Gente & Comportamento

#Atitude50: nesta semana, Kika Gama Lobo fala sobre o momento emocionante de reunir três gerações de mulheres de sua família

No aniversario de 20 anos de sua filha, Kika se emociona ao se ver entre sua mãe e Anna Catharina, e faz uma reflexão: "Os 50 hoje são uma idade libertadora. Dá tempo de transgredir, de fazer novamente ( diferente), de amar novamente ( homens ou mulheres), de ter um filho ( por que não?), de mudar de emprego, de viajar pro Nepal, de tirar o silicone ( ou colocar), de fazer aquela tattoo, de ligar o foda-se ( a-d-o-r-o)". Vem ler!

Publicado em 14/09/2017 | Por Junior de Paula

*Por Kika Gama Lobo
75, 53, 20. Três gerações. Avó, mãe e filha reunidas na comemoração de 20 anos da minha filha. Na hora do parabéns caímos em prantos. Acho que cada uma, com sua trajetória, sentiu uma tremenda emoção pelo que passamos juntas e sobretudo pela noção de tempo que nos resta. Então decidi dedicar esta coluna a essas duas Anas. Anamaria, a matriarca e Anna Catharina, a aniversariante. Mesmo que eu tenha memória de elefante, minhas mais remotas imagens são difusas. O calçadão do Leme, as festas na Hípica, meu colégio montessoriano e ela sempre comigo. Anamaria é uma mãe parceira, presente. Ao seu modo intenso, mezzo ciumento, é daquelas extremas. Já Anna Catharina, doce, amiga dos amigos, sensível, irônica e criativa é filha 24 hs. Precisou dela, basta chamar. Mas o assunto aqui, tema desta coluna, é a maturidade. Eu com meus 53 anos, me senti um sanduíche espremida entre estas duas gerações. Vi a oportunidade real de aprender com a mais velha e de me reinventar com a mais nova. Os 50 hoje são uma idade libertadora. Dá tempo de transgredir, de fazer novamente ( diferente), de amar novamente ( homens ou mulheres), de ter um filho ( por que não?), de mudar de emprego, de viajar pro Nepal, de tirar o silicone ( ou colocar), de fazer aquela tattoo, de ligar o foda-se ( a-d-o-r-o). O túnel do tempo no qual eu fui transportada neste parabéns me deu a certeza que eu preciso ousar mais, fazer melhores escolhas, honrando assim o que minha mãe já não pode mais fazer e o que minha filha ainda não experimentou. Tirem as crianças da sala. Vou barbarizar! #atitude50

Pesquisas relacionadas