Cinema & TV

HT lista os cinco destaques do BAFTA, que encerra a temporada de premiações pré-Oscar. Agora, é contagem regressiva!

Entre confirmações de favoritismo e disputas cada vez mais acirradas, o prêmio britânico aumenta a tensão e expectativa para a noite mais importante do cinema, no próximo dia 22

Publicado em 10/02/2015 | Por Heloisa Tolipan

*Com Maria Eugênia Gonçalves

Seguindo o ritual de premiações dos começos de ano, o Royal Opera House de Londres recebeu na mesma noite que o Grammy (09/02), em Los Angeles, os famosos para a entrega do BAFTA, renomada premiação por celebrar o que há de melhor no circuito audiovisual e equivalente britânico ao Oscar. Este ano, em mais uma recepção comedida, a Academia Britânica de Artes do Cinema e Televisão homenageou atores já favoritos e mostrou-se crucial para os maiores concorrentes à categoria de Melhor Filme do domingo que se aproxima. Abaixo, você confere cinco fatos que resumem a cerimônia:

1) A disputa entre “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)” (de Alejandro Gonzáles Iñarritu) “Boyhood – da Infância à Juventude” (de Richard Linklater) está ainda mais acirrada. Estes são, sem dúvida, os maiores protagonistas da corrida ao Oscar deste ano, em um duelo merecido, onde é cada vez mais desafiador prever o nome nos principais envelopes na noite do dia 22. A disputa começou com “Boyhood” à frente, ao encabeçar o Globo de Ouro de ‘Melhor Filme Dramático’ e ‘Melhor Direção’. Em seguida, a tragédia do “homem-pássaro” saiu vencedora no SAG Awards, onde levou ‘Melhor Elenco’, e, no recente DGA, premiação do sindicato dos diretores, na qual arrebatou a estatueta de ‘Melhor Diretor’. No BAFTA, “Boyhood” volta ao páreo, levando os prêmios ‘Melhor Filme’ e ‘Melhor Diretor’, o que provavelmente é uma indicação de dobradinha entre os dois durante a noite do Oscar, nos mesmos moldes do que aconteceu na edição 2013 entre “Gravidade”, de Alfonso Cuáron “12 Anos de Escravidão”,de Steve McQueen, já que, dados os precedentes da Academia, muito dificilmente eles reconhecerão cineastas latinos por dois anos consecutivos como ‘Melhor Diretor’.

 

Elenco de "Boyhood" no BAFTA Awards 2015 (Foto: Reprodução)

Elenco de “Boyhood” no BAFTA Awards 2015 (Foto: Reprodução)

2) Nas categorias de atuação, nem uma poderosa mandinga parece tirar a preferência da sempre ótima Julianne More como ‘Melhor Atriz’, por “Simplesmente Alice”; da veterana Patricia Arquette como ‘Melhor Atriz Coadjuvante’ por “Boyhood- da Infância à Juventude”; e do enérgico J.K. Simmons como ‘Melhor Ator Coadjuvante’ por “Whiplash: Em Busca da Perfeição”Entretanto, assim como foi na divisão do Globo de Ouro e dos SAG Awards, Eddie Redmayne segue como a maior ameaça à vitória de Michael Keaton (“Birdman”) na disputa por ‘Melhor Ator’, graças ao seu ótimo desempenho em “A Teoria de Tudo” Embora a interpretação do ruivo britânico vá além dos limites físicos, é mais fácil e provável acreditar que a vitória na categoria de Melhor Ator ficará dentro de casa na cerimônia americana.

Este slideshow necessita de JavaScript.

3) O adorável O Grande Hotel Budapeste”, de Wes Anderson, saiu como o maior vencedor da noite, carregando cinco estatuetas – ‘Melhor Roteiro Original’, ‘Melhor Trilha Sonora Original’, ‘Melhor Design de Produção’, ‘Melhor Figurino’ e ‘Melhor Maquiagem’. Assim, o filme permanece ao lado do intenso“Whiplash: Em Busca da Perfeição” – ‘Melhor Edição’ e ‘Melhor Som’ – como os mais vigorosos dentre os concorrentes das categorias técnicas e de artes visuais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

4) Nem sempre um dos maiores indicados é o grande homenageado. “O Jogo da Imitação”, cinebiografia sobre um cientista britânico que busca quebrar o código utilizado pelos alemães para enviar mensagens aos submarinos durante a Segunda Guerra Mundial, saiu de mãos abanando da premiação com suas nove nomeações. Na preferência conterrânea, outra cinebiografia, o medíocre “A Teoria de Tudo” sobre o teórico físico Stephen Hawking – que estava até presente na plateia -, bateu a concorrência levando os prêmios nas categorias ‘Melhor Filme Britânico’ e ‘Melhor Roteiro Adaptado’ para casa, além da consagração do ator principal.

Este slideshow necessita de JavaScript.

5) No tapete vermelho, a elegância esteve em voga. Variações entre cores sóbrias e fortes ao lado de longos estonteantes fizeram a cabeça das principais estrelas. Julianne Moore, como destaque, apareceu em um vibrante e sensual Tom Ford, combinando com as suas icônicas madeixas ruivas. E Keira Knightley, mais uma vez, mostrou-se adepta do conforto em suas escolhas do red carpet enquanto grávida de seu primeiro filho, vestindo um romântico Giambattista Valli (que, felizmente, não virou meme como o de Rihanna).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas