Música & Badalo

The XX: londrinos da vez misturam rock simples com efeitos ópticos contagiando os hipsters cariocas

Os britânicos brilharam no palco do Vivo Rio com projeções de luz coloridas e hits que misturam rock com eletrônico

Publicado em 25/10/2013 | Por Heloisa Tolipan

Em sua primeira apresentação no Brasil, o trio The XX provou porque é um fenômeno da música indie que tanto alvoroço causa na moçada. Na última quinta-feira (ontem), a casa lotada com mais de 4 mil jovens já dava indícios que seria uma grande noite. E, para os que quilometravam uma fila na porta do Vivo Rio, um atraso de 45 minutos para começar o show foi a salvação.  Precisamente às 22:45, Romy Madley Croft (vocal e guitarra), Oliver Sim (vocal e baixo) e Jamie Smith (beats e teclado) timidamente subiram ao palco para tocar seu segundo trabalho, ‘Coexist’ (2012), depois do consagrado disco ‘xx’, lançado em 2009. Em turnê, a banda já percorreu toda a Europa e a maior parte das Américas. A reta final da viagem começou ontem pelo Rio de Janeiro e seguirá para São Paulo neste sábado (26), com apresentação no HSBC Brasil, terminando na Cidade do México.

Os efeitos de luz chamavam atenção do público durante todo o show do The XX. (Foto: Nayanne Louise

Os efeitos de luz chamavam atenção do público durante todo o show do The XX. (Foto: Nayanne Louise)

Com uma introdução instrumental de rock minimalista com elementos de música eletrônica, o espetáculo começou com a faixa ‘Try’, sucesso do novo álbum, levando os moderninhos de óculos grandes ao delírio absoluto. Enquanto isso, uns levantavam cartazes distribuídos na entrada e outros balançavam as mãos de olhos fechados, apenas ‘sentindo’ a doce vez de Romy. A sensação era de flutuar pelo espaço – e não era para menos. Os britânicos de roupas escuras foram iluminados por um sofisticado jogo de luz incandescente, que mudava de cor conforme o ritmo da música e, logo em seguida, se posicionava em X, como o desenho da capa do disco. Olhando da plateia, a ilusão de óptica era de um mar passando sobre a cabeça do público.

Aparentemente assustados com a energizante presença da multidão estilo hipster, só depois de alguns hits conseguiram finalmente falar com o público: “Este é o primeiro show de nossas vidas no Brasil”, disse o baixista, Sim, recebendo aplausos e gritinhos – o que, sem dúvidas, ajudou a deixá-los mais relaxados para a apresentação que virá a seguir na capital paulista. Depois, deram continuidade ao show dançante e, em um momento emblemático, o grupo tocou ‘Crystalized’, a canção sensual em ritmo lento que levou casaizinhos a trocarem carícias e abraços que podiam ser vistos por todo o Vivo Rio. Era só amor. Já o hit ‘Islands’ despertou a plateia, fazendo a linha “coral” com a letra na ponta da língua.

Depois de uma hora de show, os londrinos pretendiam se despedir com ‘Infinity’, mas o público resistiu e foi ficando. Contentes com a recepção calorosa, os músicos acabaram voltando ao palco para presentear a multidão com ‘Intro’, o único tema inteiramente instrumental do repertório. Com a promessa de voltar ao Brasil em breve, fecharam a noite com ‘Angels’, primeiro single do segundo álbum. Super valeu!

Fotos: Vinícius Pereira

Pesquisas relacionadas