Arte & Literatura

Após a repercussão da exposição “Queermuseu” no MASP e a proibição no Rio, Lula Duffrayer assina curadoria de mostra sobre sexo e o pênis como elemento central

Na antiga fábrica da Bhering, hoje o Conexão Rio, no centro da cidade, ocorre a exposição “O Pau na Mesa – Uma Crítica às Medidas Desmedidas”. Por lá, 30 obras de 20 artistas ilustram a discussão contemporânea sobre artes plásticas, censura e nudez. “O mais importante disso tudo é que estamos levando conhecimento e informação para embasar a opinião das pessoas"

Publicado em 17/11/2017 | Por Julia Pimentel

Durante todos esses anos, a arte vem quebrando barreiras do tempo, da sociedade e política. Sem parar. E é isso o que também aconteceu recentemente no Rio de Janeiro. Na antiga fábrica da Bhering, hoje o Conexão Rio, no centro da cidade, ocorre a exposição “O Pau na Mesa – Uma Crítica às Medidas Desmedidas”. Com curadoria de Lula Duffrayer, 30 peças ilustram a temática da mostra: o sexo. A seleção vem como resposta a uma sequência de embates entre as ideias de arte, censura e liberdade, que ganharam força, principalmente, com a exposição “Queermuseu”, no MASP. Em São Paulo, onde a mostra estava em cartaz, um vídeo compartilhado nas redes sociais mostrava uma criança acompanhada de seu responsável tocando nos braços e pernas de um corpo nu, que fazia parte das obras.

Após a repercussão do vídeo, que dividiu opiniões, a exposição não veio para o Rio de Janeiro, onde ficaria em cartaz no MAR (Museu de Arte do Rio), e nem foi para Porto Alegre. Outro ponto recente desta discussão foi o vídeo produzido e censurado do #COLABORA. Na produção, o projeto reunira 11 quadros com nus artísticos assinados por nomes como Picasso e Dalí. No entanto, para o Facebook, que censurou e tirou do ar o vídeo, o site não permite imagens de nudez, mesmo que artísticas. O fato é que, com todos esses ingredientes, Lula Duffrayer juntou conceitos para uma exposição que vem como resposta a esta onda de proibições. Do nome da mostra ao conteúdo exibido, “O Pau na Mesa – Uma Crítica às Medidas Desmedidas” reforça a força e a liberdade da arte em todos esses anos. “Nós ficamos muito incomodados com tudo isso o que está acontecendo e resolvemos fazer a nossa versão para esses últimos acontecimentos. A nossa ideia era fazer uma mostra que tivesse um tema que chamasse atenção”, contou.

À La Toscana II, de Patrizia D’Angello (Foto: Divulgação)

E o sexo foi a maneira como Lula traduziu esta vontade. Na mostra, que fica em cartaz até 18 de novembro, o corpo humano passa a ser o principal elemento da discussão. Apesar de ter priorizado uma curadoria “bem livre”, como ele nos revelou, um ponto precisou ser unanime entre as 30 obras exibidas na mostra. “Em todas elas eu busquei que o órgão sexual masculino fosse o foco central. Eu acredito que o nu feminino já foi muito banalizado e em nossa sociedade já é algo muito comum. O pênis ainda é provocativo, e é isso o que queríamos para esse momento”, explicou.

Neste tom de provocação, a curiosidade também tem se destacado em “O Pau na Mesa – Uma Crítica às Medidas Desmedidas”. Desde quando abriu as portas, na última semana, o Conexão Rio tem tido um público surpreendente, até em dias que costuma ficar vazio. E, mesmo este sendo um tema para lá de contemporâneo, o sucesso da exposição surpreendeu Lula Duffrayer. “Está sendo muito melhor do que eu imaginava. No dia em que abrimos a exposição, já tinha gente na porta aguardando para entrar”, contou o curador que, embora comemore o sucesso de seu trabalho, destacou que “O Pau na Mesa – Uma Crítica às Medidas Desmedidas” precisa ser visto como plano de fundo para uma discussão maior. “O mais importante disso tudo é que estamos levando conhecimento e informação para embasar a opinião das pessoas. Aliás, este foi um ponto que eu me preocupei desde o começo. Para mim, a questão não é você concordar ou não com a nudez na arte. O fundamental é que você tenha embasamento e motivos para defender isso. Por isso, esta mostra tem como objetivo criar conteúdo para sustentar argumentos”, afirmou.

Jungle Juicy, de Rodrigo Kupfer (Foto: Divulgação)

Porém, esta questão teórica não foi a única preocupação de Lula Druffayer para “O Pau na Mesa – Uma Crítica às Medidas Desmedidas”. De acordo com o curador, outros pontos foram trabalhados para que uma exposição de arte não voltasse a ser motivo de censura ou revolta. “Desde a abertura desta exposição, estamos tendo uma série de cuidados. Um deles é o aviso de que a mostra é recomendada para maiores de 18 anos. Porém, eu fiquei muito feliz em ver que, mesmo assim, alguns pais estão levando seus filhos pequenos para conversar sobre arte na exposição. E isso reforça a minha opinião de que a arte não pode ser proibitiva, todos temos que ser livres para decidirmos o que queremos ou não. É preciso haver opção de escolha”, disse Lula que, como outra medida, colocou um segurança na porta da antiga fábrica da Bhering para garantir que todas as pessoas que estavam entrando ali estavam cientes do conteúdo da mostra.

E todas essas estratégias e preocupações de Lula Duffrayer para que seu trabalho não se tornasse mais uma vítima da censura contemporânea divide as sensações do curador. Se por um lado ele se declarou feliz por estar vendo as artes plásticas no foco das discussões de hoje, por outro, ele lamentou a temática que vem norteando esses debates. “Era para eu estar alegre em ver a galeria cheia e a exposição atraindo tantas pessoas. Mas é triste ter que, de fato, colocar o pau na mesa para que a gente consiga chamar atenção de toda injustiça e violência que nos cerca hoje. Porém, eu acredito no poder de transformação das artes. É a cultura que forma um indivíduo e o não entendimento é uma engrenagem para estimular os nossos pensamentos”, analisou.

Visse de tudo das vissicitudes, Maurício Kiffer (Foto: Divulgação)

Para isso tudo, “O Pau na Mesa – Uma Crítica às Medidas Desmedidas” é um choque em uma seleção apurada de Lula Duffrayer. Na exposição, 30 obras de 20 artistas respondem a todas essas questões através de diferentes expressões. Seja como pintura, ilustração ou escultura, o tema sexo foi pluralmente trabalhado pelo curador, que foi uma válvula para muitos desses artistas. “Eu comecei a trabalhar essa mostra a partir de uma publicação no meu Facebook pessoal em que convocava algumas obras para a exposição. Nas três semanas que eu tive de curadoria, recebi muitas respostas de artistas que queria expor seus trabalhos e que não tinham oportunidades para isso. Então, eu tive que limitar essa seleção por causa de espaço fisicmo mesmo. Eu tenho certeza que se fosse um lugar maior, não faltariam obras para preencher a mostra”, contou Lua que, entre as respostas a sua postagem, recebeu uma proposta de um grupo de nudismo que queria fazer parte da exposição. “Mas eu preferi não correr o risco de ter a mostra censurada ou que acontecesse algo que interrompesse esse debate”, justificou.

E assim, Lula Duffrayer e “O Pau na Mesa – Uma Crítica às Medidas Desmedidas” trazem esta polêmica combinação de nudez, arte e opinião para o Rio de Janeiro mesmo com a proibição da exposição “Queermuseu” no MAR. Em mais um exemplo de que a arte não é parada de forma tão simples, o curador acredita que este movimento de resistência e provocação na cidade seja uma resposta que a união é fundamental para estes momentos. “Juntos somos mais. Entendemos que precisamos ser unidos para responder a tudo isso. De uma forma até ambígua, tudo isso está sendo bom para as artes plásticas porque estamos as colocando no centro do debate novamente. Precisamos, realmente, colocar o pau na mesa e defender o que acreditamos”, afirmou Lula Duffrayer.

Pensando em Você, Maurício Kiffer (Foto: Divulgação)

SERVIÇO: ” O PAU NA MESA – UMA CRÍTICA ÀS MEDIDAS DESMEDIDAS”

Duração da Exposição: 4 a 18 de Novembro de 2017
Horário: Segunda a sexta de 11h às 17h.
Classificação: 18 anos.
Local: Conexão Rio – Rua Orestes, 28 – 2o andar / Antiga Fábrica da Bhering
Entrada franca

Pesquisas relacionadas