologia da minha infância”, completa. O resultado de sua arte é uma construção poética de referências surrealistas.

Rick Rodrigues, na exposição "Corpo-Casa" (Foto: Divulgação)

Rick Rodrigues, na exposição “Corpo-Casa” (Foto: Divulgação)

A especialidade do jovem artista são os grafites coloridos de lapiseira 0.5mm, ora vermelhos, ora azuis. A técnica sutil desenvolvida por Rick explora diversos formatos e texturas de papéis. “Recentemente, a partir dos elementos peculiares de meu processo de criação, dei início a construção de objetos tridimensionais de madeira que são criados para se comunicarem com  poemas desenhados, criando um universo particular harmônico”, explica Rick, se referindo a obras como “Casa de passarinho”.

O caráter distintivo dos quadros do artista vão além do grafite colorido e do traço perfeito; os trabalho de Rick Rodrigues traduzem na linguagem contemporânea reminiscências de sua infância no interior, mas sem pieguices. Desse modo, a linguagem do artista consegue imprimir no espectador a firmeza de uma obra atemporal e de identificação imediata, envolta na leveza da infância.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Natural de João Neiva, interior do Espírito Santo, Rick cria seus trabalhos em seu próprio “quarteliê”, como carinhosamente chama seu quarto, que também é seu reduto criativo. Dono de uma personalidade calma, sensata e sonhadora, o artista virou o queridinho dos galeristas e já expôs suas obras em diversas cidades do país e até em Portugal. Simultaneamente ao Salão Latino Americano de Artes Plásticas de Santa Maria, Rick Rodrigues expõe suas obras na exposição “Corpo-Casa”, no Centro Cultural Sesc Glória, em Vitória (ES).

Pesquisas relacionadas