Arte & Literatura

Casa Levi’s tem mega inauguração com mix de moda, música, gastronomia e arte e já é um point cultural fervido em São Paulo

A marca pioneira em fabricação de jeans presta ainda homenagem às comunidades criativas de Los Angeles e à mentalidade do Laurel Canyon com a sua Coleção Inverno 2016 batizada Wonderland

Publicado em 16/03/2016 | Por Karina Kuperman

Um casarão do final do século 19 transformado em espaço cultural com entrada gratuita, projeto assinado pelos arquitetos Pedro Mendes da Rocha e Camila Klein e programação especial toda comandada por uma marca expert em eventos cool. Como já havíamos contado aqui, assim é a Casa Levi’s. É claro que não resistimos e fomos conferir, in loco, o start da inauguração que traz o melhor que a grife pioneira em fabricação de jeans no mundo oferece aos fãs e admiradores em pleno centro de São Paulo. Por lá, além de conhecermos os novos lançamentos da Levi’s, aproveitamos reuniões divertidas entre amigos, passeamos por entre as obras de arte criadas por nomes como Rafael Pavarotti, Valter Nu, Roberto Andreoli, Rogério Cavalcanti e muitos outros do cenário independente. O espaço é um coletivo de artes e unir isso com o DNA da Levi’s, conhecida por investir intensamente em cultura e no segmento musical do país, é interessantíssimo. As ideias de inovação e a identidade da Levi’s em fomentar e produzir arte atraiu uma turma muito bacana na noite de terça-feira, dia 15 à inauguração da Casa. Em tempo: a Levi’s é responsável pelo lançamento de vários músicos, bandas, e moda, claro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E o que os visitantes puderam aproveitar dentro da Casa Levi’s? Projeção de documentários, estúdio de tatuagem, esmalteria, barbearia, cozinha coletiva que os chefs irão criar pratos novos e exposição de quadros e fotografia, além de outras delicinhas. Ano passado, neste mesmo local foi realizado o lançamento da 501 com show de The Sonics, banda de garage rock dos anos 1960. A Levi’s é um estilo de vida que, não importa a idade, tem sempre uma imagem de vanguarda. E jeanswear e rock andam de braços dados. E é esta a síntese da Casa Levi’s! As mesas de pebolim, jogos eletrônicos, bar e espaço para shows, exposições fotográficas e cozinha aberta se integram a um confortável lounge no subsolo, com almofadas, futons e pufes, onde, duas vezes por semana, os visitantes aproveitarão a exibição de filmes. Entre eles, aliás, nada menos do que “Para Sempre Teu – Caio F. Abreu”, direção de Candé Salles. Ah! Na casa, há charme até na porta dos banheiros! Enquanto as meninas são representadas por Marilyn Monroe e seu jeans icônico, os meninos passam por uma porta com a figura de Marlon Brando. Todos os presentes foram convidados a assistir a um documentário com a história da marca desde que o denim foi criado para os operários das minas de carvão e a chancela criada até os dias de hoje.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em um tour especial com o site HT, Marina Kadooka, gerente de marketing da Levi’s Brasil, apresentou a casa, as peças da nova coleção para o Inverno 2016 batizada Wonderland e falou sobre as novidades da marca. “Estamos trazendo tecnologias tipo a ‘thermore’, que mantém a temperatura do corpo. É interessante para o inverno e está nas linhas masculina e feminina. Como dizem que o inverno esse ano será mais rigoroso, consideramos que faz sentido. Há também blusas bordadas, com paetês, tricô com estampas, shortinhos high rise para meia estação, batas em tencel”, contou ela, que, é claro, não deixou os clássicos de lado: “Temos os nossos ícones, como a camisa listrada e as jaquetas trucker, que chegaram em um modelo com tecido como se fosse um moletom, meio sarja, com pegada workwear. Essa jaqueta é mais ou menos o fit dos trabalhadores, mais quadrado, funcional”, explicou.

O Lot 700, que chegou ao mercado brasileiro no ano passado, já é sucesso absoluto. Prova disso é que, na nova coleção, ele chega cheio de lavagens diferenciadas. “O modelo virou fixo na plataforma de fits e trouxemos releituras. O 710, por exemplo, tem recortes à laser”, contou Marina. A Lot 800, para mulheres mais curvilíneas, continua em alta e a novidade fica por conta da Lot 300, a linha plus-size shaping, que modela o corpo. “O plus-size era fundamental, porque a Levi’s é democrática! Tinha de ter esta linha. Os modelos femininos vão até a numeração 52 e a ‘big and tall’, masculina, até 70. É cintura alta, aperta o abdômen, o bolso é costurado até em cima pra dar sensação de compressão da área e tem bastante elastano. A venda é através de multimarcas”, explicou Marina. Além delas, outra novidade marcante: a coleção Pride, do orgulho gay dos Estados Unidos, chega ao Brasil em maio. “É a coleção que tem renda revertida para instituição Harvey’s Milk, que protege gays e portadores do vírus HIV. As peças são enfeitadas com arco-íris, o logo da Levi’s com as sete cores, com o nome ‘Harvey’s Milk’ estampado nas blusas. O legal é que a coleção chega junto com a parada gay em São Paulo. As roupas são unissex, tem shortinho bermuda, regata que serve para meninas e meninos. Quisemos uma coleção unificada, porque não há nada mais bonito do que a celebração única”, ressaltou.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Claro que, tratando-se de uma comemoração aos 143 anos do modelo 501, que fez história e revolucionou o denim, as calças marcantes não poderiam ficar de fora do papo. Nessa coleção, elas surgem ainda mais modernas, com lavagens e acabamentos destroyed e tecido light weight, ou seja: mais leves e perfeitas para países com clima tropical. “A 511 é o novo fit, skinny e slim, então o tecido é leve por isso. Mesmo sendo inverno, o clima do Brasil é perfeito para ele”, disse Marina. Enquanto as meninas poderão usar a 501 CT cheia de patches e super destroyed, os meninos terão muitas novidades. “Os homens brasileiros são mais moderninhos, então as 501 CT tem mais intervenções. Estamos lançando a 519, que é a extreme skinny masculina. É uma aposta nossa, porque alguns meninos compram calça feminina nas lojas e querem mais skinny. Algumas opiniões eram de que a 510 é skinny, mas a caixa é alta e quem usa superskinny usa caixa baixa. Essa é com a caixa da 511, que é baixa, mas skinny. Vai ter em todas as lojas em quatro lavagens, e, no segundo semestre, vem mais”, adiantou. Os shorts também não ficam de fora. “O 501 CT shorts é com caixa mais quadrada. A gente trouxe, pela primeira vez, a bermuda 541, que é o fit atlético. No ano passado, nós lançamos a calça atlética com a parte das coxas mais largas e relax e perna mais skinny e fez tanto sucesso que agora chegaram as bermudas”, disse.

IMG_2991

(Foto: Divulgação)

As linhas sazonais também prometem! A “cápsula vintage” vem cheia de lavagens diferentes e modelos únicos. “Cerca de 50% da coleção já está nas lojas. Mas é tudo importado, então recebemos aos poucos. As peças mais pesadas como couro chegam mais próximo ao inverno. Temos saias mídi e uma peça que adoro: uma saia longa que foi feita com a caixa da 501, então é quase que uma calça cortada que abre embaixo”, explicou. Além disso, a “wedgie fit” é a aposta da estação. “A história engraçada é que wedgie significa cuecão, remeta àquela brincadeira dos meninos de puxar a cueca, porque ela faz justamente isso de dar um up no bumbum. Dá uma levantada, é cropped e mais altinha. Nos Estados Unidos esse moelo explodiu de vender, porque veste muito bem”, adiantou. Ficou com vontade? Pois tudo isso chega em maio no Brasil.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Além disso, muito moletom, tricô com estampas assimétricas, denim com stretch tão poderoso que lembra moletom, camisa boyfriend para as meninas e a famosa jaqueta trucker cheia de patches prometem completar a coleção. “Hoje, os homens usam roupas mais skinny e as mulheres mais levinhas. Todo mundo sabe que a Levi’s tem essa opção feminina mais despretensiosa”, disse Marina. E algumas peças já estão à venda dentro da lojinha da Casa Levi’s! “Vendemos algumas roupas da amostra, mas as de coleção são só na loja”, explicou. A Casa, aliás, abre para o grande público quinta-feira, dia 17. “A Levi’s já tem esse modelo de casa em Los Angeles e Londres, em que fazem shows e eventos para formadores de opinião e imprensa, mas queríamos ir além: abrir para o público. A ideia era esse modelo mesmo, mas que o público também pudesse aproveitar. Todo dia teremos shows gratuitos, chefs de cozinha que trarão cardápio com preços acessíveis. A cada quinta-feira teremos exposições de artistas e lá embaixo tem esmalteria, barbearia, estúdio de tatuagem…”, listou Marina.

Los Sebosos Postizos fizeram uma ode a Jorge Ben Jor (Foto: Divulgação)

Los Sebosos Postizos fizeram uma ode a Jorge Ben Jor (Foto: Divulgação)

À noite, após o press day com um brunch, convidados hypados foram até a Casa Levi’s conferir a performance da banda Los Sebosos Postizos, que, fazendo uma ode à obra de Jorge Ben Jor em uma hora e meia de show lotado e ovacionado – já que ninguém queria deixar os músicos saírem. Em seguida, conferimos outro documentário muito bem elaborado que aborda a história do jeans desde o final do século 19 com depoimentos de pessoas mostrando que o denim da Levi’s faz parte de um estilo de vida e fica eternamente na lembrança de momentos de inúmeras gerações. Com sorvete Diletto, cachorro-quente e bebidinhas, o clima de confraternização de amantes verdadeiros da marca foi pura alegria. Quem estava ali tinha história Levi’s para contar!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os 143 anos do modelo de jeans mais querido pelos fãs da marca só poderia ter uma comemoração digna dele. “Essa calça já vestiu trabalhadores, mineiradores, e hoje faz parte do nosso guarda-roupa. Estamos falando de cultura, história, então porque não agregar tudo isso? A Levi’s sempre teve pilar em arte, cultura, história e social, então nada como trazer isso para o centro de São Paulo”, disse Marina. Assinamos embaixo.
Serviço
Casa Levi’s®
Data: 17 de março a 10 de abril
Rua Vitorino Carmilo, 449 – Santa Cecília
Quinta a domingo, das 18h às 23h
Sábados e Domingos, das 14h às 23h

PROGRAMAÇÃO CASA LEVI’S®
QUINTA-FEIRA – 17/03
Quinta Blues
18h – Abertura para o público
21h – Show Ozório Trio
Cozinha: Massaria Di Stefanni – Cheff Luciano Felix
* Abertura de exposição – Paschoal Rodrigues/ Rafael Pavaroti/ Marco Aurélio Rey

SEXTA-FEIRA – 18/03
Sexta independente
18h – Abertura para o público
21h – Selo Risco – Mustache e os Apaches
Cozinha – Ghee Banqueteria

SÁBADO– 19/03
FESTA
14h – Abertura para o público
14h30 – Yoga DeRose
16h – Festa Venga Venga
Cozinha – Bianca Bertolacine
Cineminha – documentário 501 / Juventude Transviada (1955) – James Dean
Live paint – Apolo Torres
Espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

DOMINGO– 20/03
RELAX
14h – Abertura para o público
18h – Show Lara e os Ultraleves
Cozinha – Petí Gastronomia – Cheff Victor Dimitrow
Cineminha – Para sempre Teu – Caio F. Abreu (2 sessões)
Espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

QUINTA-FEIRA – 24/03
Quinta Blues
18h – Abertura para o público
21h – Show Bocato
Cozinha– Marcus Santander

*Abertura de exposição – Bruna Castanheira / Alessandra Levthenco/ Valter Nu
SEXTA-FEIRA – 25/03
Sexta independente
18h – Abertura para o público
21h – Show Selo Balaclava – P A R A T I
Cozinha –Talita Campos

SÁBADO– 26/03
FESTA
14h – Abertura para o público
14h30 – Yoga DeRose
16h – Festa Despacho
Cozinha – Coletivo Cookers
Cineminha – documentário 501 / O Selvagem (1954) – Marlon Brando
Live paint – Grazie Gra
Espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

DOMINGO– 27/03
RELAX
14h – Abertura para o público
18h – Show Strobo -Baoba Stereo Club e Valério
Comidas – SSimplesmente
Cineminha – Documentário 501/ Rastros de Ódio (1956) John Wayne
Espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

QUINTA-FEIRA – 31/03
Quinta Blues
18h – Abertura para o público
21h – Show Otis Trio
Cozinha – Luciana Gonzáles
* Abertura de exposição – Alessandra Levtchenko – Artes plásticas: Gabriel Pintangarcia

SEXTA-FEIRA – 01/04
Sexta independente
18h – Abertura para o público
21h – Show FingerFingerrr
Cozinha – HM food

SÁBADO– 02/04
FESTA
14h – Abertura para o público
14h30 – Yoga DeRose
16h – Festa Sistema Negro
Cozinha – FishBone – Cheff Fredy Borba
Cineminha – documentário 501/ Jailhouse Rock (1957) – Elvis Presley
Live paint – Diego Mouro
Espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

DOMINGO– 03/04
RELAX
14h – Abertura para o público
18h – Show Beach Combers
Cozinha – Holly Burguer
Cineminha – Documentário 501/ Os Desajustados (1961) – Marilyn Monroe
Espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

QUINTA-FEIRA – 07/04
Quinta Blues
18h – Abertura para o público
21h – Show Martinez
Cozinha – Baderna Food – Cheff Lívia Collino
* Abertura de exposição – Fotografia: Debby Gram – Artes Plásticas: Luiz Martins

SEXTA-FEIRA – 08/04
Sexta independente
18h – Abertura para o público
21h – Selo Uivo Records – Show INKI
Cozinha – RUAA – Cheff Flávio Tupinambá

SÁBADO– 09/04
FESTA
14h – Abertura para o público
14h30 – Yoga DeRose
16h – Festa Jambox
Cozinha – Gui Bonfim
Cineminha – documentário 501/ A Vida Privada (1962) – Brigitte Bardot
Live paint – Bruno Perê
Espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

DOMINGO– 10/04
RELAX
14h – Abertura para o público
18h – Show Kubata
Cozinha – Prato Feito – Rick Salgado
Cineminha – Documentário 501/ Easy Rider – 1969 – Dennis Hoper e Peter Fonda
Espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

Pesquisas relacionadas